Repetitivo discute proporcionalidade da pena-base em casos que envolvem pequena quantidade de droga

​A Terceira Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) afetou os Recursos Especiais 2.003.735 e 2.004.455, de relatoria do ministro Reynaldo Soares da Fonseca, para julgamento pelo rito dos recursos repetitivos.

Fonte: Superior Tribunal de Justiça

Comentários: (0)



Reprodução Pixabay

A controvérsia, cadastrada na base de dados do STJ como Tema 1.262, foi resumida assim: "definir se a exasperação da pena na primeira fase da dosimetria, em casos em que se constata a ínfima quantidade de drogas, independentemente de sua natureza, caracteriza aumento desproporcional da pena-base".


O colegiado decidiu não suspender a tramitação dos processos sobre o tema, "na medida em que eventual atraso no julgamento dos feitos pode causar prejuízo aos jurisdicionados", explicou o relator.


Em seu voto pela afetação dos recursos, Reynaldo Soares da Fonseca ressaltou a importância de se submeter o tema ao rito dos repetitivos para a formação de precedente judicial dotado de segurança jurídica. Conforme destacou, a Comissão Gestora de Precedentes e de Ações Coletivas apontou a existência de 142 acórdãos e 5.774 decisões monocráticas proferidas por ministros da Quinta e da Sexta Turmas a respeito da mesma questão jurídica.


Recursos repetitivos geram economia de tempo e segurança jurídica

O Código de Processo Civil regula, nos artigos 1.036 e seguintes, o julgamento por amostragem, mediante a seleção de recursos especiais que tenham controvérsias idênticas. Ao afetar um processo, ou seja, encaminhá-lo para julgamento sob o rito dos repetitivos, os ministros facilitam a solução de demandas que se repetem nos tribunais brasileiros.


Palavras-chave: repetitivo pena-base drogas stj

Deixe o seu comentário. Participe!

noticias/repetitivo-discute-proporcionalidade-da-pena-base-em-casos-que-envolvem-pequena-quantidade-de-droga

0 Comentários

Conheça os produtos da Jurid