• facebook-footer
  • twitter-footer
  • googleplus-footer
Quarta-feira, 15 de Agosto de 2018
ISSN 1980-4288

Exame de Ordem

STF vai julgar suspensão de liminar que garantiu inscrição na OAB sem aprovação no Exame de Ordem

Fonte: STJ

Comentários: (55)


O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Ari Pargendler, determinou a remessa ao Supremo Tribunal Federal (STF) dos autos que contestam a possibilidade de inscrição na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) sem a prévia aprovação no Exame de Ordem. Para o ministro Ari Pargendler, o fundamento da discussão é constitucional e já foi identificado como de repercussão geral em um recurso extraordinário naquele Tribunal (RE 603.583).


O Exame de Ordem é previsto no Estatuto da Advocacia, segundo o qual todos os que almejam ser advogados e exercer a advocacia devem submeter-se à prova (artigo 8º da Lei n. 8.906/1994).


A suspensão de segurança foi requerida pelo Conselho Federal da OAB e pela Seção Ceará da OAB contra a liminar concedida por um juiz do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) para que dois bacharéis sejam inscritos na OAB independente da aprovação no exame da Ordem.


O pedido afirma que, caso a liminar não seja suspensa, “as consequências serão graves”, pois haverá “precedente perigoso, que dará azo a uma enxurrada de ações similares (efeito cascata/dominó)”, o que colocará no mercado de trabalho inúmeros bacharéis cujos mínimos conhecimentos técnico-jurídicos não foram objeto de prévia aferição. Com isso, “porão em risco a liberdade, o patrimônio, a saúde e a dignidade de seus clientes”.


Decisões


Inicialmente, dois bacharéis em direito ingressaram com mandado de segurança na Justiça Federal do Ceará para terem efetivadas suas inscrições na OAB sem a prévia aprovação no Exame de Ordem. Alegaram, para tanto, que a exigência seria inconstitucional, usurparia a competência do Presidente da República, e afrontaria a isonomia com as demais profissões de nível superior e a autonomia universitária.


Em primeiro grau, o juiz federal negou o pedido de liminar. Argumentou que a liberdade profissional prevista na Constituição está condicionada às qualificações profissionais que a lei estabelecer – no caso, a Lei n. 8.906/94. “Não tenho receio de afirmar tratar-se de medida salutar para aquilatar um preparo mínimo do profissional, bem como para auxiliar na avaliação da qualidade de ensino dos cursos de direito, os quais se proliferam a cada dia”, afirmou o juiz substituto Felini de Oliveira Wanderley.


Os bacharéis recorreram. Individualmente, o juiz do TRF5 Vladimir Souza Carvalho concedeu a liminar para reconhecer o direito à inscrição. Ele salientou que a advocacia é a única profissão no país em que, apesar de possuidor do diploma do curso superior, o bacharel necessita submeter-se a um exame. Para o magistrado, isso bateria o princípio da isonomia.


Para ele, a regulamentação da lei é tarefa privativa do Presidente da República e não pode ser delegada ao Conselho Federal da OAB. Além disso, a área das instituições de ensino superior estaria sendo “invadida”, com usurpação de podeR por parte da entidade de classe.


Suspensão


No STJ, a OAB argumenta que o exame não implica na supressão total da atividade que um bacharel em direito pode desempenhar. Com isso, ficam preservadas para as demais atividades do bacharel as atribuições da instituição de ensino.


Diz que a norma constitucional que garante a liberdade de trabalho não é absoluta, porque somente é garantida tal liberdade na medida em que não se encontram óbices normativos à liberdade pretendida.


Conforme o pedido, a liminar do magistrado do TRF5 causa “grave lesão à ordem pública, jurídica e administrativa da OAB, uma vez que impede a execução do comando constitucional que assegura aos administrados a seleção de profissionais da advocacia com a observância das exigências legais”.

 


SS 2415

Palavras-chave: OAB; Exame da ordem; Julgamento; Liminar; Inscrição

URL Encurtada

Deixe o seu comentário. Participe!

noticias/exame-de-ordem-2011-01-03

55 Comentários

Luiz Antonio Ferreira Nazareth Junior Advogado e Professor Universitário03/01/2011 22:53 Responder

Com o devido respeito, tenho que S. Exa. o Magistrado Doutor Vladimir Souza Carvalho não andou bem na sua interpretação do comando constitucional que autoriza o exercício de qualquer profissão nos limites da lei. Ocorreu um equívoco acerca da dita \\\"usurpação\\\" da competência do Presidente da República; a uma porque a Lei nº 8.906/94 (Estatuto da Advocacia) é uma Lei Federel (registre-se, em vigor) e teve seu projeto submetido ao regular processo legislativo previsto na Constituição da República, inclusive, ao final, com a sanção do Presidente da República; a duas porque, ainda que assim não fosse, o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, na condição de órgão soberano da Classe dos Advogados (como qualquer outro Conselho Federal de outra profissão) possui competência \\\"ex-vi legis\\\" para baixar atos normativos internos reguladores do exercício profissional, desde que não contrariem a mencionada Lei Federal. Por fim, ratificando o já noticiado, a concessão da pleiteada medida poria, sem sombra de dúvidas, em risco a já dilapidada qualidade do ensino jurídico no Brasil. Aliás, tal decisão, na hipótese de ser concedida, estaria na direção contrária da evolução histórica da regulamentação das profissões pelos respectivos Conselhos Federais posto que diversos outros Órgãos reguladores de Classe possuem interesse na realização de similar exame para aferição da qualidade técnica dos profissionais recém egressos da universidade.

Luiz Dário Rocha Advogado 04/01/2011 2:25

Parabéns Dr. Luiz Antônio pelo comentário lúcido sobre a legalidade do Exame de Ordem. Seguramente, o colega foi muito feliz e imparcial em relação a análise aqui colocada.

Marco Antonio Cezar Nascimento Advogado 04/01/2011 3:29

Parabéns ao colega Dr. Luiz Antonio. Faço de suas palavras as minhas. Afinal a OAB não impede o exercício legal da profissão de bacharel porque existem muitas outras formas de se exercer as funções de bacharel, através de concurso e também lecionando. O problema é que nestes casos, não há como derrubar a exigência de exame aferidor de conhecimento e sequer esconder a falta de competência técnica. Desta feita resta a advocacia, entretanto, para muitos, mister acabar com o exame de ordem, com o qual não conseguiriam tal intento .

Cesar Augusto da Piedade Couto Autônomo e Bacharéu de Direito 04/01/2011 11:20

Eu acredito que este advogado e professor universitário não tenha feito o Vexame da OAB, e pelo jeito conseguiu sua carteira de advogado como era feito antigamente, até com compra de diplomas em faculdades e obtido seu registro na OAB, simplesmente mostrando seu estágio. Me admira este Senhor como professor universitário, que acredito não ser de Direito, falar tanta bobagem. Será que ele leu a Constituição Federal? Será que ele não sabe que os Direitos e Garantias Individuais, previsto no Art. 60, §4º, IV , que não é permitida nem Emenda Constitucional com tendencia a abolir esta chamada Cláusula Pétrea? Me desculpe aos Senhores advogados que escrevem tal absurdo, e que tenta preservar o seu mercado de trabalho, já basta o Senhor Ophir Cavalcante falar tanta besteira. A onde está em jogo a liberdade, o patrimonio, a saúde e a dignidade de seus clientes? O que está em jogo realmente é a LEGALIDADE e JUSTIÇA, e a nossa CONSTITUIÇÃO FEDERAL, ao permitir tal Lei absurda vigore e com isso, vão continuar no mercado advogados e professores, e juízes e desembargadores, os mesmos que dão aula nas faculdades e cursinhos preparatórios para o Vexame de Ordem. O despreparo destes advogados e professores, que muitos compraram seus diplomas têm seus registros garantidos, e não querem que haja novas concorrências no mercado. O STF é o guardião da Constituição Federal, e tem que por fim neste Vexame de Ordem e no Quinto Constitucional, que conseguem através de favores da OAB serem nomesdos. O Presidente Lula acertadamente libertou o Cesare Battite, e agora estão milhares de brasileiros esperando pela mesma liberdade ao TRABALHO, que da dignidade a qualquer cidadão como os bacharéis de direito. Todos nós somos iguais perante a Lei, e o que ofende a e está em risco realmente é a LIBERDADE, o PATRIMÔNIO, a SAUDE e a DIGNIDADE de milhares de brasileiros que só quer ter o direito ao trabalho como está previsto na Constituição Federal, no seu art. 5º, XIII, como foi consedido aos jornalistas mesmo sem ser diplomados. Estou preocupado com os alunos e clientes deste Senhor que se diz advogado e professor. Ainda bem que não fui seu aluno e nem sou seu cliente, se eu estaria em RISCO de ser penalizado com tanta IMPERÍCIA.

Sidney Perdigão sua profissão 04/01/2011 11:32

Caro Doutor há inconstitucionalidade formal para o exame da ordem não como não contestar isso saibam disso de uma vez por todas adimitam isso e se conformem !!!!!

AntonioEdson Saldanha de Alencar advogado 04/01/2011 21:47

consedido? Será que o Sr. Cesar Augusto está mesmo preparado para exercer a nobre profissão de advogado, escrevendo consedido(com \\\"s\\\").

Marco Nascimento Advogado 05/01/2011 0:04

E ai nobre colega Dr. Antonio querem acabar com o exame. Tenho sugerido em minhas colocações neste e em outros fóruns que a OAB deveria também cobrar conhecimentos básicos de português tamnha as aberrações e os assassinatos da lingua portuguesa. Só pra dar uma idéia vi gente escrevendo \\\"BACHAREU\\\". Pasme.

Cesar Augusto da Piedade Couto Autônomo e Bacharéu de Direito 05/01/2011 11:43

Caro Antonio, eu tenho a mania de sair escrevendo até sem reler o que escrevo. Sevoce acha que o meu erro de português lhe ofendeu a nobre profissão de advogado, peço-lhe desculpas diante da sua nobreza. Mas vejo que leu atentamente a minha opinião, e o que eu gostaria de saber do nobre advogado, que talvez tenha comprado seu diploma e provavelmente não fêz o Vexame de Ordem (não é erro de português não, é Vexame mesmo) é a sua opinião sobre a INCONSTITUCIONALIDADE DA LEI, se o nobre advogado não souber nada de Direito Constitucional, então nobre advogado não fique lendo a opinião dos outroa simplesmente com a intensão de diminuir o Bacharéu de Direito, que sou, que estou cansado de ganhar dinheiro fazendo petições para muitos dos seus NOBRES colegas advogados, que precisam ser reciclados em seus conhecimentos. Um abraço ao NOBRE advogado.

seu nome funcionaria publica 05/01/2011 23:31

Ilustre senhor César Augusto, Vez por outra nos deparamos com profissionais assim: que são pouco preparados para enfrentar o exame da ordem, e, por esse motivo, querem o fim do mesmo. É bom lembrar tb que \\\"alguns\\\", de fato, necessitam ter \\\"medo\\\" dele, pois, não aprenderam, sequer, a grafia do termo \\\"BACHAREL\\\". ISSO SIM, É LAMENTÁVEL...

seu nome sua profissão 07/01/2011 23:39

O recurso está na Procuradoria Geral da República (PGU) para análise e poderá retornar ao Supremo ainda este mês, para uma decisão colegiada da Suprema Corte. A ?Ficha Limpa? ganhou porque muitos se manifestaram a favor, enviando emails: Não cabe a OAB, medir a qualidade do ensino mesmo que jurídico; A profissão de advogado é a única no país, em que o detentor do diploma de Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, ou do Bacharel em Direito, para exercê-la, necessita se submeter a um exame, ferindo o princípio da isonomia; O montante que a OAB arrecada a cada exame, é uma quantia bastante vultuosa (para onde vai essa arrecadação?); Os cursos preparatórios são verdadeiros cartéis, e o corporativismo impera (os vrdadeiros donos desses cursos são na grande maioria desembargadores, juízes, procuradores, e eoutros... Esta é a hora de exprimir a nossa opinião, encaminhe a sua idéia para a PGU pelo E-mail: pgu.assessoria@agu.gov.br

Elisa Reis Bacharel sem trabalho 05/07/2011 4:09

VC já é advogado, por isso ridiculariza os bacharéis. Tenho asco de vc, doutorzinho.Sua soberba me enoja.

Elisa Reis Bacharel sem trabalho 05/07/2011 4:13

Vou procurar em suas petições erros gramaticais. Será que o doutor é tão cátedra no português?Duvido.

Elisa Reis Bacharel sem trabalho 05/07/2011 4:15

Nobre de onde?Pára de querer escrever polidamente!!!! Se toca !

Noel Magioli Empresário, Administrador de Empresas, Bacharel em Direito e Professor Universitário04/01/2011 0:41 Responder

Tomo a liberdade de reproduzir parte do texto do Dr. Fernando Machado da Silva Lima, ilustre adogado do Estado do Pará, divulgado no sítio da JusNavigandi além da luta do Senador Gilvan Borges do Amapá, contra esse famigerado exame e mais do que agora essa luta deve continuar. .....\\\"O Conselho Federal da OAB, efetivamente, \\\"regulamentou\\\" o exame de ordem, através do Provimento nº 81/1.996, que disse apenas que a aprovação nesse exame seria obrigatória para a admissão no quadro de advogados e disse que ele seria aplicado em duas fases, etc. Portanto, não cabe ao Conselho Federal da OAB a tarefa de regulamentar as leis. O poder regulamentar, ou seja, a tarefa de \\\"regulamentar as leis para a sua fiel execução\\\", de acordo com o art. 84 da Constituição Federal, inciso IV, compete privativamente ao Presidente da República. Esse provimento da OAB é, portanto, inconstitucional, como os outros que o seguiram, ou seja, o provimento nº 109/2.005 e o provimento nº 136/2.009. Das declarações dos dirigentes da OAB, no entanto, é possível deduzir que o exame de ordem é um instrumento de avaliação da qualificação profissional do bacharel em direito, o que faz com que esse exame seja, novamente, inconstitucional, porque usurpa a competência do poder público para essa avaliação, prevista na Constituição Federal e disciplinada na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (Lei 9.394/1.996). O art. 205 da Constituição diz que o ensino qualifica para o trabalho. O art. 43 da LDB diz que a educação superior tem por finalidade formar diplomados nas diferentes áreas de conhecimento, aptos para a inserção em setores profissionais. O art. 48 da LDB diz que os diplomas de cursos superiores reconhecidos, quando registrados, terão validade nacional como prova da formação recebida por seu titular. O art. 209 da Constituição Federal diz que compete ao poder público avaliar o ensino. Não resta dúvida, portanto, de que o exame de ordem, ou exame da OAB, é novamente inconstitucional, inconstitucionalidade esta material, porque ele conflita diretamente com as normas constitucionais que atribuem ao poder público a competência para a avaliação do ensino e para o registro dos diplomas dos cursos superiores por ele autorizados e reconhecidos, através do MEC, evidentemente.\\\"

seu nome advogada 04/01/2011 21:15

O Dr. Fernando Lima, é uma referência, em Direito Constitucional, e outras áreas. É a pessoa certa para falar sobre a inconstitucionalidade que cinge o exame da ordem. Diana

Gonçalo Paz, Estudante do curso de direito. 05/01/2011 1:13

Parabéns Prof. Noel Magioli, Pelo seu comentário eloquente e doutrinador. vamos esperar a decisão do STF o guardiã da constituição, mais quero aqui, fazer uma remissão, ao doutrinador Mineiro, JOSÉ AFONSO DA SILVA, Que diz em primorosa obra entitulada, Curso de direito constitucional Positivo, cap. único, página 865, diz, o doutrinador, que o nosso direito constitucional, estar dividido em três direitos constitucionais, direito contitucional da constituição remendadada, retalhada e retaliada, o direito consitucional transitório e o direito constitucional extravagante.dentre as três vertentes, esperamos que o STF, PREFIRA O DIREITO DA CONSTITUIÇÃO de 1988.

seu nome sua profissão 07/01/2011 23:40

O recurso está na Procuradoria Geral da República (PGU) para análise e poderá retornar ao Supremo ainda este mês, para uma decisão colegiada da Suprema Corte. A ?Ficha Limpa? ganhou porque muitos se manifestaram a favor, enviando emails: Não cabe a OAB, medir a qualidade do ensino mesmo que jurídico; A profissão de advogado é a única no país, em que o detentor do diploma de Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, ou do Bacharel em Direito, para exercê-la, necessita se submeter a um exame, ferindo o princípio da isonomia; O montante que a OAB arrecada a cada exame, é uma quantia bastante vultuosa (para onde vai essa arrecadação?); Os cursos preparatórios são verdadeiros cartéis, e o corporativismo impera (os vrdadeiros donos desses cursos são na grande maioria desembargadores, juízes, procuradores, e eoutros... Esta é a hora de exprimir a nossa opinião, encaminhe a sua idéia para a PGU pelo E-mail: pgu.assessoria@agu.gov.br

Luiz Carlos Marques Bacharel em Direito04/01/2011 0:45 Responder

Boa noite Dr. Luiz Antonio Ferreira Nazareth Junior, como o mestre adcionou, ser Professor Universitário, alego que sou á favor da Prova da OAB. Mas o senhor, em seu comentário, identifica o ensino o Jurídico no Brasil como dilapidado. Será na Faculdade que o mestre ministra diciplinas as quais não identifica, não esta á altura de um bom ensino, porque não larga a cadeira de professor acadêmico, e vai sómente Advogar. Pois o senhor como explica se o ensino esta dilapidado,talvêz são os mestre na Faculdade que o senhor dá aulas. Lamentavel sua pronuncia.

Marco Nascimento Advogado 04/01/2011 3:46

Caro Luiz Carlos. Não estou aqui a defender o nobre colega Dr. Luiz Antonio, mas concordo com a colocação em relação ao ensino, mas entendo que tal referência se faz aos alunos e às instituições que só querem arrecadar. Sou testemunha viva disso. Presenciei por ocasião de meu curso que muitos alunos não levavam a sério os estudos e especificamente um deles após ser reprovado por um professor que exigia do aluno o básico, este aluno após intervir junto á direção do curso obteve a aprovação à revelia do professor. Entendo desta forma que a dilapidação do ensino não é por conta dos mestres e sim pelo nível dos alunos passam pela faculdade. Notei que o sr. se identifica como bacharel em direito, por tanto, dou-lhe o devido desconto em relação à falta de cortesia com o Mestre, até porque pela sua indignação, nota-se que os mestres de sua faculdade devem ser muito competentes, donde se conclui que o problema é como falei...até porque o português usado pelo sr. não é lá dos melhores. Lamentavel foi a sua colocação. Cordiais Saudações.

Marco Nascimento Advogado 04/01/2011 4:00

Acrescento ainda aos meus comentários supra que o Exame da Ordem, a julgar pelos textos que tenho lido nos diversos fóruns que tenho passado dos revoltados reprovados pelo exame, e este não é diferente, que dever-se-ia cobrar também conhecimentos de língua portuguesa, tamanho são os absurdos que tenho visto por ai. Erros crassos. Erros de grafia, de pontuação, de regras de gramática e todo tipo de absurdo. Lamentável.

Mário Britto Advogado 04/01/2011 11:22

Gostaria de parabenizar os colegas, o Dr. Luiz Antonio e Marco Nascimento por seus comentários elucidativos. E Marco, tenho que concordar também com a segunda parte de seu comentário. O Bel. Luiz Carlos, sequer soube interpretar o bem fundamentado comentário do Dr. Luiz Carlos. Como disse vc, lamentável.

seu nome sua profissão 07/01/2011 23:41

O recurso está na Procuradoria Geral da República (PGU) para análise e poderá retornar ao Supremo ainda este mês, para uma decisão colegiada da Suprema Corte. A ?Ficha Limpa? ganhou porque muitos se manifestaram a favor, enviando emails: Não cabe a OAB, medir a qualidade do ensino mesmo que jurídico; A profissão de advogado é a única no país, em que o detentor do diploma de Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, ou do Bacharel em Direito, para exercê-la, necessita se submeter a um exame, ferindo o princípio da isonomia; O montante que a OAB arrecada a cada exame, é uma quantia bastante vultuosa (para onde vai essa arrecadação?); Os cursos preparatórios são verdadeiros cartéis, e o corporativismo impera (os vrdadeiros donos desses cursos são na grande maioria desembargadores, juízes, procuradores, e eoutros... Esta é a hora de exprimir a nossa opinião, encaminhe a sua idéia para a PGU pelo E-mail: pgu.assessoria@agu.gov.br

Elisa Reis Bacharel sem trabalho 05/07/2011 4:33

Nossa. o que mais deve ser cobrado na porcaria da prova milionária da Ódio A Bacharéis-OAB?etiqueta?Sr. Marco?

Eloisio Gerente comercial04/01/2011 0:49 Responder

Pergunto ao ilustrissimo professor! 1-O senhor fez o exame da OAB? 2-Como professor, seus alunos tem que novamente serem avaliados? Que tipo de conhecimo o Sr passa para eles? Prezados bachareis em Direito: Vamos abraçar uma luta a nível nacional junto aos poderes constituídos deste país para fazer valer o nosso certificado/diploma de bacharel em direito e assim exercermos nossa profissão de advogado sem a necessidade de se fazer esse famigerado exame de ordem da OAB, que é segundo o TRF 5ª região, com fundamento no artigo 5º, inciso XIII, da CF/88, inconstitucional. Vamos todos boicotar esse exame e vamos lutar pelos nosso direitos. Visitem o MNBD-RJ

Elisa Reis Bacharel sem trabalho 05/07/2011 4:35

É esse o caminho!!!!Vamos todos.

Carlos Nascimento Empresário e Bacharel em Direito04/01/2011 1:04 Responder

Por se tratar da única profissão em que um diploma deve ser avaliado por duas instituições distintas, gostaria de fazer uma proposta. Se todos os advogados fizerem novamente a prova da OAB e tiverem êxito nesse novo modelo de exame, poderemos começar a falar em igualdade. Essa vergonha, e esse lucro exagerado com os concursos, desgastam a imagem da OAB, que no meu ponto de vista, tem que ter fim.

Anizio Antonio bacharel em direito 04/01/2011 11:12

duvido se a OAB pedir para seus advogados fazerem novas provas vao passar.

seu nome ADVOGADO 04/01/2011 13:15

Eu, como advogado, passei recentemente no exame de ordem, cerca de 1 ano, teria o maior prazer em refaze-la, pois não temo que uma prova seja capaz de reduzir meus conhecimentos jurídicos, fico pasmo com a preocupação de alguns em fazer uma prova que mete mais medo do que realmente seja dificil... preocupações imotivadas esta de vocês, o exame de ordem é uma prova muito fácil. Caso queiram que os advogados militantes tenham que fazer novamente a prova, serei voluntário com o maior prazer.

pedro henrique empresario 05/01/2011 15:08

Prezado. Não se trata de \\\"medo\\\" como colocaste, simplismente, não é uma prova que vai dizer se sou bom ou não. Por voçê ter passado, PARABÈNS deves ser um \\\"estupendo advogado\\\", e porisso mesmo sabes que uma prova não prova nada, apenas a arbitrariedade desta chamada \\\"prova de qualidade\\\", inclusive pelo oque \\\"defendem\\\" esta prova, quem passar ja é JUÌZ ou DESEMBARGADOR. Cordiais Saudações

seu nome sua profissão 07/01/2011 23:42

O recurso está na Procuradoria Geral da República (PGU) para análise e poderá retornar ao Supremo ainda este mês, para uma decisão colegiada da Suprema Corte. A ?Ficha Limpa? ganhou porque muitos se manifestaram a favor, enviando emails: Não cabe a OAB, medir a qualidade do ensino mesmo que jurídico; A profissão de advogado é a única no país, em que o detentor do diploma de Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, ou do Bacharel em Direito, para exercê-la, necessita se submeter a um exame, ferindo o princípio da isonomia; O montante que a OAB arrecada a cada exame, é uma quantia bastante vultuosa (para onde vai essa arrecadação?); Os cursos preparatórios são verdadeiros cartéis, e o corporativismo impera (os vrdadeiros donos desses cursos são na grande maioria desembargadores, juízes, procuradores, e eoutros... Esta é a hora de exprimir a nossa opinião, encaminhe a sua idéia para a PGU pelo E-mail: pgu.assessoria@agu.gov.br

Marcelo lucena Bacharel04/01/2011 1:42 Responder

Sou bacharel em Direito, ainda não passei no exame de ordem, sou a favor do exame, mas sou contra por ser duas fases, acho que deveria ser somente uma prova. Tendo em vista, que o modo de elaboração dos exames não são para testar os conhecimentos mínimo dos bacharéis, e sim para reprovar os mesmos e obter mais dinheiro e encher os cofres do CONSELHO FEDERAL da OAB. Esse e o meu entendimento. E só para lembrar que o exame de ordem não mede conhecimento de ninguém.

RUY VARELA Estudante de Direito04/01/2011 2:46 Responder

Sou a favor do exame da Ordem,porém temos que achar uma solução para esta 1ªe 2ª ,não é admissível que aquele que foi aprovado na 1ª fase não tendo sucesso na 2ª ,tenha que fazer de novo uma outra 1ª fase.Isto é um absurdo! Sê o intuito é de mensurar o conhecimento não temos que falar em varias 1ªs fases uma vez aprovado. Temos que corrigir este erro.

Marco Nascimento Advogado 04/01/2011 4:18

Perfeito, concordo. Mais um lúcido com idéias ordenadas. Parabéns.

Alessandra Oliveira Bacharel em Direito e Autônoma 04/01/2011 16:50

Realmente, é lamentável existir exarcerbada dificuldade para aprovação dos bacharéis sendo que, a maior parte dos advogados atuantes não precisaram mensurar seus conhecimentos para conseguir o registro. Simplemente se inscreveram e ponto! Bom, penso que o problema maior não é da OAB e sim do MEC que permite a abertura de tantos cursos de Direito por ai sem realmente verificar a qualidade dos mesmos. Mas, já que é assim, que precisamos nos submeter a este \\\"VEXAME\\\", como diz outro colega acima, pq duas fases? Pq inscrições mais caras que qqer concurso público por aí? Acho que fico mais passada com o valor das inscrições do que com o exame em sí. Outro ponto triste, é o fator de quem não passa na segunda fase ter que refazer a primeira. Acho tão injusto. Acho que a OAB poderia pensar num sistema onde, aquele que tivesse aprovação na primeira fase, poderia tentar a segunda, mesmo sem êxito, por uma qtde x de vezes e por um determinado tempo, já que a legislação muda constantemente. É, vamos aguardar o que isso tudo vai dar. Uma hora a gente consegue nossa aprovação gente! Mas, que é terrível ver a oab enriquecer às nossas custas... isso é! O objetivo realmente maior tem sido ganhar dinheiro, não mensurar o nível dos profissionais.

pedro henrique empresario 05/01/2011 15:16

Amigo Ruy. Como és estudante de direito, vai a faculdade regularmente, presta prova, faz trabalhos etc..., vais concordar comigo mais ainda, quando digo que esta prova, não prova nada! nunca ocorreu com voçe, por algum motivo, saber a disciplina e ir mal na prova? Tu com certesa ja sabe que no direito ha muitas versões do mesmo tema, ou seja já vi em minha vida CDFS com notas autissimas pedalarem em vestibulares e hoje infelizmente não estão aonde mereciam, e em contrapartida, amigos que em época de universidae, levavam na brincadeira e hoje são ÒTIMOS PROFISSIONAIS, Talves por este angulo, recebendo bem mais do que mereciam. Passaram de primeira em vestibulares de universidades federais. Vou ficar poraqui, da uma refletida. saudações

João Paulo acadêmico 05/01/2011 22:39

Colega Alessandra, só para informar o resultado do agravo interposto pela OAB, foi deferido. O exame continua da mesma forma, ou seja, toda cúpula engordando o cófre. Não sei se você tomou conhecimento da divulgação de um dos membros do conselho federal da OAB do Ceará, esse senhor (que não se identificou) estregou todas as factruas da OAB e uma delas, que a mesma tem um percentual para aprovar e outro para reprovar, e quanto aos recursos, não correção precisa, então, como acreditar numa institutição dessa.

Carlos Henrique de Souza Campos Consultor de Empresas e Bacharel em Direito04/01/2011 2:53 Responder

Todos sabemos que o advogado exerce um papel fundamental no estado de direito. Tanto assim é, que é considerado como um dos esteios de um sistema jurisdicional, juntamente com magistrados e ministério público. Sem advogado não se exerce a tutela jurisdicional do estado, restando inócua toda e qualquer ilação neste sentido. Temos sentido que existe uma grande tendência em se extinguir uma das providências que, efetivamente, barram a possibilidade do exercício irresponsável de uma profissão tão importante como a da medicina, as engenharias, etc. o Exame da Ordem, se verificado como incoveniente como ora se apresenta, pode e deve ser repensado, sua legalidade ora combatida deve ser aprimorada, mas não extinta. Deve-se, isto sim, exigir que outros segmentos da educação adotem sistemas iguais de aferição técnica, ética e operacional, para que não vejamos ou até vítimas de \\\"erros crassos\\\" de conduta que fazem com que obras desabem, erros básicos de administração de medicamentos ocorram, etc. etc. Faculdades existem em demasia, aliás o Brasil, por si só, excede em muito o número de Faculdades de Direito existentes no mundo todo. Temos então docentes preparados para toda essa demanda. Não se trata de elitismo, mas tão somente de examinar com um olhar crítico um assunto que assola à todos nós: somos um país de bacharéis e isso é bom, mas não podemos nos tornar um país irresponsável colocando no exercício de uma função pública (e a advocacia é isso) pessoas que não tenham provado que estão aptas ao seu exercício. Prudência, cautela e respeito ao jurisdicionado. É o mínimo que se pode dar à eles.

Marco Nascimento Advogado 04/01/2011 4:12

Sinceramente, parabéns por suas considerações, nobre Colega Bacharel. Finalmente encontro aqui um cidadão lúcido que pensa primeiro no social e depois em si próprio. Sua colocação é perfeita. Concordo que pode haver mudanças, mas extinção jamais. É necessário um freio nos disparates que podem ocorrer caso o exame seja extinto. A Advocacia deve ser levada a sério e servir de exemplo para as demais profissões. Não pode servir de meio para que pessoas sem ética, sem escrúpulos, ponham em risco o direito alheio. Cordiais saudações.

Cesar Augusto Autônomo e Bacharéu de Direito 04/01/2011 11:43

O Senhor não respondeu se fez o Vexame de Ordem? Eu chamo de Vexame de Ordem, pelas fraudes e falcatruas existentes neste exame. Por favor entrem no site do MNDB-RJ, leiam todas as notícias no YOUTUBE, onde existem diversasnotícias, incluindo a forma de correçao das provas e o que ficou mais flagrante é a declaração de uma senhora que fez parte da banca que corrigem as provas , onde mostra na gravação que existem favorecimentos nas aprovações dos exames. Então não venham falar em seriedade na advocacia, que NÃO deve servir de exemplo para as demais profissões.

Marco Nascimento Advogado 04/01/2011 14:21

Claro que fiz e passei dois meses antes de me formar. Não há o que temer se você fez uma boa faculdade. E não fiz cursinho ou preparação qualquer, somente a faculdade.

seu nome sua profissão 04/01/2011 21:34

SORTE!

Marco Nascimento Advogado 05/01/2011 0:09

Sorte meu caro é coisa que não conto nunca com ela. É competência mesmo, mas claro depois de muito estudo e dedicação, mesmo tendo que trabalhar durante todo o dia.

seu nome sua profissão 07/01/2011 22:34

Pura Sorte!!!!

Fernando Bacharel em Direito04/01/2011 3:03 Responder

Apoio o que foi escrito por Noel Magioli, pois acredito que a função de se afaliar o ensino superior é do MEC/INEP, por isso foi criado o CONAES e o ENADE (pela Lei 10.861/04), quem não conhecer e tiver a curiosidade poderia ler a lei, principalmente o art. 10 parágrafo 2º, inciso II (que prevê a cassação da autorização de funcionamento da instituição de educação superior ou do reconhecimento de cursos por ela oferecidos). Se ocorreu, não li e nem ouvi dizer que a OAB fizesse o pedido para fechamento de cursos de Direito por não estarem \\\"ensinando\\\" de forma condigna com o que se espera com a formação acadêmica. Gostaria de saber, o motivo pelo qual não é divulgado o padrão de resposta das provas no dia seguinte à realização das mesmas, ou até mesmo dois dias após, assim como se faz na primeira fase, não seria uma forma mais transparente de se mostrar a lisura das provas? Por que somente no dia ou próximo ao dia do resultado final, liberam o gabarito? O gabarito muda durante a correção das provas? Quanto à alegação de que os bacharéis que terminam o curso não podem advogar, porém podem dar aulas, isso quer dizer, quem não sabe \\\"advogar\\\", sabe dar aulas? Alguém já observou que no edital refere-se a uma prova prática e 5 questões, porém, as questões são compostas de sub-itens \\\"a\\\" e \\\"b\\\", tornando-se 10 questões em vez de 5. Por estas e outras questões, que sou contra o exame de Ordem, que o Governo Federal cumpra sua função, a qual é, a de avaliar as instiutições de ensino superior e aquelas que não estiverem \\\"ensinando\\\" corretamente, que sejam fechadas.

Glaucio Estudante de Direito04/01/2011 3:32 Responder

Manifesto aqui o meu apoio aos que são contra esse exame absurdo. Todos estudantes já são examinados exaustivamente durante o curso de Direito e se a OAB acha que as faculdades/ universidades não preparam bem os seus alunos deveria a propria OAB \\\"apertar\\\" as instituições a fim de preparar melhor esses futuros profissionais. Eu concordaria com esse exame se ao final a todos os cursos superiores no Brasil fosse imposto esse tipo de prova, assim a justiça seria mais adequada. Porque um bacharel pode ser avaliado pela Ordem e um Médico ou Dentista ou Enfermeiro não pode? O exame da OAB é um absurdo que garante bons dividendos aos seus adminstradores. Mas sou apenas um estudante, não é mesmo?... Lamentável...

FREDERICO NONINO estudante de direito04/01/2011 3:55 Responder

SOU ABSOLUTAMENTE CONTRA O EXAME DA OAB. PORQUE APENAS O ESTUDANTES DE DIREITO APÓS ESTUDAREM POR CINCO ANOS TEM QUE FAZER OUTRO EXAME?? NÓS ESTAMOS QUERENDO ENGANAR QUEM?? CAROS AMIGOS, VOCÊS SABIAM QUE A OAB FATURA MILHÕES COM O EXAME, HEIN?? A OAB DEVE SE PREOCUPAR EM MELHORAR O ENSINO NAS UNIVAERSIDADES, POIS ASSIM, TERÍAMOS PROFISSIONAIS CAPACITADOS.

Marco Nascimento Advogado 04/01/2011 4:22

Então? Quer dizer que você concorda com a falta de capacitação técnica de muitos bachareis. Então porque a OAB deve extinguir o exame e colocar em risco o direito alheio? Você colocaria a defesa de seu direito na responsabilidade de alguém assim?

FERNANDA ANTUNES advogada 04/01/2011 15:19

Quem deve fazer isso é o MEC, a OAB na intenção de conter o ingresso no mercado de trabalho de profissionais mal preparados aplica o exame. Quem não passa no exame da ordem deveria se voltar contra a faculdade que ofereceu um serviço ruim, inclusive com ações requerendo até perdas e danos.

Carlos Drummon Neto ASSESSOR JURÍDICO 04/01/2011 21:16

Marcos Nascimento .Ñão companheiro essas falta de capacitação técnica existe também nos advogados, estes sim colocam em risco o direito alheio e com autoridade de vontade, faça uma pesquisa, veja quantos advogados a OAB esta processando no Pais e veja quantos bacharéis em Direito está sendo processo pela OAB \\\"nenhum\\\". A OAB que não esta fazendo seu serviço correto, sim esta colocando a defesa e a responsabilidade de alguém nas mãos de advogados inescrupulosos, pois ainda perde tempo com eles em processos administrativos em vez de EXPULSA-LOS.

Tícia Mévio sua profissão 04/01/2011 21:31

Carlos Drummon Neto Em poucas palavras, voce disse tudo!!!

Marco Nascimento Advogado 05/01/2011 0:21

Carlos, primeiramente devo lhe dizer que para se responsabilizar alguém por um erro no processo, este deverá ter assinado as peças, portanto isso sendo prerrogativa de advogado, não poderia a OAB responsabilizar um bacharel, posto que este não aprece como procurador responsável, mas com plena certeza esses inúmeros advogados processados o são por muito provavelmente ter assinado trabalhos feitos por bacharéis. Incautos, confiaram e talvez se deram mal. Por isso não vai encontra bacharéis respondendo administrativamente, somente advogados. Provavelmente bacharéis com o português tão ruim quanto o seu. Tenha a paciência, poupe-nos de seus comentários infelizes e sem lógica.

ASSIS Consultor Juridico04/01/2011 4:09 Responder

PROVA DA OAB, ABAIXO JÁ

seu nome sua profissão 07/01/2011 23:44

O recurso está na Procuradoria Geral da República (PGU) para análise e poderá retornar ao Supremo ainda este mês, para uma decisão colegiada da Suprema Corte. A ?Ficha Limpa? ganhou porque muitos se manifestaram a favor, enviando emails: Não cabe a OAB, medir a qualidade do ensino mesmo que jurídico; A profissão de advogado é a única no país, em que o detentor do diploma de Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, ou do Bacharel em Direito, para exercê-la, necessita se submeter a um exame, ferindo o princípio da isonomia; O montante que a OAB arrecada a cada exame, é uma quantia bastante vultuosa (para onde vai essa arrecadação?); Os cursos preparatórios são verdadeiros cartéis, e o corporativismo impera (os vrdadeiros donos desses cursos são na grande maioria desembargadores, juízes, procuradores, e eoutros... Esta é a hora de exprimir a nossa opinião, encaminhe a sua idéia para a PGU pelo E-mail: pgu.assessoria@agu.gov.br

Eudes Garcia Vasconcelos Acadêmico de Direito, Gestor de Negócios e Licitações04/01/2011 5:24 Responder

Garcia - Estudante de Direito O que pude presenciar com o advento do Exame da Ordem por aqueles que foram os seus idealizadores é que se estes fossem submetidos a esse exame será que os mesmos ainda continuariam a defende-lo caso fossem reprovados, talvez o Dr. Marco Nascimento seja um deles, sou totalmente contrário a esse Exame, até pelo simples fatos de que existem bacharéis que fazem parte da OAB, ou seja, lotados em alguma secção, dando aulas, aonde nas quais, os mesmos são obrigados a defender que o Exame é o que condiciona o recém formado em Direito a exercer a sua carreira, portanto, quando tomei conhecimento da iniciativa dos dois colegas que ingressaram com Ação para ter o direito de serem inscritos na OAB sem realizarem o Exame da OAB pelos motivos retro mencionados nas ações, então, VIBREI MUITO e também já imaginei que a decisão dada sabiamente pelo Juiz competente iria mudar por completo o entendimento aplicado atualemnte e, abrindo uma gigantesca cratera nos cofres da OAB, pois esse exame é uma verdadeira roubalheira, em nada contribui para aumentar, aprimorar ou até solidifcar conhecimento do acadêmico, pois em duas etapas seriam suficientes para suprir o conhecimento adquirido em 05 anos??? Para mim esse exame não passa de ser um fator de inibição e frustação de sonhos de muitos academicos. Dessa forma, sou amplamente favoravel as palavras de Noel Magioli. Acadêmicos e futuros bacharéis diga NÃO a esse Exame, vamos lutar para bani-lo.

Marco Nascimento Advogado 05/01/2011 14:57

Garcia, não sou um dos criadores do exame, me formei em julho de 2008 e passei no exame em maio de 2008, é isso mesmo. E mais, o exame não é para suprir o aprendizado que faltou nos cinco anos, até porque não se aprende tudo ,nem por toda a vida, como você falou, mas sim para aferir competência técnica básica. Acho inclusive que deveria cobrar também a língua portuguesa, assim você se dedicaria também a esta matéria, tão essencial ao mumus postulatório.

pedro henrique empresario 05/01/2011 18:25

Cara, POR FAVOR, para de falar em estudar portugues! Quando o EXCEPCIONAL ADVOGADO tiver tempo, entra em PÉROLAS DO DIREITO. Ai tu veras ADVOGADOS, JUIZES, DESEMBARGADORES e acho que alguns da tua época escrevendo com alguma dificuldade. O que estamos aqui discutindo é um exame que nao examina nada!!! Voçe deve ser JUIZ OU DESEMBARGADOR? PELO SEU CONHECIMENTO EM LINGUA PORTUGUESA MESMO SEM TER TEMPO AINDA DE SER JUIZ JÁ O DEVE SER. ABRAÇO

seu nome sua profissão 07/01/2011 23:09

Concordo com você Pedro Henrique. Estamos discutindo o Exame da OAB. Não temos que perder tempo com os erros de português, ou exaustivos pronunciamentos sobre a vida de cada um. Aquiesço que cada pessoa tem algo a dizer sobre si, é inerente ao ser humano! Particularmente, a manifestação do presidente da OAB nacional, senhor Ophir Cavalcante, reiterando a suspensão dos efeitos da liminar, é bastante desastrosa. Não cabe a OAB preocupar-se ?com a importância da qualidade do ensino jurídico?. Essa ?preocupação? é de competência do MEC. Quanto aos erros, fica difícil, digitar aqui, sem incorrer em algum erro. O exame da ordem, não avalia competência, só atinge os objetivos particulares da OAB. Segundo Claudio Moura Castro, na Veja 21/06/2000 sobre a qualidade do ensino superior: ?seus parcos êxitos na educação, o Brasil se converteu no país com o mais abrangente sistema de avaliação. Não é pouca porcaria. Temos o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica, Saeb, para o ensino fundamental e médio e o Exame Nacional do Ensino Médio, Enem, para a entrada no superior. Temos o Provão, que ninguém mais tem. Finalmente, temos a avaliação da pós-graduação. E agora, que fazemos com isso tudo? O primeiro desafio é entender o que dizem os testes. Mas os conceitos subjacentes são baseados em métodos estatísticos pouco intuitivos. A estatística, que serve para enganar, pode também servir para iluminar, desde que saibamos interpretá-la. Com avidez, olhamos para as tabelas e perguntamos: os resultados estão bons ou maus? Infelizmente, esta é justamente a pergunta que esses testes não podem responder. Nas medições sociais não há metro ou quilo, padrões absolutos de medida. Há apenas comparações. Podemos saber se essa escola ou esse país está melhor ou pior que outro. Mas, ao contrário do metro, que é uma distância marcada em uma barra de platina em Paris, não há um padrão de educação guardado em um museu. Alguém poderá arbitrariamente definir um nível mínimo a ser atingido. Mas até agora ninguém decretou quanto se deve saber para atingir um nível \\\"bom\\\" de educação. Os testes, portanto, falam de melhor/pior e não de bom/ruim. Os testes são construídos para medir diferenças de conhecimento, tanto entre os que sabem muito quanto entre os que não sabem quase nada. Para isso, incluem perguntas fáceis para diferenciar os ignorantes e outras muito difíceis para diferenciar os sabidões. Daí a regra prática de desenhar um teste: em média, os respondentes devem acertar a metade das questões. Portanto, quando as tabelas mostram testes com médias próximas de 50% de acerto, vivas para o fabricante! É um bom profissional. Se é assim, é óbvio que não podemos brandir as tabelas e dizer: vejam só que desastre está nossa educação, os alunos só acertaram metade do teste! Isso é quase tão tolo quanto se escandalizar com o fato de cerca de metade dos alunos estar abaixo da média. Ora, só pode ser assim, pois a média é o centro de gravidade da distribuição, um tanto de alunos para cima e outros para baixo. Nem sempre se atinge o alvo dos 50% de acerto. Portanto, é um erro lamentável concluir, por exemplo, ao encontrar as médias inferiores, que a educação da 8ª série está pior que a da 4ª, ou que o Provão piorou. Pode ser que o teste seja mais difícil. O Provão é vítima de outros erros de interpretação. A rigor, a nota E diz apenas que os outros são melhores. Mas não diz se o curso é bom ou mau. Daí o absurdo de dizer que a educação superior está péssima porque há tantos cursos com D e E. Se o Provão fosse aplicado exclusivamente nas melhores universidades do mundo, ainda assim 13% ganhariam nota E, simplesmente por serem \\\"menos ótimas\\\" do que as outras. Da mesma forma, como as notas são comparativas, se muitos cursos melhorarem, o que ficar parado terá nota pior, apesar de não haver piorado. Outro erro clássico: verificou-se que dentre os cursos de nota A, há duas vezes mais públicos do que privados. O que provoca as pressurosas interpretações de que o privado é pior que o público. Mas para dizer se o privado é pior que o público temos de olhar a média de toda a distribuição, não apenas seu topo. Disso tudo, fiquemos com uma regrinha fácil: podemos comparar dois cursos (ou até países) cujos alunos fizeram o mesmo teste. Fora disso, os números não dizem mais nada. Mas isso já é de uma utilidade incalculável. Hoje sabemos quem é quem na educação brasileira. Quais Estados brilham ou fenecem, que faculdades oferecem o melhor ensino, quem está fazendo força para melhorar. Está tudo nos jornais ou no website do MEC/Inep.? Como se não bastasse, temos uma OAB, disputando lugar com o MEC, para medir a aprendizagem do bacharel em Direito....

Marco Nascimento Advogado04/01/2011 5:49 Responder

EU AVISEI. VÃO ESTUDAR... Supremo cassa liminar que beneficiava alunos reprovados no Exame de Ordem Brasília, 03/01/2010 - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Cezar Peluso, acaba de cassar liminar que garantia a carteira de advogado a dois bacharéis de Direito reprovados no Exame de Ordem em Fortaleza, no Ceará. A liminar havia sido concedida pelo desembargador Vladimir Souza Carvalho, do Tribunal Regional Federal da 5ª Região. O pedido para a derrubada da liminar foi feito pelo presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante.

Gabriela Ribeiro Estudante 04/01/2011 19:46

Concordo com as opiniões que o Dr. expressou em vários posts neste site. Sou estudante de direito, agora no 10º período. Prestei o último Exame de Ordem, quando ainda estava no 9º período, sem cursinho, sem macetes, sem decoreba, só com o estudo da Faculdade e fui aprovada. Na 2ª fase, escolhi direito civil e todos me diziam que estava louca! Isso só ajuda a comprovar que o tempo perdido por estes que clamam pela inconstitucionalidade do Exame deveria ser melhor aproveitado em estudo para aprovação no Exame. Como estudantes do direito, devemos é exigir a obrigatoriedade do exame para as demais profissões, isso sim, é sinônimo de isonomia! Devemos fazer o justo, o correto, o legal e não o mais fácil, o \\\"deixa rolar\\\".

ANDRÉA CORREIA ESTUDANTE DE DIREITO 04/01/2011 20:37

PRIMEIRAMENTE ,MEUS PARABÉNS PELA APROVAÇÃO, E É ASSIM QUE SE FALA E SE FAZ GABRIELA,ESTUDAR É O QUE ESTÁ FALTANDO PARA A MAIORIA DOS ESTUDANTES. MUITO INTELIGENTE ISSO QUE VOCÊ FALOU \\\" Como estudantes do direito, devemos é exigir a obrigatoriedade do exame para as demais profissões, isso sim, é sinônimo de isonomia! Devemos fazer o justo, o correto, o legal e não o mais fácil, o \\\"deixa rolar\\\". CONCORDO COM VOCÊ!!

seu nome sua profissão 04/01/2011 21:41

Conheço pessoas que passaram ainda quando estavam estudando, e quando tiveram que fazer mesmo, nao atingiram a aprovação... Voce vai entrar com recurso para pegar a carteirinha, ou, vai apostar em um novo exame?

Carlos Drummon Neto Assessor Jurídico 04/01/2011 22:11

Bem, parabéns companheiras Andréia e Gabriela, pois, estudar é muito bom mesmo. Quando se tem papai e mamãe bancando tudo, dando leitinho na boca, jantinha quente, fim de semana pegar um filminho nossa é tão bom estudar sem ter conta de luz para pagar sem conta de água para pagar sem ter ninguém para te encher o saco o dia todo no seu serviço de casa para a escola da escola para casa, nossa é muito chato essa vida de \\\"patricinha\\\" deve dar nos nervos mesmo, muito cansativa, nossa e muito gostoso estudara assim, com papai e mamãe dando tudo, dormindo até meio dia. Eta vidão até eu queria uma vida assim eu passava em tudo até para Astronauta no Cabo Canaveral eu passava. É vamos deixar ROLAR, APROVENTEM, PARA FAZER EXAME PARA Pedreiro, Mestre de Obra, Carpinteiro, Mecânico de Automóvel, Professor, \\\"principalmente Universitário e que seja formado em Direito\\\", Motorista de Caminhão \\\"olha tá em alta, tão dando premio até de mil reais para quem se formar e tirar a carta\\\", mas ai tem que fazer a Prova da Ordem dos Motoristas para poder dirigir um Caminhão de nove toneladas, nós não queremos um motorista que não fez a prova da ORDEM DOS MOTORISTAS dirigindo irresponsavelmente na Rodovia e matar um monte de gente com sua irresponsabilidade. Não é mesmo. Aproveitem também para fazer a prova da ORDEM DOS POLITICOS DO BRASIL a OPB, para ser político tem que fazer duas prova uma de português e outra de Direito Constitucional, NÃO PASSOU TÁ REPROVADO FIM DE PAPO. Pois o que tem de Político que não sabe nem os direitos e deveres do cidadão não tá no gibi. Por isso que tem esses políticos que só sabe lê e Escreve e ainda vai ser DEPUTADO FEDERAL Não vamos esquecer-nos da prova para Dentista sim muito dentista é Doutor, Meu Deus vai abrir minha boca para um dentista que não fez a prova da ODB \\\"ORDEM DOS DENTISTAS DO BRASIL\\\" ele vai arrancar todos meus dentes principalmente se eu for deficiente mental, \\\"nossa que horror\\\". Prova principal que deve ser feita e com a máxima urgência É PARA DESEMBAGADOR SIM! VERDADE! O que tem de desembargador dando seus processos para os \\\"\\\"\\\"ESTAGIARIOS \\\"\\\" FAZER não é mole não, Tem desembargador ai que não sabe nem pegar num computador, não sabe nem digitar, não sabe não mesmo, tá gaga, confunde autor com réu e vise-versa é só bagaceira, tem uma desembargadora no Goiás em Goiás que é uma VERGONHA NACIONAL, só não vou citar o nome da vovozinha senão posso ser processado, mas que é uma vergonha até para mim que sou brasileiro. Como uma criatura daquela da um parecer ridículo num processo, ou ela esta louca ou esta ficando louca E O PIOR DE TUDO NÃO É ISSO É O RESTO ACOMPANHA-LA NA VOTAÇÃO A FAVOR, PASMEM OS SENHORE É O FIM DA PICADA MESMO. Eu me pergunto até quando este povo brasileiro vai criar vergonha na cara e parar de mascarar a verdade em fazer falsos julgamentos tudo para favor os poderosos. Portanto, minhas queridas eu não troco os meus conhecimentos vividos e diga-lhe muito bem vividos, com classe de burgueses metidos a bestas e que acham que sabem tudo, mas no fundo acabam eles mesmo se enforcando com a própria corda.

Marco Nascimento Advogado 05/01/2011 0:33

Parabéns nobre colega Gabriela, comigo foi exatamente assim também, direito civil na 2ª fase, sem cursinho ou qualquer outra ajuda, todos diziam que eu era louco. Não me importei pois tinha convicção de meus conhecimentos e como você, fui aprovado. Isto prova que é possível desde que se dedique. Gostaria que todos se norteassem por nossas experiências bem sucedidas. Mas ao contrário, como você brilhantemente colocou é mais fácil deixar rolar, só que as vezes rola por cima da gente.

Marco Nascimento Advogado 05/01/2011 0:40

Caro sr. Carlos Drumon, para seu conhecimento fiz meus 5 anos de faculdade tendo de trabalhar para sustentar 2 filhas e minha esposa e tendo ainda que aguentar cliente chato enchenco o meu saco. E ainda tendo de pagar R$600,00 mês. Não tive leitinho quente não, ao contrário, as vezes faltava leite em casa. Isso não é desculpa não. Não tente fazer parecer mais dificl para você do que para os outros. Lamentável sua colocação.

Marco Nascimento Advogado 05/01/2011 1:30

É, realmente sr. Carlos Drumont, data máxima vênia, com um nome desses e com um português tão chulo, com idéias tão desordenadas e descabidas, francamente o sr. é um belo exemplo de porque o exame é necessário. Infeliz daquele que tem sua assessoria.

Gabriela Ribeiro Estudante de direito 05/01/2011 18:15

Não preciso entrar com recurso pois o Edital do Exame previa a possibilidade do aluno fazer a prova no 9º período. Após o resultado definitivo, a OAB vai me dar um certificado de aprovação e, após a colação de grau, posso protocolar o pedido da \\\"vermelhinha\\\".

Gabriela Ribeiro Estudante de direito 05/01/2011 18:24

Caro Carlos Drumon Neto. Em primeiro lugar, quem e você para me julgar quando não sabe nada da minha vida, o que fiz, o que deixei de fazer ou que tive que me submeter pra poder me formar e passar no Exame da Ordem. Você do alto desse seu pedestalzinho ridíciulo, ofendendo a todos e reclamando da merda de vida que tem, poderia rever seus conceitos e começar a buscar uma vida melhor pra você. Se quer saber, duvido muito que você seja assessor jurídico de alguém, até porque com esse seu português risível e crasso, acho duvidoso ser contratado. Mas o mundo está cheio de pessoas nobres, e alguém pode ter pena dessa sua historiazinha pra boi dormir, o que eu nunca vou ter. Não suporto pessoas como você que tem os cinco dedos apontados para o outro e emitem julgamentos sem pestanejar. Quando à minha vida.... digo-lhe sofri mais do que você possa imaginar e talvez mais do que você sofreu pra chegar onde cheguei e, graças a minha determinação e necessidade, irei ainda mais longe. Eséro um dia poder cruzar com você no meu caminho. Só cuidado, porque sou um rolo compressor e passo por cima de você sem pensar! Pe;çp desculpas aos demais colegas que não precisavam perder tempo lendo este post.

ANDRÉA CORREIA ESTUDANTE DE DIREITO 05/01/2011 20:03

Sr.Carlos Drummon Neto, QUAL É O SEU PROBLEMA HEIN? AINDA ESTÁ TENTANDO SER ASSESSOR JURÍDICO É??? TEM QUE ESTUDAR SABIA PARA SER ASSESSOR JURÍDICO??, MAS NÃO DESISTA, ES-TU-DE !!!!!!QUE O SENHOR CONSEGUE, MESMO SEM LEITINHO QUENTE VIU?! BOA SORTE!!!!!!!

Gabriela Ribeiro Estudante de direito 05/01/2011 20:28

Andréa, gostei da sua resposta e obrigada pelo elogio. Mas, você sabia que a falta do leite é crucial para o não desenvolvimento mental das pessoas? As crianças que tem carência de vitaminas, principalmente as encontradas no leite, sofrem muito quando em fase adulta, pois o desenvolvimento intelectual fica comprometido. Fazer o quê... e nós é quem pagamos o pato!

Gabriela Ribeiro Estudante de direito 05/01/2011 20:28

Não preciso entrar com recurso pois o Edital do Exame previa a possibilidade do aluno fazer a prova no 9º período. Após o resultado definitivo, a OAB vai me dar um certificado de aprovação e, após a colação de grau, posso protocolar o pedido da \\\"vermelhinha\\\".

seu nome sua profissão 07/01/2011 23:57

De novo? Voce já publicou esse comentário em resposta! Maravilhas da era do computador: copy/paste... Escreve no word, faz revisão, copia e cola... Parabéns!!! Que bom que agora não precisa mais de recurso, melhor ainda será quando não houvermais o exame! A competência, será mostrada no dia-a-dia! Parabens pelo vocabulário, denota-se que ao sentir-se pertubada com algo, perde o controle... Isso não será bom, quando estiver exercendo a profissão!

Gabriela Ribeiro Estudante de direito 10/01/2011 19:26

Acho estranho falar com uma pessoa sem nome, mas vamos lá. Obrigada pelos elogios. Apesar de não concordar com a sua opinião sobre o Exame da Ordem, concordo com o que falou sobre mim (\\\"denota-se que ao sentir-se pertubada com algo, perde o controle... \\\"), e é verdade. Sei que preciso e irei melhorar. Só não entendi a relevância desse argumento quando a discussão é outra. Mas, tudo bem... afinal, quem não tem cão, caça com gato, né!

Edson Guimarães Estudante04/01/2011 11:31 Responder

Caros colegas estudantes de Direito, Já de início esclareço que sou contra o exame da OAB, por inúmeras razões já descritas, observo a preocupação exacerbada com a quantidade de Universidades de Direito; com a quantidade de bacharéis; com os \\\"problemas\\\" advindos da má qualidade destes; etc.. etc.. Ora, alguém acredita que entrar nesse clube fechado, que só objetiva a RESERVA DE MERCADO, inclusive de muitos dos que estão fazendo mil besteiras por aí, será fácil? Ninguém está preocupado com qualidade alguma. Se fosse esse o caso defenderiam a mudança do exame bem como a verificação períodica da evolução profissional. Ora querem que eu acredite que o exame da OAB transforme alguém em gênio? Olhem em volta, vejam a quantidade de incompetentes existentes hoje que estão no clube, por que não se preocupam em medir o conhecimento desses também? Simples, esses estão no clube mas não oferecem perigo, o mercado já está acabando com eles, mas o novos, estes sim podem trazer perigo. Deveria existir uma forma de avaliação periódica sim, nunca um exame que só objetiva a manutenção de uma RESERVA DE MERCADO.

Marcos Estudante de Direito04/01/2011 11:48 Responder

Caros Colegas, me deparo com algumas pessoas no último ano do curso de direito que não tem condição nenhuma de ser advogado, logo, estes seriam barrados pelo exame e não poderiam exercer a advocacia, mas me ponho a pensar nesta mesma situação quando não havia o exame da ordem, os mesmos \\\"topeiras\\\"daquela época são os advogados de hoje, e lhes garanto que ninguém antes de contrata-los procuram saber se fizeram o exame ou não, pondo em risco seu patrimônio como se fala nos comentários, eu acredito que quanto mais \\\"incompetentes\\\" no mercado maior valor se dará aos competentes, tendo eles feito o exame ou não.

franco funcionario publico04/01/2011 12:00 Responder

Senhores advogados defensores desta lei, eu sei que tem advogado passando necessidade, como outros profissionais, tais como o jornalista, o contabilista, o administrador enfim, mas isso é o preço de um país que vai se desenvolvendo e formando técnicos, o mercado vai se funilando, e é natural que assim o seja, e tentar barrar essa concorrencia natural gerada pelo mercado com uma lei é cavar buraco na água. Estar claro que essa lei não se sustentará, isto em um curto espaço de tempo. Os argumentos defendidos pela OAB e os demais interessados não é racional e nem justo. Sabemos que o interesse real é restrição de mercado. Falar que resta ao Bacharél em Direito o magistério é outra inverdade, a menos que ele esteja disposto a doar mais quatro anos de sua vida para fazer um mestrado, pois as universidades só estão aceitando os mestres. Então fica assim uma opção no magistério, mas o castigo será de quatro anos a mais e mais despesas para o desgraçado que já investiu o último tostão em uma graduação que lhe forma em nada.

seu nome sua profissão 04/01/2011 20:28

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!!!!!!!!!!!!1

Cesar Augusto Autônomo e Bacharéu de Direito 05/01/2011 12:32

Parabén Franco, seu comentário é bem Franco, sincero e verdadeiro. O que acontece na profissão de advogado é que alguns conseguem se sustentar com a profissão que exerce, e outros não. A carteira de advogado não avalia a capacidade de atuar em juízo, as pessoas que conseguiram passar no Vexame da Ordem e outras que se quer fizeram este Vexame, se acham nobres, como se fossem superiores aos demais, o que não é. O Quinto Constitucional indicado pela OAB, se quer prestou concurso para a magistratura, no entanto chegam a desembargadores de justiça e até ministros da justiça, simplesmente por fazerem parte desta sociedade secreta (maçonaria) que é a OAB. A própria defesa no STJ para caçar a liminar, mostra a incapacidade de fundamentar e argumentar dos advogados da OAB. Onde já se viu alguém ou um advogado, falar e defender, que existe RISCO A LIBERDADE, O PATRIMÔNIO, A SAÚDE E A DIGNIDADE DE SEUS CLIENTES, com o fim do Vexame de Ordem. A OAB tem como bandeira a defesa da Constituição Brasileira, e é a única a desobedece-la, pois as outras categorias não são exigidos nenhum exame para ter seu reconhecimento. Os jornalistas sem diploma conseguiram do STF o direito de exercerem a sua profissão, o TIRIRICA, lendo, bola, casa, mamãe e papai, conseguiu ser empossado como Deputado Federal, sem falar no Ex-Presidente Lula que disse que conseguiu seu primeiro diploma quando foi empossado como Presidente da República. Então eu quero dizer a esse monte de babacas que acham nobres advogados, que eles e nós todos fomos governados e bem governados por um presidente sem nenhum diploma de nível médio ou superior, mas a nossa Constituição Brasileira foi respeitada. A opinião de um nobre advogado, pelo menos se acha como tal, deveria dar sua opinião com embasamento jurídico, já que estudaram para isso. Volto a dizer, eu tenho pena destes nobres advogados e de seus clientes, que pelo jeito que opinam sobre o assunto VExame de Ordem, não sabem sustentar suas opiniões juridicamente falando.

Ricardo Henrique Ferraz Advogado04/01/2011 12:24 Responder

Parabenizo o Dr. Luiz Antonio Ferreira Nazareth Junior, e, com a devida venia, invoco sua tese como maneira de pensar!!! Lembrando que qualquer aluno \\\"medio\\\" passa tranquilamente no exame em contenda!

Valério Márcio Batista Estudante de Direito04/01/2011 12:31 Responder

Sou tão a favor do Exame da Ordem, que acredito na necessidade de ele ser aplicado periodicamente, como forma de avaliar os advogados, juízes, promotores, delegados, enfim, todos os profissionais do Direito, inclusive os professores universitários como o senhor Luiz Antonio Ferreira Nazareth Junior... Tenho certeza que, se esses ?comentaristas? tivessem que se submeter ao exame, não o defenderiam com tanta veemência...

arlete moraes costa bacharel04/01/2011 12:46 Responder

Não sou contra o exame da ordem,mas porque?Os governantes são diplomados mas não tem estudo?Os bacharel não estuda todas as matérias exigidas pelo, exame da ordem?ELES?Tem que saber no dia da prova?

seu nome sua profissão 08/01/2011 0:00

O recurso está na Procuradoria Geral da República (PGU) para análise e poderá retornar ao Supremo ainda este mês, para uma decisão colegiada da Suprema Corte. A ?Ficha Limpa? ganhou porque muitos se manifestaram a favor, enviando emails: Não cabe a OAB, medir a qualidade do ensino mesmo que jurídico; A profissão de advogado é a única no país, em que o detentor do diploma de Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, ou do Bacharel em Direito, para exercê-la, necessita se submeter a um exame, ferindo o princípio da isonomia; O montante que a OAB arrecada a cada exame, é uma quantia bastante vultuosa (para onde vai essa arrecadação?); Os cursos preparatórios são verdadeiros cartéis, e o corporativismo impera (os vrdadeiros donos desses cursos são na grande maioria desembargadores, juízes, procuradores, e eoutros... Esta é a hora de exprimir a nossa opinião, encaminhe a sua idéia para a PGU pelo E-mail: pgu.assessoria@agu.gov.br

FRANCISCO ALVES MOREIRA Empresário04/01/2011 13:00 Responder

Caros colegas, sou Bacharel em Filosofia, Teologia e Direito quanto ao Exame de Ordem tambem sou a favor, mas veementemente contra com relação a sua aplicação. No que tamge a INCONSTITUCIONALIDADE, caríssimo Dr. Luiz Antonio, não se tem o que questionar, devemos somente esperar que o STF se pronuncie e cumpra verdadeiramente seu papel de GUARDIÃO DA CONSTITUIÇÃO. Me pergunto, será se os Advogados que teceram seus comentários se submeteram ao Famigerado EXAME DE ORDEM, que tem por finalidade pricípua a de REPROVAR O EXAMINADO. pORQUE A oab NÃO SUBMETE SEUS advogados a um EXAME semelhante pelo menos de 05 em 05 anos, para capacitá-los e pelo menos ETICAMENTE.

Luiz Gustavo Advogado04/01/2011 13:05 Responder

Trocando em miúdos: O estudante que se preza em fazer o curso de Direito sabendo que si ne qua non terá que passar no exame da OAB, e pensa que poderá advogar sem o tal; é como o cidadão que escolhe a mais bela puta para casar, achando que um dia ela vai se regenerar... isso é impossível!!!

seu nome Advogado 04/01/2011 13:25

Dr. Luiz Gustavo, permita-me parabenizá-lo por tal argumento, muito boa colocação. Acho que as pessoas que não gostaram, foram aquelas que ainda não passaram no exame...

Valério Márcio Batista Estudante de Direito 04/01/2011 13:57

Pelo tipo de comentário feito pelos dois \\\"advogados\\\", vê-se que o Exame da Ordem serve para tudo, menos para consolidar profissionais éticos e despreconceituosos. Que coisa feia, \\\"doutores\\\"!!!

Marco Nascimento Advogado 04/01/2011 14:30

Coaduno inteiramente com os comentários dos colegas advogados acima. Já falei isto várias vezes.

Antonio Augusto Advogado 04/01/2011 14:56

Ao Luiz Gustavo e Cia...POr isso que a nossa profissão está tão banalizada...Dá vergonha de ter como \\\"colegas\\\" esse tipo de profissional...Se for submetido ao exame da ordem não passam...

Marco Nascimento Advogado 04/01/2011 16:05

Deveria ser \\\"...se forem submetidos..\\\", e o sr. passaria, JÁ PRESTOU O EXAME ALGUMA VEZ?? \\\"PERMISSA MÁXIMA VENIA\\\", Vergonha deveria ter o sr. de escrever desta forma.

Gabriela Ribeiro Estudante 04/01/2011 19:51

Caro Dr. Luiz Gustavo, imagino que agora, após o seu elucidativo exemplo, todos entenderam que o melhor é estudar e ser aprovado no Exame da Ordem. Muito bom, espero que não se importe que eu o repita por aí!

Ninguém Merece sua profissão 04/01/2011 21:51

\\\"O estudante que se preza em fazer o curso de Direito sabendo que si ne qua non terá que passar no exame da OAB, e pensa que poderá advogar sem o tal; é como o cidadão que escolhe a mais bela puta para casar, achando que um dia ela vai se regenerar... isso é impossível!!!\\\" by Dr. Luiz Gustavo, advogado. Notório, perfeito o vocabulário, a colocação, grafia, tudo! Nossa! só faltou o famoso \\\"data venia\\\"... Congratulações doutor!!! PS. Faço questão de mencionar tal comentário, identificando o autor... DOUTOR Luiz Gustavo!!!

Elisa Reis Bacharel sem trabalho 05/07/2011 4:24

Gente, isso aqui não é um processo para usar norma culta!!!!!!são somente comentários....afff.

FRANCISCO ALVES MOREIRA Empresário04/01/2011 13:11 Responder

Caro Dr. Luiz Gustavo, seu linguajar esta bastante apropriado para um ADVOGADO. Será que aprendeu no EXAME DE ORDEM?. PARABENS...

Jailton Rodrigues Empresário.04/01/2011 13:24 Responder

A OAB e o MEC, deveriam se unir em prol de um melhor ensino, coibindo entidades de ensino que não tem as minimas condições de estarem atuando no mercado, o exame da ordem todo mundo sabe que é inconstitucional, sendo na verdade uma reserva de mercado e fonte de renda para a OAB, deveria se adotar o critério de analise das notas curriculares do aluno no decorrer do curso, se este não obtivesse tal média, seria submetido a uma prova aque aferisse o seu real conhecimento, proibir a atuação de um profissional que concluiu um curso suprior, realmente é um absurdo, o próprio mercado de trabalho se encarrega de eliminar o profissional incapacitado para o feito.

um bacharel frustrado churrasqueiro04/01/2011 13:44 Responder

Sou Bacharel em Direito formado há quatro anos. Prestei três vezes o Exame da Ordem e não obtive êxito. Fiz um investimento grande para, com muita luta e sacrifício, me formar. Atualmente, encontro-me desempregado e sem esperança de exercer a tão sonhada profissão de advogado. Não aguento mais pagar cursinho após ter formado. Estou trabalhando com uma carroça em forma de treiller, para poder sobreviver com a minha esposa e dois filhos, vendendo espetinho e cachorro quente, em frente a uma Faculdade de Direito. Sei que meus clientes e futuros colegas amargarão a experiência de se submeterem a um ridículo Exame de Ordem e ter como eu um diploma no fundo do baú. Como protesto, coloquei cópia de meu diploma estampada no treiller de cachorro quente.

Alberto Silva Advogado 04/01/2011 14:07

Meu amigo churrasqueiro, primeiramente parabenizo o senhor por ter se formado, como o senhor eu também tive que trabalhar durante os 5 anos de faculdade, lutei muito para conseguir me formar, foi muito difícil, portanto consigo entender seu esforço. Quero parabenizá-lo também por tentar sobreviver e dar o seu melhor para sua família, pois o trabalho, realmente, dignifica o homem, e fiquei realmente emocionado com seu depoimento. Consegui passar no meu segundo exame de ordem, hoje sou advogado, e faz dois meses que abri meu escritório em sociedade, ainda estou lutando muito para conseguir clientes, pois depois do exame de ordem, começa uma batalha diária para conseguirmos espaço, o meu ainda não está garantido. Espero que você consiga passar no exame e conseguir seu emprego de advogado, pois o senhor parece realmente merecer, nunca desista de seus sonhos e siga em frente.

paulo queiroz bacharel e vendedor04/01/2011 14:09 Responder

Quem acha dificil a prova da OAB, porque nao vai ser delegado, promotor, juiz ou prestar outro concurso que seja mais fácil????

Marco Nascimento Advogado 04/01/2011 15:59

Caro Paulo, acontece que estas outras profissões, não seria possível extinguir a prova que avalia a competência de quem pretenda exercê-las, é concurso publico, determinado pela CF, não dá pra mudar. Por isso eles não prestariam esses concursos, mas o exame da ordem, estão tentando derrubar. Creio que é por isso.

Marco Antonio Rodrigues Estudante de direito / gestor empresarial-MBA04/01/2011 14:14 Responder

Se o bacharel, pode ser professor e ser aprovado em concursos diversos, acho que ai existe uma contradição. Como é exigido do bacharel que para exercer a advocacia ele tem que ser aprovado em um exame e para dar aula e ensinar futuros bachareis ele pode, pode ainda ser aprovado em diversos concursos ( delegado, promotor e outros) sem nunca ter sido advogado, é muito estranho esta postura, ou você ou não é e para o curso de direito existe o meio. É lindo as colocações de advogados que li acima, mas provavelmente alguns destes não devem ter passado pelo exame que teve o seu inicio em 1995. Será que advogados/juristas e outros famosos que temos hoje passaraiam neste exame a época do termino do seu curso ? Poderiamos ter perdido grandes nomes, pois, para mim este exame não avalia nada. O que determina um bom profissional é a sua competencia e esta competencia adquire-se com o dia a dia, o proprio mercado se incube de selecionar estes profissionais. Temos sim de nos preocupar com o ensino das faculdades, estes hoje sofríveis, estou no 10º período e tenho colegas que não deveriam ter saido do 1º, mas irão se formar, passar no exame ? mas podem passar em um concurso, já pensaram nisto. O MEC e a OAB têm que se preocupar é se o ensino esta sendo bem aplicado, se as grades curriculares estão de acordo e se estão sendo ministradas por profissionais capazes e com boa didadica e não com os profissionais que se formaram, pois se o ensino foi digno com certeza teremos bons profissionais na rua. A minha preocupação maior é com a grade curricular que hoje varia de escola para escola, isto sim é um absurdo, grades arcaicas como várias leis que temos, isto sim tem que ser revisto e sofrer uma atuação mais insiciva do MEC e da OAB que preza tanto pelo seu profissional !!! O exame fere sim a CF e neste caso o MEC teria sim de se preocupar é com os médicos que tratam da saúde e por consequencia dos bens, que não têm nenhum exame pós término do curso, a não ser para se especializar, mas isto se compará a uma pós para os outros cursos, sendo que o médico quando formado já é um clinico geral, e os engenheiros que também tratam dos bens. Temos de nos preocupar com a compra de vagas nas universidades e outros atos ilicitos que tanto vemos neste país e não com um exame que vai dar condição de um pessoa exercer a profissão que escolheu e que se dedicou durante 5 anos, que ao seu final ainda vai ter que talvez fazer um cursinho preparatorio para poder fazer esta prova, isto é um absurdo e uma falta de respeito a nossa tão ferida CF. Espero que os nosso magistrados do STF têm a digna condição de aceitar e julgar procedendente esta ação de inconstitucionalidade e se fazer justiça para com todos os bachareis deste país.

Tícia Mévio Analista MPU 04/01/2011 20:28

Marco Antonio Rodrigues, concordo com você. O bacharel em Direito pode ministrar aulas no curso de Direito, apenas tendo uma pós incluindo as disciplinas metodológicas, mas, há faculdades que não cumprem a determinação. Se há exigência que para se advogar, é necessário a aprovação no exame da Ordem, então, dever-se-ia verificar os requisitos para ministrar aulas. Ser juiz, não é qualificação para ser professor. É necessário que ele preencha os requisitos para ser também professor. Apesar de que, existem excelentes profissionais que não tem habilitação para serem professores, que conseguem repassar seus conhecimentos um uma habilidade invejável. Deveria ter a exigência do bacharel pós-graduado ter cursado disciplinas didáticas. Passei no concurso para delegado da policia federal, fui selecionada para o teste de aptidão física. Reprovadissima! Não é um exame que irá avaliar realmente as nossas aptidões. Existem vários fatores que influenciam antes, durante e até depois da aplicação do tão famoso exame da OAB, que dificilmente entram em discussão, mas estão ali, logo ao lado, provocando reações, inerentes ao ser humano! Falam que os alunos não estão bem preparados. Então, vamos jogar fora o tempo despendido por eles na faculdade, muitos tendo que conciliar o emprego com o estudo, outros com empréstimo no governo para honrar o compromisso financeiro com a instituição... Deveria então haver um estudo para propostas de como resolver tal empreendimento por parte de tantos. Existem em outros países os ?paralegals? que prestam serviços legais para facilitar as defesas e a pesquisa, aos advogados. São verdadeiros assistentes Mas será que a nossa cultura abraçaria tal profissão, com o devido respeito? Há também os consultantes legais de leis. São especialistas em diversas leis, que podem dar pareceres, com atividades bem parecidas com as do ?paralegals.? O que será da geração entre os anos de 1996 até o ano que resolverem o impasse (em todos os sentidos) do exame?

Mario Pallazini Aposentado04/01/2011 14:26 Responder

Não sou operador do Direito e nem possuo conhecimentos jurídicos para adentrar ao mérito da constitucionalidade ou não do exame de ordem da OAB. Nessa condição, sequer posso opinar sobre a necessidade ou não do bacharel em Direito prestar dito exame.Sou leigo em assuntos jurídicos. Gosto de ler a respeito. Tenho lido que renomados juristas do Brasil , como Ruy Barbosa, Tércio Lins e Silva, Evandro Lins e Silva, Délio Lins e Silva, Sobral Pinto, Pinherio Neto, Márcio Thomás Bastos, Afonso Arinos, Seabra Fagundes, Raymundo Faoro, Rubens Approbato, Maurício Correa, não teriam prestado o exame de ordem da OAB, para o exercício da advocacia. Não tenho como aquilatar se estas notícias têm ou não procedência. A guisa de curiosidade, gostaria de conhecer a verdade.

Rodrigo Silva Advogado 04/01/2011 14:36

Grandes Juristas Senhor Mario, essas pessoas que o senhor citou são juristas renomados, porém se formaram em épocas em que os cursos de direito eram bastante renomados no brasil... hoje em dia, em qualquer esquina existe um curso de direito, e qual é a melhor forma de selecionar os melhores para que possamos dar continuidade a esses nomes? O exame de ordem... Precisamos pensar que estudando a gente consegue chegar lá, mais se não estudarmos, vamos ficar presos em um mundinho que não queremos. Se quisermos dar continuidade a esta lista que o senhor citou, precisamos estudar cada vez mais, e dessa forma, o exame de ordem não será problema.

Marco Nascimento Advogado 04/01/2011 14:45

A verdade Sr Mario é que ao tempo de Rui Barbosa o aluno era bem melhor preparado e não se conseguia comprar um diploma. Após os escândalos das faculdades de fachada que vendiam diplomas a alguém que nunca frequentou o banco da escola, foi necessário a criação de mecanismo que filtrasse esses profissionais. O resultado é este que o Sr vê, muitas faculdades que facilitam a vida de quem quer, e disso sou testemunha viva, e muitos que não se qualificaram ou subqualificaram-se tentando entrar pelos fundos, criando toda esta celeuma. Para aqueles que questionam, fiz e passei no exame e se preciso for faço novamente, e acredito que a maioria de meus colegas assim concordam.

Rodrigo Silva Advogado 04/01/2011 14:51

Dr. Marco Nascimento, concordo plenamente com seu comentário... muito bem colocado.

Marco Nascimento Advogado 04/01/2011 15:53

Obrigado, espero ter elucidado sua questão. Esteja sempre à-vontade.

Mario Pallazini Aposentado 04/01/2011 17:32

Sr. Rodrigo Silva. Não questiono a qualidade dos cursos de direito daquelas épocas. Ainda que excelente a qualidade de ensino será que todos que por elas passaram, seriam, indistintamente aprovados naquela época num exame de ordem da OAB semelhante aos de hoje?

Mario Pallazini Aposentado 04/01/2011 18:25

Sr. Marco Nascimento. Se anteriormente não declinei o meu posicionamento em relação ao exame de ordem da OAB, faço-o, agora. SOU AMPLAMENTE FAVORÁVEL ao exame, considerando, dentre outros fatores, as suas colocações.

Jailton Rodrigues Empresário. 04/01/2011 19:44

Caro Marco Nascimento, não sei a sua aréa de atuação, porém lhe digo que a prova pratico-profissional de direito penal do ultimo exame 2010.2 reprovaria pelo gabarito oficial 90% dos advogados em exercicio, inclusive o presidente da OAB.

PEDRO HENRIQUE EMPRESARIO 05/01/2011 18:40

pô ja to ficando chato! CARA TU É O MELHOR ADVOGADO DO BRASIL!!!! O MELHOR EM LINGUA PORTUGUESA!!!! PASSOU E VAI PASSAR SEMPRE NA PROVA DA OAB!!!!! só que este problema que colocaste, é do MEC, sou leigo, mas quem deve se posicionar contra fraudes e tudo mais é o próprio. abraço

THIAGO DANTAS advogado04/01/2011 14:39 Responder

ACERTADA A DECISÃO DO STF, QUANDO ONTEM (03.01) SUSPENDEU A EXECUÇÃO DA LIMINAR... SUSPENSÃO DA SEGURANÇA Nº 4321

FERNANDA ANTUNES ADVOGADA04/01/2011 15:16 Responder

PORQUE EXISTE O EXAME DA ORDEM??? Esta é a questão que merece ser apreciada. O MEC é o órgão que determina, fiscaliza(deveria) a abertura de novas faculdades. O critério é apenas objetivo. A OAB na intenção de melhorar o ensino jurídico no país através do exame de ordem tenta fazer aquilo que já deveria existir - um ensino bom e de qualidade. BACHARÉIS EM DIREITO QUE NÃO PASSAM NO EXAME DA ORDEM DEVERIAM PROCESSAR E SE COLOCAR CONTRA A FACULDADE QUE CURSARAM POR NÃO TEREM PREPARADO E OFERECIDO UM ENSINO DE FORMA EFICIENTE

ANDRÉA CORREIA ESTUDANTE DE DIREITO 04/01/2011 20:58

CALMA FERNANDA, COMO ASSIM PROCESSAR E SE COLOCAR CONTRA A FACULDADE QUE CURSOU? NENHUMA FACULDADE COLOCA NA CABEÇA DE UM ALUNO CONHECIMENTO SEM QUE O MESMO NÃO SE DEDIQUE EM CASA,PORQUE O LOCAL DE ESTUDO NÃO SÓ É A FACULDADE. ENTÃO UM ALUNO QUE NÃO SE DEDICA, NÃO SE ESFORÇA, SÓ ENTRA NA SALA PARA RESPONDER À CHAMADA E SAI PARA COMER CHURRASQUINHO, ESCUTAR UMA \\\"MUSIQUINHA NO CARRO\\\"PODE PROCESSAR A FACULDADE POR NÃO TER PASSADO NO EXAME? VOCÊ SÓ ESTÁ QUERENDO UMA REVOLUÇÃO!!!!!

seu nome sua profissão 04/01/2011 21:28

Eu creio que entendi o que você quis dizer com: \\\"PROCESSAR E SE COLOCAR CONTRA A FACULDADE QUE CURSARAM POR NÃO TEREM PREPARADO E OFERECIDO UM ENSINO DE FORMA EFICIENTE\\\"... Aqui caberia uma verdadeira monografia como base para essa sua revolta externada. As faculdades são responsáveis, na medida em que não propiciam ao aluno, grade curricular adequada aos anseios do exame da ordem, ou quando não oferecem professores preparados para ministrar aulas claras, que incentivem, estimulem os alunos, que cobrem do aluno o conteúdo programático de forma concisa, criteriosa, enfim... Fazemos a nossa parte, então temos que cobrar que as instituições façam a delas.

Marco Nascimento Advogado 05/01/2011 0:56

Perfeito, creio que você é das que assiste aula, debate o direito em sala. se dedica mesmo ao curso que pretende transformar em sua profissão. Como já disse anteriormente, o volume de conhecimento que adquirimos somos nós que fazemos e não a faculdade ou os professores.

Marco Nascimento Advogado 05/01/2011 0:59

Acima me reporta à fala da Andréia, claro.

José Carlos estudante 05/01/2011 23:50

Fernanda, acompanho a sua gama, tenho debatido muito a respeito desse conteúdo na faculdade, é por ai. A colega Andréa está perdida nos comentários, talvéz por falta de instrumentos obrigatórios para gamar.

ANDRÉA CORREIA ESTUDANTE DE DIREITO 06/01/2011 5:07

SR..JOSÉ CARLOS, QUANDO RESPONDI AO COMENTÁRIO DA COLEGA FERNANDA, SÓ ESTAVA QUERENDO DIZER QUE O BACHAREL QUE NÃO PASSOU NA OAB, NÃO PODE ATRIBUIR APENAS À FACULDADE NA QUAL ESTUDOU, A CULPA, POIS, DO JEITO COMO ELA COLOCA, PARECE ATÉ QUE A INSTITUIÇÃO VAI ABRIR A CABEÇA DO ALUNO E JOGAR CONHECIMENTO LÁ DENTRO.E NÃO É ASSIM, SE O ALUNO NÃO FAZ A SUA PARTE ,QUE É ESTUDAR , A COISA NÃO FUNCIONA. OS DOIS, (ALUNO E FACULDADE)TÊM DEVERES E OBRIGAÇÕES,MAS PROCESSAR A FACULDADE,COMO ELA MESMA RECOMENDOU, AÍ JÁ É UM ABSURDO MEU CARO. SE A FACULDADE É RUIM ,TRANSFERE PARA OUTRA , PORQUE PERMANECER LÁ ATÉ O FINAL DO CURSO?E SE NENHUMA PRESTA ,PROCURA A MENOS PIOR E ESTUDA,ESTUDA,ESTUDA QUE PASSA...

ANDRÉA CORREIA ESTUDANTE DE DIREITO 06/01/2011 5:12

\\\"POR QUE\\\" DESCULPAS POR TER DIGITADO PORQUE JUNTO!!!!!!!!!!!

josé arlindo advogado04/01/2011 15:34 Responder

Advogo pela inconstitucionalidade do EXAME DA ORDEM, conforme os fundamentos já apresentados. Mas considero que o foco da discussão está errado. É cometer um erro para solucionar outro. Quem tem que aferir a qualidade do acadêmico é o MEC e não a OAB, que é entidade de classe e pode ter seus vícios. E o EXAME DA ORDEM é de tanta qualidade assim, para decidir quem serve ou não para a advocacia? O MEC deve acompanhar todos os cursos nas faculdades com rigor e responsabilidade. O ESTADO não pode se furtar deste dever, muito menos transferir para OAB a realização de uma prova para decidir a vida profissional de milhares de pessoas, que se não passarem serão taxadas de despreparadas, etc. E o PRINCÍPIO DA DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA?

Alexandre Alves Enfermeiro e Bacharel em Direito 04/01/2011 16:24

Muito bem definido seu comentário seria muito interessante que todos os seus \\\"colegas\\\" pudessem ler também.

Mario Pallazini Aposentado 04/01/2011 17:23

JOSE ARLINDO Comentário coerente.

Eudes Garcia Vasconcelos Acadêmico de Direito e Gestor de Negócios e Licitações 04/01/2011 20:26

Brilhante e oportuno comentário!!!

seu nome sua profissão 08/01/2011 0:07

O recurso está na Procuradoria Geral da República (PGU) para análise e poderá retornar ao Supremo ainda este mês, para uma decisão colegiada da Suprema Corte. A ?Ficha Limpa? ganhou porque muitos se manifestaram a favor, enviando emails: Não cabe a OAB, medir a qualidade do ensino mesmo que jurídico; A profissão de advogado é a única no país, em que o detentor do diploma de Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, ou do Bacharel em Direito, para exercê-la, necessita se submeter a um exame, ferindo o princípio da isonomia; O montante que a OAB arrecada a cada exame, é uma quantia bastante vultuosa (para onde vai essa arrecadação?); Os cursos preparatórios são verdadeiros cartéis, e o corporativismo impera (os vrdadeiros donos desses cursos são na grande maioria desembargadores, juízes, procuradores, e eoutros... Esta é a hora de exprimir a nossa opinião, encaminhe a sua idéia para a PGU pelo E-mail: pgu.assessoria@agu.gov.br

izilda rocha lourido contadora04/01/2011 15:34 Responder

Bacharel em direito, concordo com o exame da ordem, somente assim seleciona realmente quem sabe, o que não concordo é a 1ª fase, temos que reaver todas as 10 disciplinas para se preparar para o exame. A melhor forma seria: A duração do curso em 5 anos, e aumentaria mais 1 ano na área que o aluno mais identifica, para seguir a carreira jurídica, após feito, faria o exame da Ordem daquela disciplina escolhida 1ª e 2ª fase, aprovado, estaria apto a exercer a atividade.

Mario Pallazini Aposentado 04/01/2011 16:00

Sra. Izilda, Contadora. Apenas para argumentar. Será que se o Conselho Regional de Contabilidade exigisse um exame semelhante ao da OAB para habilitar o Contador a exercer a atividade de Contador conforme as realidades da Contabilidade aplicada, qual, seria, em tese, o percentual de aprovação?

Alexandre Alves Enfermeiro e Bacharel em Direito.04/01/2011 16:12 Responder

Estou completamente de acordo com a sua opinião cara Advogada, mas posso te dizer que percorri um largo caminho para assim me formar como Bacharel em Direito, já tendo uma familia para sustentar com aquele lindo sonho de poder assim estar defendendo direitos das pessoas mais carentes e sem perceber acabei me tornando uma delas, pois depois de haver terminado o curso ainda não me tornei um \\\"ADVOGADO\\\" pois já esbarrei na Prova da Ordem duas vezes. Sabe minha pergunta e de quase todos os que estão no fórum é Sou menos capaz que os outros, por haver esbarrado na Prova? Levo dois anos formado trabalho em escritório, estou atualizado terminei uma Pós e estou começando outra. Para isso sou capaz o que mais tenho que provar ?

Reinaldo Aleixandrino Advogado oab/sp 300.69704/01/2011 17:18 Responder

Eu sou a favor do exame de ordem. Eu comi o pão que o Diabo amassou, fui humilhado por todos, até pela minha própria família, para conseguir ser aprovado no exame 140º...! Estava desde 2005 tentando a minha aprovação, fui aprovado para 2º fase mais de 08 vezes, e só em 2010, que eu consegui lograr êxito. Com toda a venia, quem não esta satisfeito com o exame de ordem, que vá laborar em outra aréa.......

Marco Antonio Rodrigues estudante de direito / Gestor empresarial - MBA 04/01/2011 18:17

Prezado Reinaldo, será que você precisaria desta humilhação, você sabia menos da primeira vez que tentou a prova de que quando passou ? Quanto energia desgastada e dinheiro gasto. Acredito que se advogasse desde 2005 não seria diferente de daqui pra frente. Mesmo assim parabéns, mas sou totalmente contra este tipo de avaliação, pois não nos avalia em nada.

Valério Márcio Estudante de Direito 04/01/2011 20:00

Uma pessoa que escreve ?diabo? com ?D? maiúsculo (deve ser porque o considera uma divindade); que em vez de receber apoio é humilhado por sua própria família; que escreve ?aréa? no lugar de área; que foi reprovado, por oito vezes na segunda fase do exame... Tem que ser, mesmo, favorável a este, afinal, se tornou ?profissional? na aréa, desculpe: na área...

Reinaldo Aleixandrino advogado 14/04/2011 19:45

Vc é bacharel......! Portanto não vou perder o meu precioso tempo discutindo com vc. Acho que, quem precisa estudar na realidade é vc. Para mim vc não passa de idiota e de um imbecil... vai corrigir à sua progenitora seu filho da puta...

sem nome ........... 14/04/2011 19:52

( Valério Márcio)....Vc é bacharel......! Portanto não vou perder o meu precioso tempo discutindo com vc. Acho que, quem precisa estudar na realidade é vc. Para mim vc não passa de um idiota e de um imbecil... vai corrigir à sua progenitora seu filho da puta...

Tiago Somensi Estudante de Direito04/01/2011 18:38 Responder

Caros colegas estudantes e ilustres advogados, acredito que o exame da ordem deve ser mantido. Descordo de vários colegas aqui, os mesmo frequentão a graduação como eu e mesmo assim devem saber que no final haverá o último teste, que pode ser repetido várias vezes - claro, acarretando alguns custos para eles -, mas caso não queiram custos eu tenho uma dica infalivel para eles. ESTUDEM, SE ESFORCEM, ARRUMEM TEMPO PARA ISSO. Se antigamente não havia o exame da Ordem, é porque a procurar pela graduação de Direito e também era menor e também eram em menor números os Advogados formandos, hoje em dia, só no meu estado (Santa Catarina) se não me falha a memória, cerca de 200 ou 300 pessoas - POR ANO -, concluem a graduação. Isso quer dizer se você entrar agora na graduação a sua frente existem em torno de 1500 advogados até você concluir a graduação fora os que se formam no mesmo ano com você (isso é um exemplo, no meu estado, imaginem estados maiores, com mais universidades e faculdades). O exame da ordem pode auferir lucros para a OAB, mas também barra MILHARES de bachareis em Direito, de exercerem a profissão. Digamos assim, uma peneira, por muitas vezes injusta, se não for essa será a da profissão, a vida mesmo separa os bons dos maus profissionais. Mas essa primeira peneira, separa quem está despreparado e também passou 5 anos da graduação apenas fazendo festa, e passando em algumas matérias colando. QUER PASSAR NO EXAME DA ORDEM? ESTUDEM E SE PREPAREM. Fica a dica para aquelas pessoas que acham que graduação é só festinha.

Tícia Mévio Analista do Ministério Público da União.04/01/2011 19:10 Responder

Caríssimos, Da mesma forma que existem alunos irresponsáveis, que conseguem de uma forma ou de outra ingressar na faculdade seja de que área for, existem também aqueles que são responsáveis, estudam e fazem o ?dever de casa?, assim como há professores que ministram aulas com responsabilidade e sem a mesma. Nos cursos de Direito, se pode visualizar professores, juízes, advogados com inscritos e registrados na OAB, sem a devida habilitação para exercerem o magistério superior. Não é apenas ser um bacharel em Direito que habilita a ser um facilitador, é preciso mais do que isso. Ë necessário ter conhecimento de metodologia de ensino, entre outras disciplinas sine ne qua non ao ensino/aprendizagem de um aluno. Quando se faz o curso de Direito, acredito que o objetivo almejado seja de percorrer uma carreira promissora, prestando serviços profissionais na magistratura, advocacia, procuradorias, ministério público, entre outras, que fadadamente necessita da aprovação no exame seletivo da OAB. Na minha vã ignorância noto que juízes, advogados, bacharéis despreparados para exercer o magistério, ocorrendo dessa forma à persistência de metodologias de ensino (didáticas) infensas a inovação, entre outros. Algumas perguntas me assombram, como por exemplo: Aqueles que compõem o Conselho Federal, e Seccional da OAB, Presidente da Caixa de Assistência dos Advogados e os Presidentes das Subseções, assim como os demais integrantes da Ordem dos Advogados do Brasil, conseguiriam atingir a nota mínima, no exame da OAB? Os ministros que integram Superior Tribunal de Justiça (Tribunal da Cidadania), que em tese tem como função primordial ?zelar pela uniformidade de interpretações da legislação federal brasileira?, que são escolhidos pelo Presidente da República, e aprovados após sabatina do Senado, conseguiria ser aprovados no exame da OAB? Os bacharéis em Direito devem ser penalizados, pela deformidade de uma crise na sociedade civil, sem condições de assegurar à sua juventude formação intelectual e profissional adequada e completa? Seria interessante pinçar alguns integrantes do Poder Judiciário do Brasil, para serem avaliados pelo exame da Ordem. A OAB parece o Garden of Gods (jardim dos deuses). Se o ensino está ruim, cabe ao MEC, fiscalizar, é uma função estatal. Concordo que deva existir um exame, só não concordo com a forma como é elaborado, aplicado, e nem com o que há por trás dos bastidores. O exame tornou-se um cartel, onde desembargadores, procuradores, juizes, advogados e bacharéis (que não conseguiram a tão desejada carteirinha da OAB), sao donos dos já proliferados cursos preparatórios para o exame da OAB. O corporativismo é indimensionavel. Atrás desse tão questionado exame existe uma infinidade de interesses, que nao correspondem ao sentimento principal, à verificação da aptidão para exercer a profissão. Ah! Ia esquecendo o detalhe da quantia que se paga a cada inscrição para o exame da ordem, é um impropério. Quicar as faculdades fossem mais fiscalizadas pelo MEC (não apenas com aquelas notas de avaliação do aluno, que nunca mostra a pontuação do mesmo, mas somente da instituição); os professores selecionados, em consonância com as normas e critérios específicos para a ministrar aulas, o aluno teria a opção de estudar ou ser jubilado. Tudo é relativo e questionável. Atualmente apregoa-se que existem muitas faculdades de Direito, e fácil acesso a elas. Esquecem que até pouco tempo atrás, realmente havia poucas faculdades, normalmente era os homens que estudavam nelas, e o acesso era de famílias abastardas, e certamente não havia a imposição de ?passar no exame da OAB?. Mas, a população aumentou, as faculdades seguiram o mesmo ritmo (modificando inclusive a grande curricular com aumento de disciplinas), e os governos garantiram o acesso a todos, numa demonstração de democracia (o pecado, talvez tenha sido na forma como se dá esse acesso ? os alunos das escolas estaduais e municipais, em sua maioria, não têm base, devido ao próprio sistema). Prezados, eu poderia ficar aqui o dia todo, a noite inteira falando sobre tudo isso, mas de que adiantaria? Desculpem-me pelos erros de grafia, e similares, mas, se algum de vocês tiver entendido a minha mensagem, fico feliz, pois consegui atingir pelo menos alguém. Isso é importante! Mas, vale à pena salientar um detalhe de alvo de comentários. Não existem \\\"erros de ortografia\\\" e sim Erros de Grafia. Porque ortografia significa escrita correta, não se pode errar uma grafia correta. É só uma dica construtiva. Concordo em gênero, numero e grau com os artigos do Dr. Fernando Lima, em relação ao Exame da OAB. Peço licença ao Dr. Marco Nascimento, para dizer que também presenciei, durante meu curso, um aluno, sempre fora da sala de aula, sempre ?colando?, pedindo aos colegas para colocar seu nome nos trabalhos, que conseguiu colar grau, e durante as duas fases do exame da Ordem, conseguiu aprovação. Coincidentemente, sentou-se atrás de um colega do curso, e ?colou? durante todo o exame. Há 05 anos ele esta exercendo a profissão de advogado, e ressalte-se, ainda não perdeu nenhuma causa. O que ele faz, eu não sei, mas, é respeitado como bom profissional, e se for inquirido sobre como ?tirou a carteirinha da OAB?, ele conta o ?causo?. Existem varias situações, e eu particularmente, não acredito que o exame da OAB, seja um bom instrumento de avaliação. Creio que seria mais prudente para a OAB, apresentar propostas de uma reformulação do currículo mínimo, assim como, se dispusesse a orientar o funcionamento e organização de um Laboratório Jurídico em todas as faculdades de Direito. Também se deveria criar uma Comissão Permanente de Ensino Jurídico. Que haja exame, mas, sem opressão, sem cartelismo, sem corporativismo!

ANDRÉA CORREIA ESTUDANTE DE DIREITO04/01/2011 20:11 Responder

SOU A FAVOR DO EXAME DA ORDEM E GOSTARIA DE DIZER AOS QUE SÃO CONTRA QUE,APESAR DE AINDA ESTAR NO 2ºPERÍODO NA FACULDADE, JÁ ESTOU ESTUDANDO DESDE O PRIMEIRO PARA O EXAME DA ORDEM, E SE TODOS OS ESTUDANTES DE DIREITO SE DEDIDASSEM DESDE O INÍCIO ATÉ O 10º PERÍODO, NÃO HAVERIA PROBLEMAS COM O EXAME. SABE POR QUE? PORQUE SÓ SE CHEGA EM ALGUM LUGAR HOJE EM DIA ES-TU-DAN-DO!!!!! ENTENDERAM? SE TÊM MEDO DA OAB, COMO QUEREM PASSAR EM CONCURSOS PÚBLICOS? RECLAMANDO ? PODE TER UMA OU DUAS FASES, É SÓ ESTUDAR QUE PASSA NAS DUAS ...

pedro henrique empresario 07/01/2011 18:06

Prezada amiga Andreia. Oproblema não reside em passar ou não passar, ter medo ou não, o problema é no fundamento de tal prova. Ela é colocada como a salvação da lavoura, que só os bons, os melhores passarão, e TODO MUNDO, INCLUSIVE OS QUE SÃO A FAVOR, SABEM QUE UMA PROVA NÃO PROVA NADA!!! QUEM VAI MEDIR O BOM PROFISSIONAL É O MERCADO!!! ATE PORQUE EM QUALQUER PENDENGA JUDICIAL, SOMENTE UMA PARTE VENCE!!! SE FOSSE ASSIM, QUE A PROVA DA OAB TIVESSE ALGUM ARGUMENTO PLAUSIVEL, QUEM PASSASSE, NÃO PRECISARIA SE APRIMORAR, ESTARIA \\\"PRONTO\\\", ERA SÓ SE INSCREVER EM QUALQUER CONCURSO QUE ESTARIA APROVADO!!! SAUDAÇÕES

Leila Abel Vice Diretora Escolar04/01/2011 20:16 Responder

O Exame da Ordem , hoje em dia , não tem como objetivo selecionar profissionais competentes. Não concordo, com este tipo de avaliação, DEVERÍAMOS avaliar o caráter de nossos estudantes, seu histórico escolar, e outras maneiras mais objetivas, e claras.O exame da ordem não tem mais um objetivo didático e de conhecimento específico na área do direito. E apenas um jogo de sorte, pois a cada exame novo que se elaboram, mais dificil, e complicado, são as perguntas dos examinadores, que mesmo eles se perdem para responderem, acabam ficando sem sentido, através de pegadinhas.E nada adianta, pois o caráter e a dignidade de qualquer pessoa, em qualquer profissão não se mede por um exame.Muitos bandidos sabem de cor e salteado, seus direitos e penalilidades, se instruindo para fazerem o mau e não o bem.Assim minha conclusão seria: exame da ordem de maneira mais obejtiva, clara,segunda fase, concordo com o que já se faz, e a terceira fase??????? Será que somos capazes de avaliar pessoas, se não nos avaliamos como deveríamos?Quanto mais caro é o valor do exame da ordem, mais dinheiro entra para os cofres da OAB Federal, talvez rever o valor,da inscrição, seria justo, e um exame condizente com a nossa realidade BRASILEIRA, talvez esqueceram da igualdade para todos, pois fazer exame da ordem HOJE SE TORNOU muito caro e complicado sem objetivo lógico em suas questões... Sinto que o objetivo maior de selecionar bachareis em direito para atuarem com profissionais, não passam hoje de especulações de valores e de questões difíciesi de serem resolvidas.....SINTO MUITO....

ANDRÉA CORREIA ESTUDANTE DE DIREITO04/01/2011 20:24 Responder

AHHH !!!!!!ESQUECÍ DE DIZER EM MEU PRIMEIRO COMENTÁRIO : AOS QUE AINDA NÃO PASSARAM PORQUE ESTUDAVAM APENAS PARA CONSEGUIR NOTAS PARA NÃO PERDER MATÉRIAS ,OU AINDA ESTUDAVAM ÀS VÉSPERAS DAS PROVAS OU NÃO ESTUVAM,PREFIRIAM AS BALADAS PARABÉNS !!!VOCÊS SERÃO SEMPRE FRACASSADOS!!!!!!, JÁ AOS ESTUDIOSOS QUE TAMBÉM NÃO PASSARAM, NÃO SE PREOCUPEM ,NÃO DESISTAM ,QUE CONSEGUIRÃO, TENHAM FÉ E BONS ESTUDOS!!!!!!AFINAL QUEM ESTUDA PASSA!!! BOA SORTE A TODOS QUE ESTUDAM!

João. Paulo acadêmico 05/01/2011 21:53

Venho expor a minha resquício gama, a respeito da estudante Andréa Correia, não dá para gamar nada com você, tendo em vista os exíguos entendimentos jurídicos, 2º período o estudante não sabe ainda o que quer, até mesmo ao 5º período ainda resta dúvida. Estude primeiro ok?

ANDRÉA CORREIA ESTUDANTE DE DIREITO 06/01/2011 5:18

COMO JÁ FALEI JOÃO PAULO, JÁ ESTOU ESTUDANDO MEU QUERIDO E DESDE JÁ , TENHO EM MENTE O QUE QUERO,NÃO VOU DEIXAR CHEGAR O 5º PERÍODO PARA ME DECIDIR, AÍ JÁ SERÁ MUITO TEMPO PERDIDO...MAS OBRIGADA ...

ANDRÉA CORREIA ESTUDANTE DE DIREITO 06/01/2011 16:57

JOÃO PAULO,SE VOCÊ ESPEROU ATÉ O 5º PERÍODO PARA ESTUDAR OU ADQUIRIR \\\"CONHECIMENTO JURÍDICO\\\" TENHA A CERTEZA QUE VAI DEMORAR MAIS AINDA PARA VOCÊ PASSAR NA OAB,POIS, É A PARTIR DO 1º QUE SE ESTUDA!!!!!! E EU JÁ TENHO SIM, CONHECIMENTO JURÍDICO,NÃO QUANTO VOCÊ, IMAGINO QUE TENHO MAIS.EU NÃO FAÇO PARTE DOS QUE SÓ ESTUDAM DEPOIS DO 5º..ENTÃO VÁ ESTUDAR PARA RECUPERAR O TEMPO PERDIDO OK?

Drª Jacira Advogada04/01/2011 20:28 Responder

Caros colegas de luta! Minha história difere da sua em vários pontos, mas não desista nunca do seu sonho. Orgulho-me muito do que já fiz e faço: Iniciei o curso de direito com 39 anos, após separação de um casamento desastroso que durou 16 anos, em faculdade particular. Após cursar quatro semestres, minha pequena fábrica de móveis entrou em crise financeira: tranquei matrícula. Passados dois anos retornei, porém, a mensalidade continuava pesando, fiz rifa, bingo, promovi eventos dançantes, pedi várias vezes no comercio local ingredientes para preparar feijoada beneficente, para arrecadar R$ para pagar minha faculdade(olhe que nunca me envergonhei de pedir), no entanto, não conseguia pagar em dia as mensalidades. Decidi prestar novo vestibular para direito em outra Universidade com preço menor. Passei em 8º lugar. Transferi o curso, porém, a grade não coincidia, tive que estudar de sábado a sábado(porque as disciplinas faltantes cursava aos sábados, até nos domingos). Conclui o curso sem ficar reprovada em nenhuma matéria em 26.12.2003, me especializei na área trabalhista, cível e previdenciária com 46 anos de idade, quando prestei o primeiro exame da ordem sem aprovação. Me senti mal, desanimada e decepcionada. Por onde eu passava no comércio local me perguntavam: onde é seu escritório? Respondia: ainda não sou habilitada, mas venho informar assim receber minha carteirinha da OAB. Assim me sentia após 09(NOVE) tentativas. Nunca passava nem na primeira fase, e o mais incrível é que eu sempre fazia 23 ou 24 pontos quando a prova era de 50 questões, e 48 ou 49 quando passou a 100 questões. Em todas as provas recorria e ficava aguardando resposta, porém meu ponto de vista não coincidia com o da banca examinadora. Foi incrível a persistência. Nunca desistia. Na secretaria da OAB tinha uma secretária(Amanda), que em todas as provas ela procurava meu nome na lista dos inscritas e aprovados. Me dava a maior força após os resultados, e isso fazia com que eu estudasse cada vez mais e mais. Quando finalmente consegui. Já tinha completado 50 anos, mas para mim, era como se eu tivesse 20. Empolgada, fiz currículo, cartão de visita e distribuí na cidade inteira. Esperei chamado de entrevista, que nunca ocorreu.Era a idade. Sabes o que eu fiz: mandei pintar na parede da casa que eu morava: \\\"ESCRITÓRIO DE ADVOCACIA\\\". Passei a atender e trabalhar em casa, a qualquer hora do dia ou da noite, inclusive nos finais de semana. De início vieram casos que os outros advogados dispensavam, porque eram de pequeno valor, ou não dava retorno financeiro. Hoje tenho uma clientela invejável, continuo trabalhando em casa, tenho casos que faço parceria com outra colega, parceira de luta, que sempre me incentivou quando bacharel. Enfim, tenho trabalhado bastante, mas procuro administrar meu horário para sobrar um tempinho para mim, para ir à missa e para amar e acompanhar meu novo companheiro que é músico. E sabes da última: SOU SUPERFELIZ E REALIZADA TANTO EMOCIONAL COMO PROFISSIONALMENTE.AMO O QUE FAÇO. POR ISSO LHES DIGO: NUNCA DESISTAM DE SEUS SONHOS: VÃO À LUTA!!! ? AH! VCS QUEREM SABER ONDE MORO: EM SANTARÉM-PARÁ.

seu nome Graduando no Exame da OAB 04/01/2011 21:09

Dra. Jacira, sua história é bem parecida com a minha. Casamento desfeito (24 anos), a luta pela sobrevivência e pagamento da faculdade, o mal estar de não passar na primeira das muitas tentativas do exame da ordem, as cobranças de amigos e familiares, que olham com o pensamento de que não vamos conseguir, o peso da idade (preconceito de muitos). Mas, temos uma realidade e uma luta pela nossa realização e superação. Na leitura dos comentários observei, pontos a favor e contrários ao exame. Ocorre que, ele ainda é uma realidade, e enquanto não houver uma mudança, um revestimento em todos os sentidos, tenho a consciência de que sou eu é quem devo mudar. Tenho outras formações de nível superior, mas a que sempre foi meu sonho - Direito. Estou graduada desde 2006, e já tentei por 04 vezes o exame. Saliente-se que sempre fui uma das melhores alunas da turma. Em todas as tentativas, consegui de 100, responder, 49, 47, 38, 45 questões. Contanto que sempre havia algum acontecimento para atrapalhar, como problemas familiares e até de saúde. Assim, hoje estou reformando a minha vida (dando um upgrade) e estudando com afinco todos os dias, preparando-me para mais uma tentativa (agora, a quinta). Não podemos fugir da realidade, mas devemos levar em consideração, que o tempo é o melhor autor, pois sempre encontra um final perfeito. Certas derrotas preparam-nos para grandes vitórias. Parabéns pela sua luta, e pela gostosa limonada que você conseguiu fazer, depois que lhe deram limão!

aline Advogada04/01/2011 20:51 Responder

Concordo que este exame é uma vergonha na medida em que existe para controlar mercado, num país onde o Presidente foi um ex operário é sim uma vergonha esse tipo de controle de mercado de trabalho. Ainda temos que levar em consideração a vergonha que é a realização do exame, onde a OAB reina politicamente incorreta e sem ética. Uma vergonha!!!

MAURO CORDEIRO EMPRESÁRIO - ESTUDANTE DE DIREITO04/01/2011 21:40 Responder

Ilustríssimos doutores, bacharéis e estudantes de Direito. Peço licença para externar também minha opinião desfavorável ao exame de ordem pelos mesmos motivos e argumentos já exaustivamente elencados neste e em outros espaços. Gostaria, entretanto, de colocar respeitosamente aos srs que aqui postaram, sobretudo aos bacharéis e estudantes, o baixíssimo nível de V Sas no que diz respeito ao emprego da lingua portuguesa. Vamos combinar... precisamos melhorar, e em muito o uso do vernáculo, principalmente ao escrever. Erros grosseiros e vergonhosos estão declinados nos vossos comentários. Aí a OAB se enche de razão para insistir na cobrança do tal exame de ordem. Vamos estudar criaturas!

Marco Nascimento Advogado 05/01/2011 1:12

Permissa máxima vênia, tenho afirmado isso repetidamente, mas não tem jeito não. Ai quando me refiro a analfabetos, me crucificam. Para um pretendente ao cargo de advogado, que utiliza e muito do português culto, isso é mesmo analfabetismo.

Anidelci Soares sua profissão05/01/2011 12:57 Responder

Sou bacharel em direito há 2 anos e meio, trabalho como técnica do judiciário em uma delegacia especializada, portanto, faço defesa de direitos ora infringidos, isso quer dizer, pois, que faço faler os meus aprendizados de academica. Prova-me que tenho capacidade habil ao exercicio do direito. Ocorre que até agora passei por 3 exames e fico sempre por 2 ou 3 pontos, isso é prova cabal, diante da OAB que eu não sou profissional o suficiente para exercer a profissão NOBRE DA ADVOCACIA??? Ou será que sou incapaz de completar os 2 ou 3 pontos restantes. Continuo estudando e tenho fé que vou conseguir vencer essa DESONRADA prova da Ordem. E que ordem é essa que há muito vem passando por tantos escandalos, e onde está a nossa JUSTIÇA que se cala e consente a permanencia dessa DESONRA A LEI E JUSTIÇA NACIONAL. Ah!, me desculpem, acabei de me lembrar, os nobres DOUTORES JUIZES não necessitam passar pelo Exame de Ordem para serem aprovados em concurso e tomar em suas mãos as nossas vidas...

MARCELO EUSTÁQUIO DE OLIVEIRA BACHAREL EM DIREITO06/01/2011 10:11 Responder

Fico pasmo com muitas coisas aqui postadas e lidas. Quando há falta de argumentação jurídica, a grande e esmagadora maioria dos corporativistas \\\"advogados\\\" que aqui participam, defendem com unhas e dentes a manutenção deste exame vexatória, discriminatório, e injusto Exame da OAB. Passam a tentar ridicularizar os também aqui presentes \\\"Bacharéis de Direito\\\" mencionando possíveis \\\"erros de português\\\" e ou \\\"digitação\\\" na tentativa de desqualificá-los e assim ter de volta argumentação, dizendo assim que estes não estão \\\"dignos\\\" a exercer a profissão. É compreensível que isso aconteça, pois ninguém em sã consciência irá querer \\\"dividir o bolo\\\", estimular e aumentar a livre concorrência já que o mercado já não está fácil. Trabalho como assistente jurídico num sindicato de classe e vejo cotidianamente, inúmeros \\\"advogados\\\" com carteira da OAB que em nada se equivalem, ou se superam a bacharéis de direito do mercado, pois tenho encontrado erros grosseiros e feito as devidas correções e inúmeras petições elaboradas por estes \\\"senhores doutores\\\" e visto até mesmo decisões judiciais de \\\"inépcia da inicial\\\" destes. A encouraçada, onipotente e insensível OAB se diz preocupada com a qualidade e não com a quantidade de advogados\\\", esta é a mais pura MENTIRA DESLAVADA !!!! Se essa autoritária e corporativista OAB estivesse realmente falando a verdade e preocupada com a qualidade dos profissionais, a mesma investiria na sua qualificação e especialização, e não estaria fazendo o que faz atualmente que é simplesmente virar as costas para os bacharéis, muitos deles já contribuintes mensais desta organização. A OAB usa como justificativa a inexperiência dos bacharéis que saem das faculdades e que estariam \\\"inaptos\\\" a exercer a profissão e por isso necessitariam ser testados em seu exame. Trata-se então de um TESTE ??? Seria tão simples dar-lhes experimentação e a tão falada \\\"competência\\\", testando-os então como estagiários diante de pilhas e pilhas de milhares de processos que estão empoeirados nas prateleiras das milhares de Varas e Juizados de todo o país, aguardando serem analisados e ou julgados. Se é experiência que lhes falta, dê aos mesmos condições de aprender, de estagiar na área que irão escolheram para seguir e assim auxiliarem na análise destes processos que estão parados e que os Juízes, os quais não têm culpa, informarem ser insuficientes número de auxiliares e funcionários habilitados, sendo esta a razão da existência destas pilhas de processos. Se não querem fazer \\\"reserva de mercado\\\", para não ter que repartir o bolo com milhares de novos advogados, que \\\"invadiriam\\\" o mercado colocando em prática a profissão que ficaram durante 5 anos aprendendo, já tendo portanto uma proficiência técnica já lhes testada nos inúmeros exames universitários e ENADES e estágios feitos, faltando-lhes a proficiência prática. Porque não respondem minhas correspondências referentes ao mesmo assunto, as quais enviei dezenas de vezes à presidência da OAB/MG ???. Outra razão de não quererem acabar com o exame é a alta lucratividade gerada para a OAB, por ano mais de R$ 10.000.000,00 (Dez milhões de reais) somente em taxas. Outra mina de dinheiro, os cursinhos, os quais, na sua grande maioria, tem como donos ilustres advogados do mercado, também não teriam nenhum interesse que o exame da OAB deixasse de ser exigido. O que vemos na verdade são os exames a cada ano serem mais apertados e exigentes, justamente com o objetivo de reprovar, mais e mais, por que isso acontece ? Não era apenas para testar o conhecimento dos mesmos !!!!??? Mas deve ser porque os bacharéis começam a se adaptar, a fazer os milionários cursinhos, os quais dão testes justamente sobre provas dadas pela OAB e aí para aumentarem a dificuldade das questões modificam a sua estrutura, mudam tanto que as mesmas são muitas vezes sujeitas à duplas interpretações e induzimento a erros por parte dos candidatos, os quais são obrigados à impetrar recursos exigindo correções. O \\\"PODER FINANCEIRO\\\", A \\\"RESERVA DE MERCADO\\\" E O MEDO DA \\\"LIVRE CONCORRÊNCIA\\\" SEMPRE ESTARÃO TENTANDO DERRUBAR QUALQUER TENTATIVA DE SE ACABAR COM O EXAME DA O.A.B. ESTA É A VERDADE PURA E SIMPLES !!!

seu nome sua profissão 08/01/2011 0:04

O recurso está na Procuradoria Geral da República (PGU) para análise e poderá retornar ao Supremo ainda este mês, para uma decisão colegiada da Suprema Corte. A ?Ficha Limpa? ganhou porque muitos se manifestaram a favor, enviando emails: Não cabe a OAB, medir a qualidade do ensino mesmo que jurídico; A profissão de advogado é a única no país, em que o detentor do diploma de Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, ou do Bacharel em Direito, para exercê-la, necessita se submeter a um exame, ferindo o princípio da isonomia; O montante que a OAB arrecada a cada exame, é uma quantia bastante vultuosa (para onde vai essa arrecadação?); Os cursos preparatórios são verdadeiros cartéis, e o corporativismo impera (os vrdadeiros donos desses cursos são na grande maioria desembargadores, juízes, procuradores, e eoutros... Esta é a hora de exprimir a nossa opinião, encaminhe a sua idéia para a PGU pelo E-mail: pgu.assessoria@agu.gov.br

Pires Júnior Servidor Público Federal06/01/2011 13:44 Responder

Sempre fui favorável à prova da OAB. Realmente deve haver um \\\"filtro\\\", já que o MEC não tem capacidade para controlar a qualidade das milhares de faculdades que existem. Mas sou totalmente contra a maneira em que o exame de Ordem é feito. Primeiro pelo alto valor da taxa de inscrição. Nem concurso para a Magistratura cobra aquele valor. Segundo, e mais grave, as provas práticas são corrigidas por amostragem; isto é notório e comprovado pela quantidade de recursos que são providos. Alunos que tiveram nota zero em determinado quesito, após o recurso recebem nota integral, numa clara demonstração que aquele quesito não fora corrigido. Terceiro, o espaço para redigir a peça prática nunca é suficiente para abordar de forma clara todos os pontos necessários e sugeridos pela própria banca examinadora. Exige-se cada vez mais do aluno, mas esquecem de adequar o espaço para as abordagens. Digitar cinco laudas em um computador é bem diferente de redigir o texto de forma manuscrita. Por fim, vejo que os responsáveis pela elaboração das questões não possuem a qualificação necessária para tanto, já que há questões mal elaboradas, com sentido duplo e, portanto, com interpretação diversa. Esta é a função do advogado, que de forma astuta, dá o entendimento que lhe convém para o fato que defende. E a prova deveria prever esta possibilidade, afinal, trata-se de questão subjetiva, embora atrelada à lei. O que vejo, enfim, é que a OAB se transformou em uma instituição de arrecadação e não quer, de forma nenhuma, perder esta fonte de renda que a mantém no poder. É simples: façam as contas! Este poder reina, colocando à margem qualquer cidadão que tenha opinião diferente. É necessário, com urgência, que estas questões sejam revistas e até mesmo sejam adequadas aos dias modernos, para que este assunto seja enterrado de uma vez por todas e o exame de Ordem seja motivo de orgulho para a instituição e um exemplo a ser seguido pelas demais profissões.

Camila Lopes Vieira Estagiária em Direito - Graduanda06/01/2011 13:47 Responder

Prezados colegas. Eis uma máxima: ?Em uma sociedade democrática, é justo e garantido, o contraditório e ampla defesa\\\". Ainda sou estudante desta matéria grandiosa que é o Direito, muito me espantou, ao começar a estagiar na área, como realmente é desempenhado o papel dos operadores do Direito. Erros graxos de português, ter a idéia e, talvez a certeza, de que está cima de tudo e todos quando, sequer tem coragem em comparecer em uma audiência, por exemplo, torcendo para que esta seja redesignada, ou mesmo cancelada. Poderia ser uma privilegiada com a mudança da referida lei, e não ter a obrigatoriedade em fazer o Exame da ordem, porém, eu estudo e me preparo para isso: - Aprender; - Compreender; - Saber fazer; - Não temer; - Surpreender; - Superar. Que venha o Exame, que venha o mais ávido adversário, que venha o desânimo com a falta de celeridade, venha e que venha com força, pois, estarei preparada a enfrentar qualquer um destes obstáculos da vida profissional. Perdemos tempo falando de problemas, porém, é inacreditável como ser humano não sabe focar na resolução do problema. Falar sobre enchentes é fácil, agora, deixar de jogar papel pela janela do seu carro pode? A lei foi criada e deve, na minha simples opinião, de quem ainda tem muito para aprender, respeitada a fim de garantir aos clientes uma representação à altura da sua necessidade. Talvez eu não seja a única presenciar a vergonha que é um advogado não saber algo que deveria ter aprendido no 2º ano da Graduação. Vejo colegas de sala perguntar ao professor o que é Habeas Corpus.( Estamos no 3º ano!!!) Presencio clientes que perderam anos da vida em causas em que o advogado não sabia o que fazer (Se recurso de sentença, se embargos, se apelação etc.) e o pobre cliente, que tinha o direito a tal questão, perdeu, pois, tinha como representante uma pessoa despreparada que a fez perder o direito que lhe era garantido. Eu quero ser examinada e saber se estou preparada a lidar com a vida das pessoas e suas lides. Não temas a prova. Faça-a. Supere-a. É apenas um SIMPLES obstáculo comparado com as diversas adversidades que terás à frente nesta linda e gratificante carreira como Operadora do Direito. E para os que dizem ?Temem a livre concorrência? saibam que é muito melhor ?lutar? com adversário preparado e à altura,pois, preparar-se anos para ?derrubar? o adversário no 1º round não tem graça. Um grande abraço e boa sorte. Camila Lopes Vieira 3º ano Direito Santo André SP

Norberto Junior Advogado06/01/2011 13:51 Responder

\\\"O pedido afirma que, caso a liminar não seja suspensa, ?as consequências serão graves?, pois haverá ?precedente perigoso, que dará azo a uma enxurrada de ações similares (efeito cascata/dominó)?, o que colocará no mercado de trabalho inúmeros bacharéis cujos mínimos conhecimentos técnico-jurídicos não foram objeto de prévia aferição. Com isso, ?porão em risco a liberdade, o patrimônio, a saúde e a dignidade de seus clientes?. Depois desta fantástica afirmação sobre a preocupação e Zelo que a OAB tem sobre os direitos dos clientes, o que a OAB tem a dizer sobre as ridiculas, exdruxulas e ignóbeis sentenças exaradas pelos d. juizos, que desrespeitam qualquer princípio de razoabilidade, de decência e demonstram (levando em conta as fundamentações quase imbecis ao sentenciar de alguns ditos d. juizes) que os mesmos cursaram um curso de direito de nível, no mínimo um pouco precário, e não apenas estudaram loucamente para passar no concurso, visto o desprezo ou mesmo desconhecimento dos objetivos perseguidos pela ciência do direito (paz Social, moral, ética, resolução salomônica de conflitos, etc) e mesmo assim continuam todos serelepes a trombetear que detém constitucionalmente o direito de exercer seu livre convencimento e autonomia de sentenciar, portanto, que se dane se a sentença vem envaida de erros (lembrando que muitos juizes realmente são dignos da função e a exercem com extrema correção e técnica) e prejudique claramente alguma das partes, ou seja, me parece que quando se trata de juízes, este zelo da OAB com a correção e interesse a direitos de clientes ou com a dignidade do direito ficam meio embasados e não são explicitados de forma tão veemente como quando se trata dos bachareis de direito. Os únicos que parecem ter obrigações e responsabilidade com o direito são apenas os bachareis, pois estes são cobrados de forma rígida e também de forma financeira, visto o custo par se fazer um exame da ordem. PS; sou advogado e passei no exame da ordem, portanto, não escrevo sob o manto de qualquer revolta ou mesmo de corporativismo de classe, se é para melhorar o nível do direito (melhorar o nível dos cursos de direito é fácil, é só fiscalizar a faculdade e fechar se a mesma é vagabunda, pois é ela a fonte de bachareis e não é responsabilidade de bacharel em direito aumentar a qualidade das faculdades). Desde que o mundo é mundo o exemplo deve vir de cima e quem detem o poder, prática e teoricamente mais conhecimentos, é que detém a maior responsabilidade e obrigações de melhoras em qualquer área de conhecimento, jamais transferindo estas responsabildades para os iniciantes, ou seja no caso presente os bacháreis. tratar iguais de forma igual e desiguais de forma desigual, isto é principio de justiça.

seu nome sua profissão 08/01/2011 0:16

O recurso está na Procuradoria Geral da República (PGU) para análise e poderá retornar ao Supremo ainda este mês, para uma decisão colegiada da Suprema Corte. A ?Ficha Limpa? ganhou porque muitos se manifestaram a favor, enviando emails: Não cabe a OAB, medir a qualidade do ensino mesmo que jurídico; A profissão de advogado é a única no país, em que o detentor do diploma de Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, ou do Bacharel em Direito, para exercê-la, necessita se submeter a um exame, ferindo o princípio da isonomia; O montante que a OAB arrecada a cada exame, é uma quantia bastante vultuosa (para onde vai essa arrecadação?); Os cursos preparatórios são verdadeiros cartéis, e o corporativismo impera (os vrdadeiros donos desses cursos são na grande maioria desembargadores, juízes, procuradores, e eoutros... Esta é a hora de exprimir a nossa opinião, encaminhe a sua idéia para a PGU pelo E-mail: pgu.assessoria@agu.gov.br

Mário Hahn aposentado18/01/2011 13:35 Responder

Mário Não entendo, um espaço tão nobre, não estar sendo aproveitado, principalmente pelos que defendem o fim do EXAME DE ORDEM, pela sua inconstitucionalidade. Abraços

Mário Hahn aposentado18/01/2011 13:48 Responder

É um texto longo, mas de uma verdade NUA E CRUA. Leiam, por favor. Com a palavra o Sr. Vasco Vasconcelos Viva a democracia! Viva o Estado Democrático de Direito! Viva os Direitos Humanos. Viva a liberdade do livre exercício profissional assegurada o art. 5º-XIII CF, -é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, (...) e em respeito ao princípio da dignidade da pessoa humana insculpido no art. 1º - III e IV- os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa, ambos da Constituição Federal, bem como DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS (1948) notadamente os artigos:V - Ninguém será submetido a tortura, nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante; Artigo VII - Todos são iguais perante a lei e têm direito, sem qualquer distinção, a igual proteção da lei. Todos têm direito a igual proteção contra qualquer discriminação que viole a presente Declaração e contra qualquer incitamento a tal discriminação. XXIII -Toda pessoa tem direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, a condições justas e favoráveis de trabalho e à proteção contra o desemprego. Mais uma derrota amarga da OAB. Com o advento da decisão histórica do nobre Desembargador Vladimir Souza Carvalho do TRF-5 de ter concedido Liminar para dois bacharéis em Direito devidamente qualificados pelo Estado (MEC) a se inscreverem nos quadros da ordem dos Advogados do Brasil-OAB, sem a necessidade de se submeterem ao pernicioso Exame de Ordem, ela se e esperneou, inclusive com insultos rasteiros e golpes baixos contra o eminente Desembargador ao revelar que o seu filho foi reprovado quatro vezes nesse pernicioso, abusivo, caça-níquel, cruel Exame da OAB, jogando lama, num Juiz Federal aprovado via Concurso Público, com quase trinta e três anos de relevantes serviços prestados judicatura , sujando sua toga, desrespeitando o art. 18 do Provimento 136/2009 da OAB, aprovado em 19 de outubro de 2009 que Estabelece normas e diretrizes do Exame de Ordem \\\"in-verbis\\\" \\\"Art. 18. A divulgação dos resultados das provas do Exame de Ordem será efetuada após homologação pela Coordenação Nacional de Exame de Ordem, vedada a divulgação dos nomes dos examinados não aprovados\\\".(O grifo é meu). A OAB resolveu combater a liminar, e protocolou em 22/12/2010, junto ao Superior Tribunal de Justiça -STJ um Recurso (Ação de Suspensão de Segurança) amparado no art. 271 do regimento interno do STJ. Em 24 de dezembro de 2010, o eminente O Presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Ministro Ari Pargendler, NÃO CONHECEU DO PEDIDO DA OAB e determinou a remessa ao Supremo Tribunal Federal (STF) dos autos que contestam a possibilidade de inscrição na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) sem a prévia aprovação no Exame de Ordem. Para o ministro Ari Pargendler, o fundamento da discussão é constitucional e já foi identificado como de repercussão geral em um recurso extraordinário naquele Tribunal (RE 603.583). Repercutiu muito mal no meio jurídico e na sociedade em geral, em desfavor da OAB ao invés de utilizar de argumentos jurídicos plausíveis para atacar tempestivamente a Liminar, se utilizou da mídia impressa e eletrônica com ofensas rasteiras, insultos pessoais, lançou mão de uma estratégia pessoal que atingiu a família do nobre Desembargador Vladimir Carvalho, ao ponto de tornar público o sigilo do resultado do Exame a reprovação do seu parente nesse caça-níquel e famigerado exame, fato que é proibido pelo próprio Provimento nº 136/2009 da OAB. Depara-se portanto com o desespero do nobre Presidente OAB, e dos seu defensores e plantonistas por não terem argumentos jurídicos para contrapor, até porque a Decisão do Desembargador foi muito bem fundamenta a inconstitucionalidade do Exame de Ordem; partiram para ataques, e artifícios sórdidos ao ponto de certas figuras pálidas acessarem jornais e blogs na internet para postarem comentários se passando e fingindo serem Bacharéis em Direito, com erros grosseiros de português, dando a entender que os Bacharéis em Direito não estão preparados para o exercício da advocacia. Outros se utilizam dos mesmos argumentos fúteis dizendo que o país tem 1128 faculdades de direito, porque o MEC não fiscaliza os cursos de direito; que conhecem faculdades domingueiras, de fundo de quintal; faculdades de esquina; faculdades em shopping center; que conhecem \\\"adivogados\\\" \\\"adevogados\\\" que não sabem fazer uma petição; tudo isso senhores, porém, eles não têm coragem de citar o nome e nem de denunciar ao MEC e à própria OAB. Outros bandoleiros utilizam os espaços de jornais para depreciarem os Bacharéis com ofensas tais como: \\\"Vão estudar vagabundos que vocês passam\\\" ou seja isso meus nobres leitores não são argumentos jurídicos; são aberrações descabidas próprias de meliantes de plantão. Tanto o nobre Presidente da OAB o qual tenho um grande respeito e admiração, quanto os defensores de plantão sabem que não é papel da OAB avaliar ninguém. Assegura o art. 205 da Constituição: \\\"A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. (Grifei) OAB juntamente com os demais conselhos de classes, são órgãos de fiscalização da profissão, não tem competência para avaliar nem as faculdades que não prestam; nem os Bacharéis em Direito. Avaliação das faculdades e dos Bacharéis em Direito são de responsabilidade do MEC. Isso é um abuso é uma extorsão e um afronta à constituição. Conforme tenho repetido, a OAB se aproveita do estado de letargia do MEC, que não impõe suas prerrogativas, se fingindo de morto, autoriza e reconhece as faculdades de direito e deveria ser responsabilizado inclusive pela própria OAB e pelo Ministério Público pela omissão e irresponsabilidade. Mas essa omissão está gerando muito lucro, tanto é que de olhos gordos no lucro fácil há um bando infestando o Congresso Nacional querendo levar esse tipo de extorsão para outras profissões. (TUDO POR DINHEIRO FÁCIL). O grande responsável por tudo isso que está ocorrendo deve-se à omissão e generosidade do poder público. A colenda OAB, com seu \\\"modus operandi\\\" quer de forma irresponsável e inconstitucional tomar as atribuições que são da alçada do MEC. Não sei até quando vai a ânsia das cabeças obtusas, dos dirigentes da OAB pelo lucro fácil, usurpando prerrogativas do MEC, com a preocupação maior voltada para tosquiar vergonhosamente milhares de operadores do direito que depois de cursarem cinco longos anos numa Universidade, autorizada, fiscalizada e reconhecidas pelo Ministério da Educação, com todos os professores inscritos nos quadros da OAB, serem obrigados a se submeterem a essa tremenda e horripilante humilhação, numa verdadeira afronta à Constituição Federal, notadamente art. 5º inciso XIII CF: \\\"é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer\\\". Art. 205 CF. \\\"A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. Art. 43. da LDB - Lei 9.394/96 \\\"a educação superior tem por finalidade (.); inciso 2 - formar diplomados nas diferentes áreas de conhecimento, aptos para a inserção em setores profissionais. Não obstante jogando-os ao infortúnio, ao banimento, gerando fome, desemprego, miséria e doenças psicossociais, causando incomensuráveis prejuízos ao país e aos Bacharéis em Direito soterrados em dívidas do Fies, corroborando assim para elevação dos índices de desempregados, do caldo da miséria, da mendicância e desigualdades sociais e ainda, pasmem, é premiada com o Premio de Direitos Humanos.Isso é um deboche!. Vejam o que explicita o art. 29 § 1º do Código de Ética Disciplina da OAB (Das regras deontológicas fundamentais) \\\"Títulos ou qualificações profissionais são os relativos à profissão de advogado, conferidos por universidades ou instituições de ensino superior, reconhecidas\\\". Desafio os dirigentes da OAB, a se submeterem a essa excrescência. Desafio outrossim, visitarem \\\"in-loco\\\" o Ministério do Trabalho e Emprego -MTE, para conhecer de perto o que é a verdadeira QUALIFICAÇÃO. Nobres causídicos, enquanto a QUALIFICAÇÃO do Ministério do Trabalho e Emprego,está voltada ao combate às desigualdades de oportunidades; preparando o trabalhador para os desafios que caracterizam os tempos modernos ou seja sua inserção no mercado do trabalho, contribuindo com o aumento da produtividade e da renda, rumo à conquista da sua autonomia financeira, sua dignidade do ser humano, para que passe a integrar a sociedade, a tal \\\"QUALIFICAÇÃO\\\" que se diz fazer a OAB, e os seus defensores de plantão, é totalmente inversa, visa a manutenção da reserva pútrida de mercado, em um país de desempregados, gerando fome, desemprego e doenças psicossomáticas enfim corroborando para o aumentando do caldo da miséria,da mendicância e as desigualdades sociais, num flagrante desrespeito a dignidade da pessoa humana. Não me canso de repetir: A OAB precisa ser humanizada precisa ser parceira dos Bacharéis em Direito ao invés de algoz e cumprir o seu papel constitucional na real defesa dos direitos humanos e não na defesa de interesses escusos, que só tem olhos para os bolsos dos pobres e endividados Bacharéis em Direito. A tolerância se esgota quando começa o abuso. Deveria está ciente que os fins não podem justificar os meios e que ela tem a missão (Estatuto, art. 44) de defender a Constituição e o Estado democrático de direito. Peço \\\"venia\\\" para fazer uma alerta ao Egrégio STF. Vejo com muita preocupação entidades se aproveitando da fraqueza do Estado, para impor seus caprichos com o falso argumento que é para proteger a sociedade, tomando o lugar do Estado. No Acre criaram a Polícia Indígena; No campo o MST está tudo dominado. Nos grandes centros urbanos a milícia armada tomando conta da Segurança Pública, e até, pasmem, a OAB na contramão da história, de olhos gordos no lucro fácil, afrontando vergonhosamente a Constituição, o Estado de Direito e os Direitos Humanos ao impor goela abaixo o seu caça-níquel, cruel, pernicioso, abusivo, restritivo, famigerado e inconstitucional Exame OAB, verdadeiro mecanismo de exclusão social, tosquiando com altas taxas e jogando ao infortúnio milhares de Bacharéis em Direito já devidamente qualificados pelo Estado (MEC), aptos para o exercício da advocacia, gerando fome,desemprego e doenças psicossociais e o pior sem adquirir uma só unidade de giz, sem contratar um só professor, sem ministrar uma só aula ou palestra, ainda tem a desfaçatez de dizer que isso é qualificação. Nos ensina José Afonso Silva,\\\" atribuir a qualquer dos poderes atribuições que a Constituição só outorga a outro importará tendência a abolir o princípio da separação de poderes (in Curso de Direito Constitucional Positivo 23 Ed. Malheiro SP, p 67)\\\". Essa assertiva vai de encontro à exigência descabida da obrigatoriedade do pecaminoso, restritivo, inconstitucional, abusivo, imoral caça-níquel famigerado e inconstitucional exame da OAB. Enfim, o castelo da OAB começou a ruir. Com essa amarga derrota a OAB deveria num gesto de extrema grandeza suspender incontinenti essa excrescência descabida do Exame de Ordem, até a decisão final do STF, em respeito a dignidade da pessoa humana, verdadeira máquina de tosquiar, pois tudo leva a crer que Egrégio STF irá julgar inconstitucional esse famigerado Exame, não obstante, poderá obrigar a OAB devolver todo dinheiro que não presta contas ao Tribunal de Contas da União, extorquido nos últimos dez anos, dos bolsos e dos sacrifícios de milhares de Bacharéis em Direito, atolados em dívidas do Fies, já qualificados pelo Estado MEC aptos para o exercício da advocacia. Conclamo todos os Bacharéis em Direito ter um pouco de vergonha na cara e MIRAR NOS CARAS PINTADAS; parar de encher os cofres da OAB; doravante ninguém mais pagar altas taxas de inscrições, até o Egrégio Supremo Tribunal Federal jogar o pá de cal no caça-níquel famigerado Exame de Ordem.. Foi muito feliz o Desembargador Lécio Resende, então Presidente do TJDFT, numa entrevista concedida ao Correio Braziliense, quando afirmou: Exame da OAB, \\\"É uma exigência descabida. Restringe o direito de livre exercício que o título universitário habilita\\\". Vivemos num país democrático, e a nossa Lei Maior tem que ser respeitada, principalmente pelos órgãos guardiões da Constituição Federal Está patente que o caça-níquel Exame da OAB já está com a morte anunciada. Derrota vergonhosa da OAB e VITÓRIA para a Democracia; para o Estado de Direito e os Direitos Humanos, tornando cristalizado que é livre exercício profissional. Isso significa Justiça Social; mais emprego, mais renda, mais cidadania e mais respeito e dignidade com a pessoa humana. Parabéns ao Judiciário por reter a ânsia do poder da OAB (Leviatã), que só pensa em arrecadar, arrecadar, arrecadar, sem dar nada em contrapartida, para manter sua pútrida reserva de mercado e suprir os quase 30%2525 (trinta por cento) dos advogados inadimplentes com suas anuidades junto à OAB. Meus nobres causídicos, se esse tipo de Exame qualifica honestamente alguém, questiono: Por que a OAB foi contra a provinha do Exame de admissão ao Quinto Constitucional exigida pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro/TJ/RJ, para os apadrinhados da OAB e do Ministério Público, ao ponto da própria OAB questionar a inconstitucionalidade de tal Exame junto ao Conselho Nacional de Justiça que incontinente julgou inconstitucional? Onde está doutores, a coerência da OAB? \\\"Para os amigos tudo; para os inimigos a lei\\\" É correto a OAB se utilizar de dois pesos e duas medidas? E quando se fala na extinção desse excremento seus defensores afirmam que é um grande risco para sociedade? Sinceramente não vejo risco algum. O mercado é seletivo e só sobrevivem os bons profissionais. A extinção do caça-níquel exame se faz imperiosa e urgente. Significa o fim da reserva de mercado, a redução dos índices de desempregados, mais cidadania, respeito e dignidade da pessoa humana enfim mais trabalho e mais renda. Por fim lembro mais uma vez que o Egrégio Supremo Tribunal Federal (STF) entendeu, em 14/12/2009 (há um ano atrás), haver repercussão geral no Recurso Extraordinário (RE) 603583, que questiona a obrigatoriedade do Exame da Ordem dos Advogados do Brasil para que bacharéis em Direito possam exercer a advocacia. A votação foi unânime e ocorreu por meio do Plenário Virtual da Corte, só falta agora colocar em pauta e banir urgente tal excrescência do nosso ordenamento jurídico. De conformidade com o RE em pauta, a submissão dos bacharéis ao Exame de Ordem atenta contra os princípios constitucionais da dignidade da pessoa humana, da igualdade, do livre exercício das profissões, bem como contra o direito à vida. Conforme o recurso, impedir que os bacharéis exerçam a profissão de advogado após a conclusão do curso universitário também representaria ofensa aos princípios da presunção de inocência, do devido processo legal, do contraditório e da ampla defesa, não obstante há alegação de violação aos artigos 1º, inciso II, III e IV; 3º, incisos I, II, III e IV; artigo 5º, incisos II e XIII; 84, inciso IV; 170; 193; 205; 207; 209, inciso II; e 214, incisos IV e V, todos da Constituição Federal. De acordo com o dicionário Aurélio, Advogado é o \\\"Bacharel em direito legalmente habilitado a advogar, i. e., a prestar assistência profissional a terceiros em assunto jurídico, defendendo-lhes os interesses, ou como consultor, ou como procurador em juízo\\\". O Egrégio Supremo Tribunal Federal -STF a maior Corte de Justiça do nosso país, guardião da Constituição por expressa delegação do poder constituinte, não pode se curvar aos interesses escusos dos mercenários da OAB, deverá cumprir com zelo, dedicação, pertinácia e denodo e com absoluta independência moral, os elevados objetivos norteadores de sua criação, extirpando esse câncer do Exame de Ordem do nosso ordenamento jurídico. Em respeito à Constituição Federal ao Estado de Direito e aos Direitos Humanos. Viva o livre exercício profissional! VASCO VASCONCELOS Analista e Escritor BRASÌLIA-DF

Paladino Empresario19/01/2011 17:59 Responder

Empresario, rico, engenheiro civil ( sem exame do CREA). Com a decisao do STF, solicito urgentemente ao presidente da OAB, a divulgacao de lista de profissionais advogados, credenciados conforme o Estatuto da OAB, ou seja , com o Exame de Ordem. Ha dias, contratei dois advogados conforme o Estatuto da OAB mas, deixei de contratar outros cinco pois, apesar de terem mais de vinte (20 ) anos de \\\" advogacia\\\", estavam em desacordo com o Estatuto, ou seja, nao fizeram o Exame de Ordem. Com a posicao do STF, so contrato profissionais dentro da lei ( Estatuto da OAB).

Régis Bastian jornalista20/01/2011 17:55 Responder

Tal \\\"exame\\\" é INCONSTITUCIONAL. O que a OAB está fazendo é RESERVA DE MERCADO. Em defesa desta, sacrifica-se a vida profissional de milhares de bacharéis em Direito.

Mário Hahn spetry52@hotmail.com20/01/2011 19:51 Responder

Zero Hora 20.01.2011 ? Página ? A Ordem dos Advogados Deveria olhar o umbigo? Aos 83 anos,o ex governados Alceu Collares, defende a pensão vitalícia e desafia a OAB a investir energia na discussão de outros temas, como o fim do exame de ordem para bacharéis em Direito que queiram atuar como advogados. Abaixo, leia trechos da entrevista que ele concedeu por telefone. Zero Hora ? Como o senhor avalia a iniciativa da OAB de questionar a legalidade da pensão para ex-governadores? Alceu Colares ? Para os que completaram mandato, isso é um direito adquirido. Podem tomar decisão para proibir daqui para frente. Mal ou bem, direito é direito. Não tem como fazer a correção pelo Judiciário de uma lei que foi devidamente aprovada na Assembléia. A OAB devia olhar o umbigo. ZH ? Por que? Collares ? Se olhassem o umbigo, iam ver que crime estão cometendo com o exame de Ordem. É o maior absurdo da história do direito brasileiro. A Ordem dos Advogados, numa verdadeira reserva de mercado, toma decisão de jogar no lixo as faculdades sob alegação de que a qualidade do ensino do direito. Isto é real, mas a Ordem dos Advogados, que é a minha Ordem, tinha de cessar esse exame e pedir o fechamento das faculdades que não cumprem as determinações do Ministério da Educação. É um assalto que a Ordem faz.

Paulo Cesar sua profissão24/01/2011 14:45 Responder

Esse Dr. Luiz Antonio Ferreira Nazareth Junior que provavelmente não fez o exame da ordem e deve pegar as petições prontas feitas por apenas bachareis me da uma certeza, de que é um mal professor que não prepara seus alunos para o mercado no medo da concorrencia. Que vergonha hei doutorzinho.

carla pos graduada em Direito Penal10/02/2011 12:29 Responder

Desculpe-me Doutor Antonio Ferreira Nazareth Junior, mais em que ano o Senhor obteve a sua nobre carteira junto a AOB ???Será que o Senhor consegueria ser aprovado no exame hoje????porque nem conhececimento sobre as Leis o Senhor tem!!! porque pra falar tanta besteira assim, deveria iniciar o curso de Direito, desde o 1º semestre e ser submetido a esse exame vergonhoso, que não aufere conhecimento nenhum, é somente uma fonte de arrecadação para encher o bolso desses pseudo-advogados que compõe essa entidade vergonhosa denominada OAB.

Elisa Bacharel sem trabalho05/07/2011 4:05 Responder

Temos que ir para a rua fazer protesto a este exame absurdo da OAB. Enquanto não tomarmos atitude, continuaremos no purgatório dos bacharéis. Temos um diploma!!!!! Passamos por diversos exames quando estávamos na Universidade. Ou eliminam esse Exame de Desordem, ou todas as outras carreiras terão que ter um exame igual ao da OAB também.