• facebook-footer
  • twitter-footer
  • googleplus-footer
Segunda-feira, 21 de Agosto de 2017
ISSN 1980-4288

Censura ou Monopólio do Conhecimento?

O conhecimento deve ser livre.

Fonte: Ismênia Nunes

Comentários: (0)


Reprodução: pixabay.com

O conhecimento deve ser livre, portanto não deve ser cobrado, tampouco privado. Todos deveríamos ter acesso ao conhecimento, uma vez que faz parte da Educação. E isso nos é assegurado pela Constituição em seu artigo 205 que aduz: "A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho".


Lembrando que a cidadania é o exercício dos direitos e deveres civis, políticos e sociais estabelecidos na Constituição de um país.


Não podemos dominar o conhecimento, esta atitude seria um ato egoísta e prepotente, isto é, querer deter o "Monopólio do Conhecimento". Mas, vale lembrar, que existem determinadas situações que este monopólio se transforma em censura, mas não a censura dos anos 60, não mas a censura velada, a censura em que uma pessoa ou instituição quer se impor a todo custo para manter o domínio cultural do conhecimento, mas não podemos mais permitir esse tipo de domínio e de pessoas que assim agem impunemente.


Infelizmente, depois de quatro anos de pesquisas, deparei-me com tais situações: a censura e o monopólio do conhecimento. Obviamente, as pessoas que querem manter esse monopólio tentam mostrar uma face diferente para a mídia, mas esquecem que o boca a boca fala muito mais e mostra quem é quem neste mundo de conhecimento e informação. O conhecimento é de todos. Não podemos morrer com o conhecimento para nós. É o que diz a parábola dos talentos, se assim o fizermos estaríamos enterrando esse talento, ao invés de difundirmos, ampliarmos. Pessoas que se usam de instituições que deveriam difundir, ampliar o conhecimento, a educação, estão fazendo exatamente o contrário. E por "detrás dos panos", tentam impedir que o conhecimento se difunda; usando de censura, de ameaças, de injúrias e de inverdades, dizendo-se representantes dessa ou de outra família, ignorando as leis brasileiras e o que é pior, ignorando a Liberdade de Imprensa.


Liberdade de Imprensa é a possibilidade de o jornalista publicar e dispor de acesso à informação mediante os meios de comunicação em geral, sem que haja a interferência do Estado ou mesmo de terceiros. Essa liberdade pode ser garantida pelo governo por intermédio da legislação (se necessário for). A repressão que ocorre com relação à imprensa é o que chamamos de censura.


A respeito disso, já dizia Karl Max: "A imprensa é livre, é o olhar do povo onipotente".


Em 2015, o livro "O Pequeno Príncipe" tornou-se de Domínio Público, ou seja, poderá ser usado por qualquer pessoa, sem restrições ou pagamento pelo uso da obra para autores, familiares ou mesmo representantes destes. O personagem Exupéry, também é figura pública.


Há pessoas porém, que parecem não se dar conta em que País estamos, alegando esta ou aquela lei estrangeira, querendo aumentar esse prazo de uso dos direitos para 2050. É necessário que uma coisa fique bem clara, estamos no Brasil. Leis estrangeiras não regem nosso País. Querendo ou não, agradando ou não, no Brasil, o livro "O Pequeno Príncipe" é de DOMÍNIO PÚBLICO.


Com relação às biografias de pessoas vivas, como é o caso do cantor Roberto Carlos, não há a necessidade de autorização prévia; esta foi uma decisão unânime do Superior Tribunal Federal (STF) em julho de 2015. Agora, a imprensa ser acusada de plágio pelo simples fato de alguém não querer perder o monopólio de falar deste tema? É fácil blasfemar e acusar alguém de plágio, agir na surdina e falar aos quatro ventos coisas irreais. Não esqueçamos, calúnia, injúria e difamação são crimes previstos em lei, conforme artigos 138, 139 e 140), logo, passíveis de prisão.


Já dizia Exupéry: "O essencial é invisível aos olhos", mas ainda vivemos do ter e nos esquecemos do ser. Essas pessoas, em nome de um narcisismo fútil, tentam usar de influências para calar e negar a difusão do conhecimento ao povo, aproveitando-se da confiança e das "amizades" a seu bel prazer.


O jornalismo está aqui para difundir a verdade, o conhecimento e a informação a todos. Que possamos dividir o que temos com as pessoas, inclusive nossos conhecimentos e não morramos com ele, pois se assim o for, todo o conhecimento adquirido foi inútil.


Autora: Ismênia Nunes é Jornalista.

Palavras-chave: CF Censura Monopólio Conhecimento Domínio Público Liberdade de Imprensa "O Pequeno Príncipe"

URL Encurtada

Deixe o seu comentário. Participe!

noticias/censura-ou-monopolio-do-conhecimento-2017-04-17

0 Comentários