• facebook-footer
  • twitter-footer
  • googleplus-footer
Quarta-feira, 16 de Janeiro de 2019
ISSN 1980-4288

Marketing Jurídico: O que não fazer

O que não fazer em termos de marketing jurídico

Fonte: Gustavo Rocha

Comentários: (0)




Iniciamos com um vídeo:


(http://www.gestao.adv.br/MktJuridico.mp4)


Depois deste vídeo, tiramos algumas conclusões, não é mesmo?


+ Uma kombi não é um bom lugar para publicidade;


+ Música tem que ser adequada ao contexto;


+ Vender o seu trabalho na feira não se traduz em resultados práticos;


+ Precisamos mais do que descontos e parcelamento em 18 vezes para termos trabalho;


Enfim,


Marketing não é propaganda, nem mesmo propaganda de mau gosto.


Marketing é estratégia, é definição de produtos, é observar o mercado com olhar crítico e clínico, para um ataque cirúrgico e preciso a clientes e possíveis clientes.


Marketing passa por um bom cartão de visitas, por uma boa conversa em um networking, por eventos, por redes sociais, por inúmeras formas que não tem nada a ver com a propaganda.


Podemos mudar tudo no código de ética, podemos até revoga-lo, mas tenham certeza que o marketing é sempre mais eficiente que a propaganda.


Propaganda é o expositor de refrigerantes num supermercado. Marketing é colocar o refrigerante sempre no fundo do supermercado, fazendo o comprador passar por inúmeras coisas que ele pode lembrar antes de pegar o refrigerante ou a cerveja.


Marketing é raciocínio e estratégia.


Somente assim que se vence a batalha de cativar e manter clientes diariamente.


Raciocínio e estratégia.


Autor


Gustavo Rocha é  consultor nas áreas de gestão e tecnologia estratégicas

Palavras-chave: marketing jurídico

Deixe o seu comentário. Participe!

colunas/marketing-juridico/marketing-juridico-o-que-nao-fazer

0 Comentários

Conheça os produtos da Jurid