• facebook-footer
  • twitter-footer
  • googleplus-footer
Sexta-feira, 28 de Julho de 2017
ISSN 1980-4288

Segunda Seção do Superior Tribunal de Justiça discute indenização por morte em banco

Os invasores efetuaram disparos dentro da agência, e alguns deles atingiram o comerciante, que faleceu. Os autores da ação alegaram que houve falha na porta giratória do estabelecimento bancário.

Fonte: STJ

Comentários: (0)


Reprodução: fotospublicas.com

Segunda Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) julga pedido de indenização por danos morais e materiais da esposa e dos filhos de comerciante que estava em agência bancária do Unibanco na cidade de São Paulo quando o local foi invadido por assaltantes.


Os invasores efetuaram disparos dentro da agência, e alguns deles atingiram o comerciante, que faleceu. Os autores da ação alegaram que houve falha na porta giratória do estabelecimento bancário.


A sentença reconheceu a responsabilidade do Unibanco pelo fato e a relação de consumo existente no acidente, já que o comerciante aguardava atendimento no interior da agência. O banco foi condenado a pagar R$ 200 mil por danos morais, além de pensão para os filhos do falecido.


Acordo


Apesar de reconhecer a falha no sistema de segurança da agência e manter a condenação do banco, o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) reduziu o valor da indenização para R$ 130 mil. As pensões foram mantidas pelo tribunal gaúcho.


Mesmo com a redução dos valores estabelecida no acórdão, o Unibanco recorreu ao STJ. Segundo o banco, a esposa do falecido realizou acordo para recebimento de indenização antes do pedido judicial contra a instituição financeira.

Palavras-chave: Indenização Danos Morais Danos Materiais Assalto Bando Unibanco Falha Porta Giratória

URL Encurtada

Deixe o seu comentário. Participe!

noticias/segunda-secao-do-superior-tribunal-de-justica-discute-indenizacao-por-morte-em-banco

0 Comentários