• Julio Martins Publicado em 02 de Março de 2020 - 19:04

    Pago IPTU do imóvel que ocupo há mais de 10 anos. Consigo regularizar por Usucapião?

    A questão do pagamento do IPTU na posse de imóvel não é preponderante mas pode ter sua importância.

  • Eduardo Luiz Santos Cabette e Gianfranco Silva Caruso Publicado em 02 de Março de 2020 - 14:25

    Lei anticrime e crimes hediondos

    O presente artigo discorre sobre a Lei Anticrime e os crimes hediondos.

  • Vinícius Henrique Publicado em 02 de Março de 2020 - 10:13

    A (in)admissibilidade da Adoção Avoenga sob a ótica do Estatuto da Criança e do Adolescente

    Este trabalho terá como objeto de estudo a adoção por ascendentes, mais precisamente a adoção avoenga, a qual é vedada segundo artigo 42, § 1º do ECA. Ocorre que, mesmo com tal proibição, em casos excepcionais, existe a possibilidade desse tipo de adoção, prevalecendo sempre os princípios basilares do referido estatuto.

  • Wilson de Faria e Camila Chizzotti Publicado em 28 de Fevereiro de 2020 - 12:10

    Obrigatoriedade de compliance para contratação pública

    O presente artigo discorre sobre a obrigatoriedade de compliance para contratação pública.

  • Alexandre S. Triches Publicado em 27 de Fevereiro de 2020 - 11:28

    Revisão do pente fino da aposentadoria por invalidez da Previdência Social

    O presente artigo discorre sobre a revisão do pente fino da aposentadoria por invalidez da Previdência Social.

  • Julio Martins Publicado em 27 de Fevereiro de 2020 - 09:43

    Inventário Extrajudicial com Testamento? SIM!

    Inventário feito em Cartório é muito mais rápido que a versão Judicial, porém é preciso conhecer as regras e manter-se atualizado

  • Atos Henrique Fernandes Publicado em 26 de Fevereiro de 2020 - 10:06

    A superioridade da sociedade civil em relação ao Estado e o equívoco do dirigismo constitucional

    O presente artigo objetiva expor os equívocos do centralismo estatal, consagrado pelo dirigismo constitucional, através de um estudo acerca da natureza do estado e da sociedade civil.

  • Julio Martins Publicado em 26 de Fevereiro de 2020 - 10:01

    Gratuidade na segunda via de identidade?

    No Estado do Rio, assim como em alguns outros Estados, existe Lei resguardando o direito.

  • Thais Pinhata via Cleinaldo Simões Assessoria de Comunicação Publicado em 21 de Fevereiro de 2020 - 17:16
  • João Baptista Herkenhoff Publicado em 21 de Fevereiro de 2020 - 15:13

    Não acredite em bicho papão

    O presente artigo discorre sobre intolerância religiosa.

  • Tauã Lima Verdan Rangel e Lucas Nunes Lepre Publicado em 20 de Fevereiro de 2020 - 12:28

    O Direito ao Planejamento Familiar como Instrumento da Liberdade de Constituição das Famílias

    O objetivo do presente é analisar o direito ao planejamento familiar como um constructo para a liberdade de constituição das famílias. Como é cediço, a família, enquanto instituição basilar da organização social, passou por uma série de transformações, sendo o principal alicerce que sustenta a sociedade contemporânea. Nesse quadrante, a família dota de relevância e importância tanto para a sociedade quanto para o ordenamento jurídico. Sendo assim, o vocábulo família carece de ser analisado a partir de suas transformações e os institutos constituintes da ramificação jurídica que se debruça sobre a temática. Desse modo, o vocábulo “família” foi inserido no ordenamento jurídico brasileiro, no primeiro momento, por meio do Código Civil de 1916, de maneira que se alterou até chegar na estrutura atual proposta pela Constituição Federal de 1988 e que norteia a interpretação estabelecida pelo Supremo Tribunal Federal. Nesse sentido, a família, na originalidade do Código Civil de 1916, era posta como fruto do casamento, além de perpassar a ideia da patriarcalismo e matrimonialização. Contudo, a partir da Carta Magna de 1988, a família passou a ser encarada em um viés múltiplo e heterogêneo. Some-se a isso, a mudança atenuada ao vocábulo família, que passou a ser um núcleo familiar no qual o indivíduo desenvolve-se a partir da afetividade, baseada no princípio da dignidade da pessoa humana. Desta feita, a mudança paradigmática possibilitou o reconhecimento de novas famílias, tais como: famílias homoafetivas, anaparentais e famílias mosaicas, entre outras. Com isso, o Direito de Família passou a discutir a questão do livre planejamento familiar, enquanto direito fundamental e imprescindível para o desenvolvimento humano, o que toca na liberdade dos casais em decidirem a quantidade de quantos filhos desejam e o momento oportuno para tê-los. Para melhor elaboração e estruturação do presente trabalho foi utilizado o método historiográfico e dedutivo. Ademais, como principal técnica de pesquisa foi feita a revisão de literatura de vários textos acadêmicos bem como a leitura de algumas obras de autores com conhecimento dentro da temática.

  • Ana Claudia N. Zandomenighi Publicado em 20 de Fevereiro de 2020 - 12:07

    Direito autoral na passarela do samba

    Patrimônio cultural é protegido pelo direito autoral? Como as escolas de samba lidam com a propriedade intelectual maia no âmbito do direito autoral.

  • Monique Rodrigues do Prado Publicado em 19 de Fevereiro de 2020 - 15:23

    O fetiche punitivista: bandido bom é bandido morto?

    O presente artigo discorre sobre o "fetiche punitivista".

  • Ricardo Santos de Sousa Publicado em 19 de Fevereiro de 2020 - 14:54

    O instituto da reclamação como meio de garantir a observância dos precedentes judiciais

    O presente artigo discorre sobre o instituto da reclamação como meio de garantir a observância dos precedentes judiciais.

  • Maria Luzinete A. P. Lobato Publicado em 19 de Fevereiro de 2020 - 08:40

    O Valor do Afeto na Ordem Jurídica os tipos de famílias

    O presente artigo vem analisar e demonstrar o aspecto legal do afeto e o seu valor na ordem jurídica, tendo como esteio o Princípio da Efetividade e sua relação com os novos modelos de famílias (tipos de famílias).

  • Carolina Martins Publicado em 18 de Fevereiro de 2020 - 12:33

    A mulher no agro

    O presente artigo discorre sobre a mulher no agronegócio.

  • Edson Sebastião de Almeida Publicado em 18 de Fevereiro de 2020 - 12:21

    REAPOSENTAÇÃO: o julgamento pelo STF em 6/2/2020 retrata um ativismo judicial?

    Neste artigo procuramos mostrar ao leitor sobre o trabalhador que obteve o benefício da aposentadoria, mas continuou na atividade laboral, sendo retido o IRPF e o INSS pelo empregador, dessa forma contribuindo para Fazenda Nacional, com objetivo de obter uma aposentadoria mais vantajosa, buscando ter um fim de vida com mais dignidade, cujas pretensões foram rejeitadas pelo STF.

  • Direito ao Saneamento Básico à luz do Estado Socioambiental de Direito: a materialização do ideário do meio ambiente ecologicamente equilibrado

    O escopo do presente é abordar o direito ao saneamento básico à luz do Estado Socioambiental de Direito. Como é cediço, o Texto Constitucional de 1988 promoveu o reconhecimento de um sucedâneo de direitos fundamentais ao desenvolvimento humano e à promoção da dignidade da pessoa humana. Neste passo, dentre os direitos reconhecidos, cuida analisar a importância do relevo concedido ao meio ambiente ecologicamente equilibrado alçado ao status de direito intergeracional e condicionante para a sadia qualidade de vida. Neste aspecto, o direito preconizado no artigo 225 da Constituição Federal compõe a concepção de mínimo existencial socioambiental, ou seja, um patamar de direitos considerados vitais e indissociáveis à vida humana. Assim sendo, ao se pensar em meio ambiente ecologicamente equilibrado, é impositivo o reconhecimento de direitos implícitos, os quais subsidiam a manutenção do mínimo existencial socioambiental, a exemplo do direito ao saneamento básico. A metodologia empregada na construção do presente pautou-se na utilização dos métodos historiográfico e dedutivo. Ainda no que concerne ao enfrentamento da temática científica, a pesquisa se caracteriza como qualitativa. A técnica de pesquisa principal utilizada foi a revisão de literatura sob o formato sistemático. Além disso, em razão da abordagem qualitativa empregada, foram utilizadas, ainda, a pesquisa bibliográfica e a análise documental.

  • João Baptista Herkenhoff Publicado em 17 de Fevereiro de 2020 - 12:00

    O Brasil e a ONU

    O presente artigo discorre sobre a relação do Presidente da República, Jair Bolsonaro e a ONU.

  • Entre o Texto Constitucional e a Realidade Fática: uma análise sobre o princípio da vedação ao retrocesso social à luz da Teoria da Reserva do Possível

    O escopo do presente artigo é analisar o princípio da vedação ao retrocesso social à luz da teoria da reserva do possível. Abordando os direitos sociais, que são uma proteção jurídica, onde assegura ao povo direitos, esses que podem se perder com as reformas e ajustes que a legislação sofre. Essa proteção social, é pauta nas agendas jurídicas e políticas, onde revelam uma precariedade ao efetivar e assegurar tais proteções, em níveis que condizem com a realidade social, e que se adequem a existência digna e aos padrões razoáveis de proporção material. Sendo assim, por mais urgentes que sejam as reformas, elas necessitam obedecer a um parâmetro formal e material, do ponto de vista jurídico e político, e em quais quer que sejam os casos, devem se basear na Constituição Federal, nos parâmetros da segurança jurídica, e o da proibição da vedação ao retrocesso, onde dialogam com princípios como o da proporcionalidade, dignidade da pessoa humana, e sustentabilidade. A metodologia empregada na construção do presente pautou-se na utilização dos métodos historiográfico e dedutivo. Ainda no que concerne ao enfrentamento da temática científica, a pesquisa se caracteriza como qualitativa. A técnica de pesquisa principal utilizada foi a revisão de literatura sob o formato sistemático. Além disso, em razão da abordagem qualitativa empregada, foram utilizadas, ainda, a pesquisa bibliográfica e a análise documental.

Exibindo resultado de 61 até 80 de um total de 9092