• facebook-footer
  • twitter-footer
  • googleplus-footer
Domingo, 28 de Maio de 2017
ISSN 1980-4288

A salsicharia do Direito

O JBM tem jeitão de call center, linha de produção, custos baixíssimos e atraiu a atenção do investidor Ricardo Semler - é o escritório de advocacia mais inusitado do país

Fonte: Revista Exame

Comentários: (129)


A entrada da empresa no centro de Bauru, no interior de São Paulo, dá para um salão de 2000 metros quadrados e pé-direito alto, como num galpão.


Ali, enfileiram-se gôndolas parecidas com aquelas de supermercado, cada uma com dezenas de estações de trabalho, onde os mais de 400 funcionários, lado a lado, não tiram os olhos da tela dos computadores. Esses profissionais têm metas a cumprir: precisam atender determinado número de fregueses antes de encerrar o expediente. Entre os termos mais comuns no dia a dia estão workflow, checklist, gestão de equipe, controle de qualidade, mensuração de resultados. Só quando o visitante dá alguns passos para trás pode perceber, na placa prateada no hall do elevador, que não está em um centro de operações de telemarketing ou algo do gênero. "J. Bueno e Mandaliti - Sociedade de Advogados", lê-se. Trata-se do maior escritório de advocacia do país em número de advogados.


É também - certamente - a sociedade de advogados mais inusitada em atividade no Brasil hoje em dia. Basta olhar o tal galpão bauruense para perceber que o JBM, como é conhecido, assemelha-se mais a uma linha de produção fabril do que ao acarpetado, engravatado e afetado mundo dos grandes escritórios de advocacia do eixo Rio-São Paulo. O principal motivo para isso é sua área de atuação. O JBM é o primeiro escritório do país especializado naquilo que os advogados chamam de "contencioso de massa". Isso quer dizer que seus advogados cuidam das dezenas de milhares de pequenas causas de que são alvo as grandes empresas - principalmente ações trabalhistas e de direito do consumidor. Para organizar a enxurrada de processos que seus departamentos jurídicos têm de encarar, as empresas contratam escritórios de advocacia - que, para dar conta do trabalho, se organizam como verdadeiras salsicharias do direito. Só o JBM administra mais de 230 000 processos. E, segundo seus sócios, vai faturar cerca de 110 milhões de reais em 2011.


A história do escritório é marcada pelo ineditismo. Primeiro, porque não havia, até hoje, quem se dedicasse apenas a esse tipo de causa. Mas nada é mais original no JBM do que seu modelo de negócios - uma versão advocaticia do modelo de baixo custo de companhias aéreas, como JetBlue e Ryan Air, ou de varejistas como o Walmart. Grandes escritórios, como Pinheiro Neto ou Machado Meyer, atuam em nichos extremamente rentáveis, como fusões, aberturas de capital ou direito tributário. Assim, podem se dar ao luxo de ter sedes portentosas (o Pinheiro Neto fica no prédio do extinto Banco Santos, em São Paulo) e advogados estrelados que cobram até 1000 reais pela hora trabalhada. No caso do JBM, essa mamata era inviável. Não existe, no direito empresarial, nada menos glamouroso, nada menos rentável do que o tal contencioso de massa. Cada processo rende aos escritórios uma merreca - cerca de 100 reais, no máximo. Já numa abertura de capital, por exemplo, os advogados podem faturar meio milhão de reais. Para fazer a conta fechar, os fundadores do JBM, liderados pelo sócio José Edgard Bueno, tiveram de inventar uma fórmula.


Fundado em 2008 por Bueno, ex-sócio da tradicional banca paulista Demarest %26 Almeida, e outros dois advogados, o JBM nasceu com uma evidente obsessão por manter os custos baixos. Seus principais centros operacionais estão longe dos pontos sofisticados de São Paulo e Rio de Janeiro. O grosso do trabalho se concentra na já citada Bauru, a 345 quilômetros de São Paulo. Isso, vale notar, nada tem a ver com uma aposta na pujança econômica do interior paulista. A ideia é mesmo economizar com o aluguel e a mão de obra. O aluguel do prédio-galpão custa10 reais o metro quadrado, um quarto do que o próprio JBM paga em suas diminutas instalações na avenida Brigadeiro Faria Lima, a mais disputada área comercial da capital paulista. Existem nos arredores de Bauru oito faculdades de direito, e os advogados que saem delas aos borbotões se dispõem a trabalhar por 1500 reais mensais. Um iniciante em São Paulo custaria quase o dobro. Longe dos grandes centros urbanos, os funcionários costumam almoçar em casa - o que, segundo os sócios, melhora a produtividade. "Nosso negócio não tem gordura para queimar", diz Bueno.


Testando os limites


Cada aspecto do negócio é pensado para baratear a linha dos custos e fazer sobrar um dinheirinho no fim do mês. Os processos, por exemplo, são impressos em frente e verso. Mas a orientação é só imprimir o necessário: na maioria dos casos, os advogados do galpão leem os processos na tela do computador mesmo. Um programa eletrônico rastreia os Diários Oficiais do país inteiro para acompanhar a evolução dos processos. São 10 000 publicações sobre processos detectadas por dia. As informações são distribuídas para os terminais dos advogados "operacionais" Imediatamente, eles avisam os colegas nas filiais mais próximas do local do processo, que correm para realizar as diligências nos fóruns. Em cada visita, os advogados cuidam de diversos processos para economizar no transporte.


Os grandes escritórios brasileiros demonstram certo desprezo pelo modelo de negócios do JBM. "Admiramos o trabalho do Bueno, mas nosso foco é o atendimento diversificado e mais sofisticado", afirma Mário Nogueira, sócio do Demarest. Bueno e seus sócios, claro, dizem não se importar com o que pensam as outras bancas. O ritmo de crescimento do escritório - do zero aos 100 milhões de faturamento em três anos - chamou a atenção de Ricardo Semler, controlador da empresa de investimentos Semco. Em 2009, Semler se juntou aos fundadores do JBM. Tornou-se conselheiro e uma espécie de consultor. A associação deu origem a uma série de especulações. Teria Semler investido no escritório, atraído pelo modelo de negócios incomum? Esse tipo de transação é proibido pela Ordem dos Advogados do Brasil. "Não houve nenhum aporte de capital", diz Semler. O fato é que os sócios do JBM gostam de testar os limites da regulação. Em dezembro de 2009, a assessoria da Semco informou a EXAME que lançaria, em parceria com o JBM, um "plano jurídico" para atender os clientes no formato de um plano de saúde, com pagamento de mensalidade. A OAB logo afirmou que a prática não seria aceita, por, entre outros motivos, "mercantilizar" o serviço de advocacia. As regras são mais liberais em outros países, como a Inglaterra, que permitirá, a partir de outubro, o investimento de não advogados em firmas de advocacia. "E preciso discutir esses assuntos", afirma Bueno, abrindo fogo contra a OAB. Eis ai um contencioso bem mais difícil de ganhar.

Palavras-chave: Linha de produção; Salsicharia do Direito; Empresa no Centro de Bauru

URL Encurtada

Deixe o seu comentário. Participe!

noticias/a-salsicharia-do-direito

129 Comentários

Asdrúbal funcionário público16/04/2011 1:42 Responder

Parabéns pela entrevista! Mostraram uma realidade que há muito vem assolando os funcionários desta empresa. E olha que muita coisa foi \\\"mascarada\\\" pela própria empresa, quando da recepção para a reportagem. O prédio foi pintado, o saguão melhorado... aquilo é um lixo por dentro! Mas, enfim... uma hora a casa ia cair pra esses caras. Abs

antonio nunes salsicha 16/04/2011 2:00

asdrubal, seja sincero, vc é um jbm também né? rs

seu nome func. publico 16/04/2011 21:42

sou não, antonio nunes... conheço pessoas que trabalham lá, e a maioria esmagante faz altas críticas às condições de trabalho oferecidas por este escritório de advocacia... fora que paga muito pouco... mas isso tbm o paschoalotto, o multicobra... todos pagam pouco, pq não há um sindicato forte que lute por essa nova \\\"categoria\\\": advogado até então era profissional liberal, depois que virou massa de mercado, virou salsicha. Procurem lutar pelos seus direitos...

ANDRE MANSUR ADVOGADO 17/04/2011 19:43

ALGUNS TIPOS DE CLIENTES, QUE DESCUMPREM FLAGRANTEMENTE DIREITOS DE MILHÕES DE PESSOAS, MERECEM ESSE TIPO DE DEFESA. SE A CANETA DOS JUÍZES DO BRASIL FOSSE MAIS PESADA e os consumidores tivessem um pouco mais de vergonha na cara, não seria tão fácil e tão lucrativo ser processado. Aí, este tipo de modelo não existiria.

INDIGNAÇÃO É POUCO advogada 19/04/2011 10:40

Gostaria muito q o MP realizasse uma \\\"visita de surpresa\\\" nessa salsicharia e desmascarasse toda a sujeira implicita, pessoas frustadas, assoberbadas de trabalho, as vezes até trabalhando doentes, q só tem o direito de se ausentar SE SEUS \\\"PRAZOS ESTIVEREM PRONTOS\\\", mas tudo muito \\\"camuflado\\\". Não me lembro de ter visto em jornais, televisão, a noticia q abalou o escritório no inicio do ano: \\\"advogado que se siucidou por q não queria voltar ao trabalho\\\", será q houve alguma forma de ameaça para a notícia verdaderia se tornar publica!!!!!!?????? O SINDICATO NEM SE FALA, QTO SERÁ Q ESTÁ GANHANDO PARA MANTER ESSA PUTARIA!!!!!

Advogado Bauru advogado 19/04/2011 12:45

Da OAB não esperem nada.. são 500 advogados recolhendo a anuidade. Só posso dizer uma coisa, já fui salsicha uma vez (não da JBM) e posso garantir que em todos os grandes escritórios é a mesma coisa.. o que eu fiz? Busquei meu direito.. entrei com uma ação trabalhista pedindo equiparação com o piso, hora-extra etc etc e com certeza a sentença será positiva, eis que em inúmeros casos os juízes de Bauru já julgaram nulo este acordo sindical aqui da cidade.. é isso

Jailson jose carlos salsicheiro 21/04/2011 16:32

\\\"J. Bueiro e Mandalixo\\\"!!!!!!!!

CARLOS EDUARDO Advogado 26/04/2011 16:50

Esse escritório sequer respeita a legislação trabalhista...os advogados não são sequer registrados....aliás como a maior parte dos escritórios brasileiros!!!! SERÁ QUE O MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO EXISTE? E O SINDICATO DOS ADVOGADOS???

O Realista profeta 26/04/2011 22:55

A realidade é que eles estão dispostos a tudo. Já rasgaram a CLT, o código de ética da OAB e a Constituição Federal, com suas práticas nefastas e abusivas. Mas a vaidade deles não tem limite e os levará ao chão. Aguardem. Eles mesmos estão enfiando o pé da jaca. Detalhe: na foto publicada na revista, um dos sócios sequer é advogado. Daí dá para ver como é séria essa \\\"sociedade de advogados\\\". A OAB não poderá ficar quieta. Omissão é crime!!

Hortência advogada16/04/2011 10:10 Responder

todo mundo incoformado com o modo de trabalho. jbm é o fim! não falaram de qto os funcionários recebem né?! pois deviam!! mixaria!!!

Jailson jose carlos salsicheiro 21/04/2011 16:33

Jota Bueiro e Mandalixo!!!!!

Maria Lopes Adv 22/04/2011 2:43

Jailson vc é cruel. Ahuahua

realidade16/04/2011 14:14 Responder

Se fosse apenas só o JBM que faz isso na cidade de Bauru, estão no lucro. podem citar muitos escritórios em Bauru que tem esse jeitão de call center, e alem de pagarem à advogados r$ 900,00. é um absurdo!

Zé Tubias Advogado16/04/2011 14:50 Responder

Trabalho no Mandaliti, cabe agora a nós advogados unirmos por melhores salários, não importa o escritório, todos juntos, NP, Mandaliti, Hcosta, Maia, porque é um absurdo o que eles ganham e o salário que nos advogados recebemos, estudamos 5 anos, passamos em uma prova lazarenta que é a OAB, pra granhamos R$ 1.240,00, acabei de ler o Jornal do Advogado, OAB - SP, na pág. 30 em um quadro bem na parte inferior está o Piso salarial para Advogados, onde consta o menor salário para quem está inscrito na oab até um 1 ano a remuneração de R$ 1.871,95, bem diferente dos R$1.240,00 que ganham o pessoal dos escritórios.

Jailson jose carlos salsicheiro 21/04/2011 16:34

Escritório Jota Bueiro e Mandalixo!!!!!

ZÉ MANÉ INDIGNAÇÃO16/04/2011 16:49 Responder

OS 400 E TANTOS ADVOGADOS QUE DÃO O SUOR TODOS OS DIAS NA EMPRESA EM QUESTÃO, DEVERIAM, DE IMEDIATO, PELO MENOS, TEREM SEUS SALÁRIOS IGUALADOS AO PISO DO ESTADO r$ 1871,95. ACREDITO QUE DESSA FORMA, A PARTE EMOCIONAL DOS FUNCIONÁRIOS ESTARIA, AO MENOS DE IMEDIATO, REESTABELECIDA, O QUE EVITARIA A DESMOTIVAÇÃO NO AMBIENTE DE TRABALHO, QUE AFETA DIRETAMENTE O RENDIMENTO...ISSO SIM SERIA MEDIDA URGENTE E INTELIGENTE DE PLANEJAMENTO !!!! ALÉM DO QUE, GOSTARIA DE LER ALGUM POSICIONAMENTO DA OAB SOBRE O CASO...AINDA NÃO LI NENHUM...OS ADVOGADOS PARECEM ESTAR , NESSE MOMENTO, DESAMPARADOS

Superação ser humano16/04/2011 18:53 Responder

.... tá vendo pessoal .... quem sabe agora vcs aprendem a tratar melhor seus funcionários e não me refiro apenas aos advogados que lá se encontram .... RESPEITO .... EDUCAÇÃO .... VALORIZAÇÃO DO SER HUMANO E DO SEU TRABALHO ..... VALOR FINANCEIRO E MORAL .... se chegaram onde estão foi graças as constantes humilhações salárias de seus funcionários ..... parabéns EXAME.

Rodrigo Morales Advogado16/04/2011 19:15 Responder

O trabalho escravo acabou faz tempo! Mas se tem 400 advogados que aceitam isso fazer o que. É por isso que a advocacia está cada vez pior. Mas é a realidade, enquanto uns trabalham outros enriquecem.

Bartolo adv16/04/2011 19:44 Responder

Já trabalhei no JBM, e não adianta reclamar, contencioso massificado é assim mesmo, em qualquer escritório do Brasil. Quem tentou fazer o contenciosão virar luxo, trabalha de graça. Se não está contente, estude, mas estude muito e tente achar um lugar melhor pra trabalhar.

Gustavo D. Adv 16/04/2011 20:28

Concordo em partes com vc. A não adianta reclamar mesmo, quem quiser que procure um emprego melhor, pq advogado está sobrando no mercado. Sabemos que cada pessoa tem um valor no mercado. Querer só ganhar um salário melhor não adianta, tem que mostrar com competência. Mas algumas empresas exploram mesmo. Tenho vários amigos e amigas que não estão satisfeitos no JBM não só pelo salário,mas por várias outras coisas. Poucos são reconhecidos lá. Mas é normal todo mundo querer ganhar bem, isso acontece em qq empresa. Abr

Maria Gerente16/04/2011 20:04 Responder

O buraco é mais embaixo... Hoje a profissão está desvalorizada e não é só por comportamento da classe, que barganha seus honorários... Toda sociedade em si, vê uma forma de ganhar em pequenas batalhas judiciais valores a titulos de indenizações. As instituições financeiras, por querer manter o bem mais precioso, que é a MARCA, fixa valores minimos das indenizações, procedentes ou não, entrando m acordo com os falsos afetados.... Pior do que aquele que acha que seu direito foi invadido, e aquele que consente e cobra honorarios para um tipo de ação que se cola o nome e valores da causa. Estamos falando de escritorios que defendem, mas e aqueles advogados que também atuam de forma massificada em portas de lojas de departamento só esperando apitar o sensor de segurança? Ou aqueles que anunciam em jornais e prometem reduzir juros de financiamento, onde os proprios financiados tiveram condições de escolher as taxas e juros aplicados por pelos menos 3 instituições financeiras... Em qualquer empresa a visão de escritório jurídico é prejuizo. Ou pelo menos minimizar o prejuízo. Para aqueles que ficam limitados a Bauru, há vida \\\"propria\\\" para a categoria em São Paulo, Rio, Brasília, BH, Salvador etc... tem que se coçar e parar de reclamar. Se é o que a empresa pode pagar, paciencia. Que vocês busquem oportunidades melhores. Nunca vi reclamação acompanhada de alguma outra solução plausivel, mudar rotinas.

Gisele Cucci advogada JBM16/04/2011 20:21 Responder

Engraçado.., vocês terem coragem de criticar, mas não terem coragem de dar o nome? Por que da insatifação? Até onde sei ninguém foi buscado em casa nem é obrigado a trabalhar lá. Todos que criticam foram la bater a porta e foram cientificados das condições, salários e tudo mais. Aceitaram não foi? Se não está feliz e se acha tão capaz de conseguir algo melhor, um salário maior, boa sorte, o mercado está a sua espera!! Deviam ser gratos ao JBm que da opotunidade e capacitação a todos. Pagam rigorosamente os salários, estão em constante evolução, seja em estrutura, seja em acomodação. Possuem tecnlogia que ninguem tem, estão onde ninguem estão. Deviam ter orgulho em fazer parte do maior escritório de advocacia do brasil. O que seriam de vcs, profissionais de Bauru, se não fosse a oportunidade que lhes foi concedida. Com certeza vc seria apenas mais um advogado tentando a sorte em carreira solo ou frustrado por não seguir sua vocação. Nem parece que são advogados e se realmente são, faltaram muito nas aulas de ética. A revista que publicou a matéria não foi feliz em suas colocações, mas é preciso muito mais do que isso, alias muito mais mesmo, para abalar um império! Sou JBM sim, sou com orgulho... se você não conhece de verdade, não comente. Seja profissional e respeite os que lá estão! E mais uma coisa: se isso te incomoda, sinto muito, mas SOMOS OS MELHORES!!

Ricardo A. Empresário 16/04/2011 20:55

Concordo em partes com você Gisele. Não devemos levar como críticas, mas sim como uma oportunidade do JBM melhorar as condições dos seus colaboradores que dão de tudo para o sucesso do escritório. Ao contrário, acho que o JBM que deveria ser grato aos seus colaboradores e pode ter certeza que o Sr. José Edgard Bueno deve ser muito grato a todos pelo sucesso do escritório (ele deve pensar assim como eu ). Qual a tecnologia que ninguém tem? Você conhece todos os outros escritórios do Brasil para pode afirmar isso? Essa sua frase demonstra a sua inexperiência ?O que seriam de vcs, profissionais de Bauru, se não fosse a oportunidade que lhes foi concedida. Com certeza vc seria apenas mais um advogado tentando a sorte em carreira solo ou frustrado por não seguir sua vocação.? Vamos pensar assim também, o que seria do JBM sem os seus colaboradores. Não conseguimos satisfazer a todos. É com uma grande equipe que se tem um grande sucesso. E essa sua frase também demonstra a falta de humildade ?...mas é preciso muito mais do que isso, alias muito mais mesmo, para abalar um império!... E mais uma coisa: se isso te incomoda, sinto muito, mas SOMOS OS MELHORES!! Devemos respeitar a opinião de todos sem querer ser arrogante. Acho que o JBM é um excelente escritório, mas não seria nada sem seus colaboradores. Abraços e pense!

mahatma ghandi pensador e filósofo 16/04/2011 21:49

Engraçado, né? Ninguém colocou o nome verdadeiro. Já vc colocou o seu. Quer uma promoção? Faça por onde! As pessoas aceitam trabalhar no escritório sim, mas elas tbm tem o direito de lutar por melhores condições de trabalho, salários mais dignos... enfim, só não conseguem melhorar pq há papagaio de patrão como vc... reproduz o que eles dizem, acredita piamente naquilo que dizem... vc está contente ganhando 1200 reais que a empresa oferece? vc acredita que trabalhar lá é a única possibilidade de obter sucesso na profissão? desculpe, mas vc está sendo ludibriada pelo discurso de quem está enriquecendo às suas costas? pense nisso

Daniel Oliva Cortez Assistente Juridíco 16/04/2011 22:24

Você trabalha lá?

mahatma ghandi pensador e filósofo 16/04/2011 23:00

Daniel, não tenho formação em Direito, o que me impossibilita trabalhar nesta conceituada e valorosa empresa, que oferece remunerações formidáveis para os funcionários. Acredito que vc ganhe muito bem! abs

seu nome sua profissão 16/04/2011 23:22

Sr. Ricardo, não se trata aqui de ser ou não ser humilde ou arrogante e realmente não conheço a todos os escritórios, mas conheço o melhor deles, o maior, o que basta para atestar nosso potencial, mas não é esse o mérito da questão. Talvez você não tenha compreendido a dinâmica da situação. Tem muita gente satisfeita com as condições de trabalho e a imagem que estão tentando criar não existe e nem nunca existiu e é a essas pessoas a quem me dirijo. Muitas coisas boas estão sendo feitas sim e muitas ainda estão por vir Somos dotados do livre arbitrio, então não entendo onde pensam que chegarão. É dispiciendo tecer o quanto os donos do escritório são gratos pela colaboração de cada um dos funcionários, não existe este ou aquele mais importante. Todos são indispensáveis para o sucesso sim!! E em momento algum a revista colocou isso o que acham ou deixam de achar, são meras proposições... Mas um não existe sem o outro. Então antes de criticar deveriam lembrar que antes dali estavam desempregados ou foi ali que tiveram a sua primeira oportunidade. Gratos sim e se não estão satisfeitos, que tenham o profissionalismo de respeitarem os demais, pois tenho certeza que o mesmo respeito recebem dos seus líderes. E a unica opinião a ser respeitada é aquela feita de forma construtiva, pois as demais, além de despropositadas e faltarem com a verdade, são ofensas a quem quer estar la. Se querem mudar, unirem-se que assim façam, mas com dignidade e ética sem denegrir a imagem de ninguém.

ANDRE MANSUR ADVOGADO 17/04/2011 19:56

Buuuuuuuu... que medo! Seu convite a identificar é quase uma ameaça infantil. Advocacia de massa pra mim é o fim do direito mesmo. Mas, não me importo, pois alguns clientes merecem esse tipo de defesa. O curioso é que processar essas empresas dá um lucrinho bom, tb. A tese que vc usa pra gestão de pessoal da empresa (nem sei se é isso mesmo, pois nenhum sócio se manifestou) é a mesma usada na época da Revolução Industrial. Atualize-se ou vire sócia, antes que percebam que vc já está perto dos 30 anos e lhe troquem por duas de 22 ... meio clichê, né ?

Renata Casassola INFELIZMENTE ADVOGADA 17/04/2011 23:25

Gisele, vc é hilária! Li o que vc escreveu e até agora não consigo parar de rir!!!! Além de além de advogada é humorista! Parabéns pelo espírito esportivo! Bjs

Renata Casassola sua profissão 17/04/2011 23:29

André, falou pouco mas disse tudo! Concordo e assino embaixo! Fiquei envergonhada e constrangida com essa reportagem! Me senti uma \\\"ex salsicha\\\"!!!!! kkkkkkkkkkkkkkkkk....

Ex Salsicha Ex-salsicha 18/04/2011 0:00

Gisele, com certeza vc não ganha r$1200 nem trabalha no galpão do salsicheiro bauruense. Trabalhando lá, saberia da dificuldade de manter um terno limpo do pó de gesso em meio à reforma feita às pressas em razão da visita agendada pela revista. Sem contar os frequentes desmaios ocorridos, tamanha sujeira e cheiro forte da tinta fresca. Tendo costas largas qualquer pessoa sobe em qualquer lugar - quiçá uma sombra à beira-mar - onde o nível dos colaboradores (por incrível que pareça) chega a ser inferior ao dos recém formados nas \\\"pagou-passou\\\" da região. Mas tudo bem, tem gente que nunca precisou passar por um [verdadeiro] processo seletivo ou pelo aperto de não ter condições de pagar as contas no fim do mês.

Carlos Dinen empresario 18/04/2011 10:44

Vc sabia que racismo é crime? Vc se acha melhor do que as pessoas do nordeste por que? nível dos colaboradores bem inferior? Que comentário preconceituso. Só demonstra o seu baixo nível. Tenho uma pequena empresa aqui na área do turismo e conto com pessoas excelentes trabalhando para mim. Sempre atendemos muito bem os paulistas que nem vc. Quando vier passear na Bahia (se um dia conseguir juntar dinheiro para isso) lembre-se disso.

Ex Salsicha ex-salsicha 18/04/2011 13:48

Sr. Carlos, vai continuar servindo os outros q eh o seu negocio. Nao duvido, alias, TENHO CERTEZA q no seu ramo o nordeste seja muito bem preparado, ainda muito mais do q em Sao Paulo, afinal, o turismo eh a principal renda dessa regiao. Estou falando dos colaboradores do escritorio. Ou agora vc tbm conhece lah?? Pega o bonde andando e...

fernando . adv 18/04/2011 21:04

que inveja em fia! foi ela que te mandou embora quando era sua chefe?

Indignado Real Estudante 20/04/2011 17:20

Gisele, ta na esperança do seu patrão ver isso e te promover? Concordo no sentido de que a Mandaliti não foi buscar ninguem em casa, obrigá los a trabalhar la e aceitar tais condições, agora dizer que vcs são os melhores, aí vc pirou de vez, deve ser o trabalho em acumulado. Muito pelo contrário, vcs não só, são os piores, como ainda denigrem, envergonham e desvalorizam a classe dos Advogados, se matando de trabalhar por um chefe que tem o MESMO DIPLOMA que você, para este sim, enriquecer, enquanto vc ganha seus mil e pouco, trabalhando numa baia praticamente 3 x 4, e batendo no peito com ORGULHO desse papel que vc faz. Vc representa nada mais que NADA pra classe dos advogados. Se vc e seus colegas são os melhores, utilizem esse tempo de trabalho que vcs gastam pra ganhar mil e pouco, estudem só um poquinho (apenas pra lapidar o conhecimento sobrehumano de vcs) e passem em um bom concurso. O poder judiciário brasileiro precisa dos MELHORES la, espero que vcs, OS MELHORES, assumam tais cargos.

Jailson jose carlos salsicheiro 21/04/2011 16:35

Jota Bueiro e Mandalixo!

Jailson jose carlos salsicheiro 21/04/2011 16:36

Escritório Jota Bueiro e Mandalixo!!!

Sua inveja faz a minha fama Espertão 27/04/2011 1:38

Não tenho duvida de que muitos de nós já ouvimos dois tipos de conselho no que se refere às nossas escolhas profissionais. O primeiro diz que temos de fazer aquilo que ?dá dinheiro?; o segundo, de que o certo mesmo é fazermos aquilo de que gostamos. Diante dessas duas orientações, aparentemente antagônicas, ficamos num dilema: o que devo, afinal, fazer? Ser pobre e feliz, ou rico e amargurado? O fato, porém, é que as opções não são mutuamente excludentes. Se uma pessoa pensar somente em dinheiro, e em nome da ambição abraçar uma carreira que nada tenha a ver com sua personalidade, é muito provável que ela sequer consiga trilhar o caminho do sucesso. Ao contrário: ela viverá angustiada, e facilmente dará ouvidos aos amigos que lhe dirão que aquele trabalho é pura perda tempo, que ela está desperdiçando seu talento em um lugar que não reconhecer seu valor, que está sendo explorada pela empresa etc. E, ao dar atenção a essas vozes de desalento e pessimismo, o profissional de fato começa a se sentir injustiçado, prejudicado. Sua reação, então, é colocar o ?pé no freio? para não produzir tanto, para gerar menos resultados para a empresa ? e nem se dará conta de que, na prática, está bloqueando seu próprio desenvolvimento profissional. Por isso, é muito importante nós entendermos que não trabalhamos para a empresa, mas sim, na empresa. Trabalhamos para ganhar experiência, para evoluir como profissional, para fazer cada vez mais e melhor. Além disso, uma remuneração mais alta está necessariamente vinculada à conquista de resultados melhores. Na frase ?se eu ganhasse o que você ganha, trabalharia tanto quanto você?, temos, implícito, um problema de lógica. Afinal, o que surge primeiro é o bom desempenho, que leva aos ganhos mais elevados, e não o contrário. É comum os anos se passarem, e o profissional que, no passado, orgulhava-se em ?não trabalhar além dos limites?, mostrar-se frustrado e insatisfeito, autodefinindo-se como alguém ?sem sorte?, que não conseguiu se firmar no mercado, progredir, brilhar, ter sucesso. Sempre que ouço esse tipo de coisa, fico um pouco incomodado. Afinal, um profissional de sucesso certamente sacrificou muitas horas de lazer para poder sobressair e empenhou-se de corpo e alma no exercício da carreira. Reduzir seu brilho a mera questão de sorte é, no mínimo, uma injustiça! O segredo para conquistar o sucesso não é sorte. Esse segredo reside em colocar toda energia no cumprimento de seus afazeres, e em saber atuar junto com a equipe. Compartilhar com as pessoas os desafios, as experiências e os bons resultados faz toda diferença. Ao dedicarmos nosso tempo a pessoas que precisam do nosso suporte, também estaremos sujeitos às críticas. Ouviremos que X ou Z ?não fariam isso por dinheiro nenhum do mundo?, e que você erra por deixar os outros se aproveitarem da sua boa vontade. Bobagem. Se você está ganhando experiência, inclusive em relacionamento interpessoal, tanto melhor! Por tudo isso, trabalhe como se o dinheiro que recebe hoje não fosse importante. Estude como se dependesse do conhecimento para sobreviver, cultive a empatia com as pessoas e ajude cada um à sua volta a se desenvolver. Com essas atitudes, você logo vai notar que a onda virtuosa criada à sua volta terá reflexos diretos sobre a sua vida ? e sobre o seu sucesso, é claro!

O Realista profeta 27/04/2011 10:06

Sr. Invejado e famoso, sorte tem quem trabalha. O resto é bobagem. Na vida, somos o que somos, não é um trabalho que vai modificar caráter e atitudes de uma pessoa. No ambiente de trabalho, seja em equipe ou nas relações interpessoais, levamos aquilo que adquirimos ao longo da vida. Não há transformações. Portanto, devemos filtrar o que ouvimos. No fim, verá que o filtro estará mais sujo do que se imagina...

marco antonio advogado 13/07/2011 20:54

Nossa, como uma advogada pode ter uma mentalidade tão tacanha. O pior cego é quele que não quer ver. E pior advogado é aquele explorado que não reconhece tal situação, utilizando-se do expediente da bajulação para alcançar eventual \\\"promoção\\\", se é que sair do trabalho escravo para o sem registro pode ser considerado, de fato, promoção. ACORDA GISELE.

Marco Yamada Advogado JBM16/04/2011 21:38 Responder

Eu tenho orgulho de trabalhar para o Grupo JBM, como também tenho orgulho de trabalhar com as pessoas que lá estão, pois conheci muitos amigos e excelentes profissionais que me ensinaram e me deram a experiência necessária para desenvolver tudo que nossa profissão exige. Trabalha-se muito? Sim, trabalhamos muito, por isso somos o maior escritório do Brasil. Lembrem-se que temos apenas 3 anos e ainda temos muito o que conquistar. A remuneração, conforto, respeito e oportunidades não são importantes somente para os que tecem duras críticas, isso é de interesse de todos, inclusive do escritório, mas deve acontecer de forma organizada para que se torne duradouro e se perpetue no tempo. Eu acredito no escritório e principalmente nos colaboradores que o dignificam, pois há intensa e incansável dedicação aos clientes. Não se revoltem pela inveja alheia, somos mais do que isso, somos \\\"inusitados\\\". Abraços

seu nome sua profissão 18/04/2011 1:27

ahhhhhhhhhhhhhhhhhh pára com isso.. quer defender o indefensável? aquele de se condena por si só? teha dó e respeito, aliás aproveite o momento e tire a máscara de bom santo e busque seus direitos!!!

ex- salsicheiro advogado 19/04/2011 16:18

Marcos, vc realmente deve ser um sonhador!. Eu trabalhei no salsicheiro e não tenho nenhuma saudade desta época!. Vc concorda em trabalhar 10 horas por dia, cumprir uma centena de prazos....e receber a incrível valorização de R$ 1.200,00/ 1.500,00 reais por mês??? Cara, ou vc eh muito rico ou eh um baita trouxa. Enquanto vc se contenta com migalhas, péssimas condições de trabalho e abuso frequente de autoridade por parte dos engomados \\\"fresquinhos\\\"..este últimos enchem o bolso de dinheiro, dia após dia....acorda zé ruela!.

José Roberto Advogado 20/04/2011 20:49

O Marco Yamada tá até no filme institucional do escritório. Não é falar mal é falar a verdade. Vai dizer que você tá feliz de andar de terno e gravata e ganhar menos que frentista de posto de gasolina... Pô ao menos tenha personalidade.

J.Quest e Manda Bala ex-JBM 22/04/2011 0:58

Conheço o Marco, e com certeza não é zé ruela como muitos, e com certeza também não ganha R$1200...mas convenhamos...exagerou no comentário! Marquito...vc tem tem talento, volta a estudar pra concurso que vai ser muito mais feliz e sai logo desse escritório que não te merece.

Faria Lima estudante 22/04/2011 1:05

Marcola acho que o trabalho afetou sua cérebro!!!!

REI Mandalhity SALSICHEIROOOOO---PRODUÇÃO! 28/04/2011 10:57

Marco Yamada é chefe/coordenador, é claro que ele tem que defender e colocar o nome dele aí, afinal de contas quem é que paga o salário dele!? Marco, você é um cara muitooooo gente fina, e não acho que esteja errado em defender o seu ganha pão de cada dia, mas que deve ser duro dormir de noite pensando no que escreveu aqui deve ser ne!? Depois do que escreveu aqui conseguiu dormir de noite?? tem certeza?? Em caso positivo, leia de novo e olhe para os seus coordenados e veja de está sendo justo... aposto que depois disso vai repensar no que escreveu... se precisar de um psicologo para voltar a dormir ´s só responder ai que eu passo o telefone de alguns!

Guto ADv Advogado 28/05/2011 12:38

Yamada nem fica bem você defendendo a estrutura institucional do escritório, nós os colegas tudo bem. Por tudo que passamos lá dentro. Agora poderia elencar uma tropa de inúteis que ficam lá sem qualquer conhecimento jurídico. Pede para o Rey fazer um Agravo pra você ver. É muita pose e verdadeiros PEDANTES ! Um bando de perniciosos que só pensam em si proprios e alguns deles somente tem história pelo puxa saquismo que conduziram a vida.

Daniel Oliva Cortez Assistente Juridico16/04/2011 22:01 Responder

Engraçado todos aqui criticarem mas não darem nomes, enfim. Trabalho há apenas 5 meses no setor de backoffice do JBM de Bauru e tenho pleno orgulho de trabalhar lá!! Percebo que não somos apenas uma massa de manobra que apenas serve para se ganhar dinheiro fácil e sim que somos realmente colaboradores e somos tratados com tal. Outro ponto que me causa certa estranheza é o fato de o advogado ou algum colaborador reclamar, penso eu que se você não esta feliz e acha que tem capacidade para ser mais, peça a conta e vá procurar seu lugar ao sol. Acredito também que ninguém foi na casa de vocês os ameaçaram com armas ou qualquer outra coisa para irem trabalhar lá e sim foram chamados e aceitaram. Então antes de criticar lembre-se que deveriam agradecer que estão trabalhando( Garanto que muitos gostariam de estar lá também), e que trabalham em uma empresa que honra com nosso compromisso salarial. Então fica meu recado, não estão felizes,simplesmente saiam e dêem oportunidade a quem quer trabalhar. Obrigado.

ANDRE MANSUR (www.google.com.br) ADVOGADO QUE PROCESSA EMPRESAS GRANDES 17/04/2011 20:01

PROMOVIDO A CONTROLADOR DE TURNO... KKKKKKKKK

Daniel Oliva Cortez Controlador de Turno. 18/04/2011 18:11

Pelo menos eu evolui. Já você que não deve passar de um pseudo-advogado, não consegue nem isso.

ANDRE MANSUR PSEUDO-ADVOGADO QUE PROCESSA BANCOS 20/04/2011 8:29

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk O CANCER TB EVOLUI, NEM POR ISSO É BOM... SE CONTINUAR ASSIM, PODE OPERAR A PLACA DE PARE-SIGA!!!

Daniel Oliva Cortez Controlador de turno que odeia pseudo-advogados 21/04/2011 14:04

Claro, mas a matéria não é sobre câncer. Ou estou enganado?

Só rindo web 21/10/2011 23:55

hahahaha.... Faz me rir...hahahah..Bozo,,,hahah

Cristiane Advogada16/04/2011 22:51 Responder

Diante de tal matéria, as questões que devem ser levantadas são: como fica o valor social do trabalho, a dignidade da pessoa humana? Sim, a matéria reflete a operação diária destes advogados. Todavia, cumpre ressaltar que a obsessão por manter os custos baixos gera implicações, uma vez que a tentativa de redução de despesas tem reflexo imediato no custo da mão-de-obra, nos salários e nos direitos trabalhistas - notadamente na facilidade de dispensa de trabalhadores. Nesse contexto, o empregador aufere vantagens comerciais por impingir precárias condições de trabalho aos seus empregados. Trata-se de prática de dumping social, onde a competitividade no mercado é garantida mediante a precarização e desvalorização dos direitos sociais. Essa conduta não é prestigiada pelo direito, pois não compatibiliza o livre comércio com a proteção social. Haveria possibilidade de inibir essas nefastas formas de superexploração do trabalho humano? Infelizmente, há quem defenda que o acesso ao emprego deve ser regido segundo as leis de mercado. Entretanto, vale ressaltar que, para essa vertente, não há limites ao poder econômico - em total desprezo pelo aspecto social. O intuito de redução de custos gera prejuízos, que são - via de regra - repassados ao trabalhador, seja pelo não pagamento da integralidade dos seus direitos ou pelas precárias condições de trabalho, com franca desvalorização do labor humano. Esta é uma questão que não apenas reflete exclusivamente na profissão advocatícia, mas também em todas as profissões em que se estabelece uma relação entre empregado e empregador. A Declaração Universal de Direitos Humanos consagra o direito ao trabalho ao lado da tutela da qualidade do emprego, que deve ser realizado em condições justas e favoráveis. Assim dispõe o art. 23 desse diploma: Toda a pessoa tem direito ao trabalho, à livre escolha do trabalho, a condições equitativas e satisfatórias de trabalho e à proteção contra o desemprego. Todos têm direito, sem discriminação alguma, a salário igual por trabalho igual. Quem trabalha tem direito a uma remuneração equitativa e satisfatória, que lhe permita e à sua família uma existência conforme com a dignidade humana, e completada, se possível, por todos os outros meios de proteção social. Os direitos humanos, de acordo com a noção contemporânea, caracterizam-se pela universalidade, interdependência e indivisibilidade. Todos os direitos humanos constituem um complexo integral, único e indivisível, em que os diferentes direitos estão necessariamente inter-relacionados e são interdependentes entre si. O art. 7o do Pacto Internacional de Direitos Sociais, Econômicos e Culturais dispõe que os estados-partes no presente Pacto reconhecem o direito de toda pessoa de gozar de condições de trabalho justas e favoráveis, que assegurem especialmente: a) Uma remuneração que proporcione, no mínimo, a todos os trabalhadores: i) um salário eqüitativo e uma remuneração igual por um trabalho de igual valor, sem qualquer distinção; em particular, as mulheres deverão ter a garantia de condições de trabalho não inferiores às dos homens e perceber a mesma remuneração que eles, por trabalho igual; ii) uma existência decente para eles e suas famílias, em conformidade com as disposições do presente Pacto; b) Condições de trabalho seguras e higiênicas; c) A igual oportunidade para todos de serem promovidos, em seu trabalho, à categoria superior que lhes corresponda, sem outras considerações que as de tempo, de trabalho e de capacidade; d) O descanso, o lazer, a limitação razoável das horas de trabalho e férias periódicas remuneradas, assim como a remuneração dos feriados. A Declaração de Filadélfia de 1944, que trata dos objetivos e fins da Organização Internacional do Trabalho ? OIT, proclama, ao reconhecer o valor social do trabalho e da dignidade do ser humano, que o trabalho NÃO É UMA MERCADORIA. Os direitos fundamentais dos trabalhadores (portanto, direitos indisponíveis em caráter absoluto, insuscetíveis de renúncia, mesmo em sede coletiva), são os seguintes: direitos da personalidade, liberdade ideológica, liberdade de expressão e de informação, igualdade de oportunidades e de tratamento, não discriminação, idade mínima de admissão no emprego, salário mínimo, saúde e segurança do trabalho, proteção contra a despedida injustificada, direito ao repouso (intervalos, limitação da jornada, repouso semanal remunerado e férias), direito de sindicalização, direito de representação dos trabalhadores e sindical na empresa, direito à negociação coletiva, direito à greve, direito ao ambiente de trabalho saudável. Portanto, não há dicotomia entre o direito ao trabalho e o trabalho em condições dignas. Ambos têm igual hierarquia e são interdependentes. A dignidade é ?uma qualidade intrínseca da pessoa humana, é algo que simplesmente existe, sendo irrenunciável e inalienável, na medida em que constitui elemento que qualifica o ser humano como tal e dele não pode ser destacado?. Possui caráter universal, pois se trata de atributo inerente ao indivíduo. O direito não confere a dignidade ao homem, tampouco pode suprimi-la. No entanto, cabe a ele reconhecê-la e protegê-la. Portanto, é preciso que a Instituição que representa a classe dos advogados, qual seja a OAB, tome as providências cabíveis para que os direitos largamente expostos neste manifesto sejam garantidos de fato.

Zé Tubias Advogado17/04/2011 2:43 Responder

Penso eu quer poucos aqui que escreveram são advogados de verdade, e poucos sabem a batalha pra passar na prova da OAB, uma prova que tem índice de reprovação de 80%, então o advogado merece respeito sim, porque estuda 5 anos e passa na prova da OAB, não é que nem esses cursinhos que só basta o diplominha pra entrar no mercado! Você acha digno uma pessoa que passa 5 anos na faculdade, rala pra passar na oab, pra ganhar míseros R$1.200,00, enquanto 4 pessoas ganham 110 milhões, devemos mesmo brigar por melhores salários, é nosso direito, não esqueçam somos operadores do Direito.

Renata Casassola felizmente: \\\"ex advogada!\\\" 17/04/2011 23:53

Já fui advogada um dia e me arrependo e me envergonho por isso....De pensar que um vendedor de loja de enxoval, sem qualificação nenhuma, ganha mais que um advogado, que estuda e geralmente \\\"PAGA\\\" por 5 anos para obter o diploma de \\\"Bacharel de Direito\\\", e, mais, após passar na tal prova da OAB adquire a obrigação de pagar mensalidades para essa instituição, e, mais, numa cidade como Bauru, os advogados possuem 2 opçôes: (1) trabalhar para esses grandes escritórios (JBM, HCOSTA, Paschoalotto.....) que monopolizam 99.999% das ações e se sujeitar a ganhar um salário inferior ao mínimo oferecido à classe; (2) Se alistar no bolsa família, rezar para conseguir tal benefício, ganhar um valor inferior aos coitados trabalhadores \\\"advogados\\\" e ter uma vida mais tranquila e com as mesmas limitações financeiras e com mais saúde mental e física!!!!!!!!!!!!...

ANDRE MANSUR ESPECIALISTA EM CONSERTAR ERROS DE VENDEDORES DE ENXOVAIS 20/04/2011 8:46

Na próxima encarnaçao, tente ser uma advogada bem-sucedida. Nessa vida, sugiro que chame o vendedor de enxovais e, se conseguir arranjar algum candidato, adentre na mais antiga profissao pra mulheres que nao conseguiram alocar-se no mercado: O CASAMENTO! Espero que se dedique mais a essa profissao, pois se o tivesse feito na advocacia, poderia estar agora atuando na mais fantástica profissao do mundo. Se nao se dedicar, vai precisar de um ADVOGADO! (meu notebook está com defeito no til kkkkk)

Marcus Estudante17/04/2011 11:23 Responder

Pode-se analisar por diversas óticas, contudo a mais louvável é a de que buscaram romper barreiras e traçar novos caminhos fora dos paradigmas preestabelecidos para a Advocacia brasileira. Mas existem também práticas condenáveis que precisam ser analisadas. Melhor ficarmos com o Pioneirismo.

Renata El Almed Advogada - JBM17/04/2011 15:47 Responder

Prezados, entendo que todas as opiniões são válidas e devem ser consideradas, como máxima do estado democrático de direito que estamos todos inseridos. Porém, mais do que isso, é importante que as pessoas saibam como as criticas podem trazer reflexos negativos a todos, principalmente àqueles que buscaram uma oportunidade de emprego e a encontraram no JBM. No caso, entendo que uma reportagem infeliz ou mal intencionada, voltada exclusivamente para o público alvo da revista exame (?engravatados e afetados homens de negócios?), não seja suficiente para acabar com os sonhos e todo o trabalho conquistado ao longo desses 2 anos ? com amor, dedicação, aprendizado e muito suor de todos, principalmente dos advogados que fazem aquilo tudo acontecer. Acho que sempre há o que melhorar, em todos os aspectos, tanto na vida profissional quanto na pessoal ? buscar a perfeição é um grande objetivo que deve permear a vida de todos. Trato isso como um legado que gostaria de deixar aos meus filhos, netos, bisnetos, etc... Pois assim estaríamos construindo um mundo melhor e mais justo. Agora, acovardar-se atrás de um computador e fazer críticas contra TODA uma instituição, levando as suas frustrações pessoais e profissionais como problemas do mundo e achando que a culpa de tudo isso é do vizinho, do amigo, da família, do trabalho é ser covarde e, principalmente, desonesto com aqueles que acreditam nos ideais da empresa e trabalham duro diariamente para conseguir o seu sustento, galgando uma posição dentro da profissional que escolheu que seja melhor, quer seja no JBM quer seja em qualquer outro escritório de advocacia. Criticas como as vistas acima, na minha humilde opinião (lembrem-se do estado democrático de direito), são infundadas e não condizem com a realizada a qual eu estou inserida no contexto JBM. Sinto sim orgulho de trabalhar lá, pois foi o primeiro escritório que acreditou em mim, me deu uma oportunidade de colocar em prática todos os ensinamentos que adquiri na faculdade e sempre me tratou com dignidade e respeito ? sem falar que nunca houve atraso de salários ou qualquer coisa do gênero. Portanto meus amigos e amigas, caso não estejam satisfeitos fiquem a vontade para buscar o seu espaço ao sol. Tenho 28 anos e já passei por outros escritórios, até aqueles ditos na reportagem como ?arrumados, engravatados e afetados? ou coisa do gênero e acabei por concluir que os problemas só mudam de nome e lugar. O que não podemos, mais uma vez, na minha humilde e insignificante opinião é agir sem propriedade ou conhecimento de causa ou, ainda, de maneira despreparada e infantil, achando, por exemplo, que os 100 milhões são lucrados pelos quatro sócios! É forçoso demais e menospreza a inteligência das pessoas colocarem um comentário covarde como esse (e outros), já que a própria reportagem é enfática em dizer que o lucro final é composto ?de alguns trocados?. E isso é a mais pura verdade, pois vocês acham que algum dos escritórios de São Paulo que deixaram de atuar em tal seguimento, abriria mão de vultuosa quantia caso não fosse por motivo de baixa margem de lucratividade? Pois bem meu caros e nobres colegas, deixo aqui o meu recado: gosto do que faço e não estou satisfeita também em ganhar o que atualmente recebo como salário no JBM, mas quero continuar a minha jornada acreditando nas pessoas que estão a minha frente e principalmente, na perspectiva de crescimento profissional, pois, afinal, não é do dia para noite que as coisas acontecem: é necessário muito suor para ser alguém na vida. Talvez se acovardar atrás de um computador e tecer duras criticas que recaem não somente sobre os sócios mas vão até a faxineira que também é parte de tudo isso, é uma atitude infantil, desonesta e, muito, desrespeitosa à todos aqueles que estão construindo uma carreira profissional e aceitaram a proposta de trabalho como eu aceitei (aliás, tudo o que está na reportagem foi falado: trabalhar no contencioso de massa, com grande volume, com pressão, sem tempo para nada, com a remuneração considerada baixa, etc). Ah, não se esqueçam que ninguém é obrigado a trabalhar lá, mas peço, por favor, que deixem em paz aqueles que têm afeto e respeito pelo JBM e não prejudiquem mais a situação. Não estão contentes? Sugiro que busquem se recolocar no mercado e ?ganhar mais?, mas aviso que o mundo que está ali fora esperando por vocês é muito mais voraz, competitivo e sem tempo algum para ouvir alguns grandes absurdos presenciados recentemente ? frutos da falta de conhecimento de mundo de algumas pessoas que ainda não entenderam o que é ser adulto. Se a briga não for pessoal, deixem o escritório crescer juntamente com as pessoas que estão remando para o mesmo lado e saiam, ou vocês não sabem o significado de livre arbítrio? Desejo sucesso a todos e principalmente aos meus brilhantes colegas que fazem o escritório acontecer (só é o maior do Brasil em menos de 3 anos)!!!

Zeca - Bauru advogado 18/04/2011 10:55

Brilhante Renata El Almed! Parabéns pelos comentários! André Mansur, vc deve ser muito rico né advogando contra estas grandes empresas. Vai gastar seu dinheiro em vez de ficar ofendendo as pessoas. Se vc nem trabalha aqui vaza.

ANDRE MANSUR ADVOGADO E HUMORISTA SEM GRAÇA 20/04/2011 8:54

Tenho a quantidade de dinheiro de que preciso pra viver bem e gerar 47 empregos decentes. Mas tenho uma coisa que dificilmente se compra com o dinheiro: SATISFAÇAO PROFISSIONAL! E pelo \\\"vaza\\\", temo pelo tipo de profissional que vc seja. Imagino uma petiçao sua, uma cautelar de separaçao de corpos: \\\"açim, recquer a muié que esse safa vaze das parada, tá ligadu?\\\" kkkkkkkkkkkkkkk *** meu notebook está com defeito no \\\"til\\\" . Prezado Zeca, informo que til é um tipo de acento ortográfico e nao uma forma de chamar seu cachorro. kkkkkkkkkkkk

ANDRE MANSUR ADVOGADO17/04/2011 20:04 Responder

PROMOVIDA A CHEFE DO SETOR DE REPROGRAFIA KKKKKKKKKKKKKK

VITO CORLEONE ADVOGADO17/04/2011 20:55 Responder

Prezados Doutores, pelos textos que li dos asvogados e fucionários do tal JBM, percebo que o grande contentamentoe gratidão destes, é em virtude de tal escritório não atrasar os salários, e de acolher advogads recém formados, dando-lhes a oportunidade dos SONHOS......que vergonhaaaa, onde está raça e dignidade e inteligência dos advogados brasileiros???, está empriricamente provado que os senhores \\\"feudais\\\", não lhes dão oportuidades porque gostam de vcs ou pq acreditam em vcs, e blá blá blá contratam pq vcs se submetem a ganhar 1.200 reais por mês, mão de obra barata, a NIKE por exemplo, empresa americana, não constroe suas fábricas na CHINA pq gostam de chineses ou algo do tipo, o fazem pq a mão de obra é barata.......e é oque faz o JBM, a reportagem da revista exame, foi genial ao comparar tal escritório com uma salsicharia, quero deixar claro que não menosprezo os funcionários desse escritório, só acho que não podem se conformar em trabalhar em um escritório que fatura 11o milhões e receber um salário menor de que um entregador de pizza, onde está o sangue nas veias ???, advogados do JBM acordem vs são apenas números, gados no pasto, estao se matando de trabalhar para enriquecer 4 garotos, para os que estao satisfeitos e se ofendem com tais criticas, vai aqui meu conselho; querem crescer?, estudem e passem em concurso ou trabalhem pra enriquecer a vocês mesmos, ou virem sócios dos garotos prodigios (oque acho impossível), caso contrario vcs serão eternamente carnerinnhos do grande rebanho JBM, até o dia em que ficarem velhos, e perderm os seus postos para um outro advogado recém formado, que irá amar o JBM, pq paga em dia, e pq foi o primeiro emprego que coseguiu arrumar, daí meus amigos vão chutar vcs com toda força, pq para esse tipo de escritório vcs são nímeros............

Fernando Inácio JBM 17/04/2011 21:45

Dr. Corleone, admiro o senhor na qualidade de advogado fazer comentários deste nivel em relação a um colega de profissão... mas sua frustração é compreensível, pois ao se referir aos sócios como \\\"garotos\\\", imagino que ja tem uma idade avançada e nunca conseguiu um bom cliente que honrasse seu diploma..., se eu estiver enganado, está claro que seu problema é inveja...mas você nem sabe o que está dizendo. Vc sabia que no JBM o salário não é $ 1200? Alias pelo que li aqui ninguem acertou? Posso crer que o Dr. também não é desta cidade, pois se fosse saberia de onde vem o legado e o profissionalismo que existe ha anos atras daquele sobrenome. Imagino também que por sua avançada idade não tenha conhecimento da atual infraestrutura que hoje possuem, do enorme prédio avaliado em milhões recentemente construido, que tem ambiente climatizado, refeitório. Sabia ainda que esses jovens advogados possuem registro em carteria que lhes assegura todos os direitos sociais? quantos escritórios fazem isso na cidade? Também não deve saber que estes mesmos advogados tem suas anuidades da Ordem custeadas, plano de saúde...e que tem a oportunidade de cursarem gratuitamente uma pós-graduação na Insituição Toledo, que pra sua informação a mensalidade gira em torno de $ 495,00. Não não... o Dr. não sabe!! Então resereve-se no silêncio.

Stephanie Souto e Silva assistente 17/04/2011 22:28

sou ainda estudante de direito, trabalho no JBM e sei que tudo isso é verdade. E se somarem todos os benefícios estes advogados oportunistas ganham mais do que os de São Paulo onde o custo de vida é bem mais alto. O que eu mais quero é ter essa mesma oportunidade quando terminar a faculdade.

Sou JBM sua profissão 17/04/2011 23:40

Refeitório? Onde? No subsolo? Pós gradução gratuita? Tem certeza? Ambiente climatizado? Registro na CTPS é obrigação de empregador. Todos escritórios registram e fazem parte do mesmo cartel. Nao fale o que não tem certeza!!!

Luis Inácio conferencista 18/04/2011 23:53

Prezado companheiro, o ambiente é climatizado? Só se for tiver algumas plantas por trás das paredes que respiram gás carbonico e emitem oxigenio pra vc! nao tem nem janela aquela bagaça... refeitório? pode ser o estoril ou tauste... agora, desafio vc a beber aquela água que tem lá por um mês... vc termina com cólica, com infeçcão urinária ou cálculo renal! risos... higiene passa longe daquele lugar! abraços.

ANDRE MANSUR ADVOGADO E DENFENSOR DA GRAMÁTICA! 20/04/2011 9:11

Vc cometeu o mesmo pecado que alguns aqui: ARROGÂNCIA! Alguém pode imaginar que vc seja um sócio, um funcionário satisfeito (deve haver, sim, pessoas satisfeitas), um cliente que gosta de pagar cem reais por processo ou simplesmente um puxa-sacos querendo fazer média com a chefia. Ou, até mesmo, que nao seja ninguem ligado à controvérsia, apenas alguém que pode estar também frustrado e, o que é pior, com tempo. Assim, esses ataques à idade, opinioes etc, demonstram insegurança, demonstram fraqueza. Por detrás de toda arrogância, esconde-se alguém inseguro, alguém precisando de ajuda. Comece a buscar ajuda na língua portuguesa. Se trabalhar lá, peça pra empresa custear-lhe um curso básico de ortografia e de concordância verbo-nominal, para nao incorrer no \\\"mico\\\" (usando uma palavra do seu colega Zeca) de escrever uma frase tao mal construída como a acima. Pela sua dificuldade de pontuar, sugiro que procure um pneumologista, pois vc deve ter problemas de respiraçao. Coisas da idade avançada (kkkkkkkkkkkk) ou ... vai saber, né? ARROGÂNCIA, somente pode vir acompanhada da genialidade ou de sua busca, o que, permita-me, num exame superficial, nao parece ser seu caso! *** meu micro está com problemas na tecla REX, digo, TIL kkkkkkkkk

ANDRE MANSUR ADVOGADO 20/04/2011 9:13

e roupa lavada kkkkkkkkkk

Mario Roberto Professor de Direito 20/04/2011 21:02

Fernando Inácio perdeu a oportunidade de fica quieto. O importante é saber que vocês do JBM têm setor de correção de peças processuais, mas isso não é falta de confiança no profissional. Importante esclarecer para o colega que as pós graduações elevam o score do escritório em licitações e currículos. Por isso eles não lhes fornecem de graça essa dádiva. Agora aqui ninguém criticou qualquer advogado. No entanto a estrutura criada é uma monstruosa. O Advogado que é ESSENCIAL para administração da justiça ganha menos que um funcionário do fórum ou do MP. Pense nisso de forma construtiva no intuito de plantar o dialogo com seus superiores em busca de uma melhoria substancial para os colegas internos. Um abraço e fica com Deus.

Maria Beatriz bacharel em direito 26/04/2011 13:05

Minha mãe terminou o colegial ano passado, e ganha R$1.200,00 por mes para cuidar de umas idosa 03x por semana... Isso me desanima d . Ah, tenho amigos que trabalham lá no JBM e querem saber onde está a diferença dos R$1.250,00 ... Pq no salário deles não está... Nem sou advogada ainda e já ganho isso... Em Bauru não tem só salsicharia!

Valentino Ferez reporter 17/11/2012 0:58

caro colega, o que se discute não é saber ou não pontuar, mas sim colocar em pauta uma discriminalização com a classe dos causidicos, da qual você faz parte dela. vamos usar esta ferramenta para que se aponte um benefício, não para se aparecer ou até mesmo se promover perante pessoas que não os trata como tal.

Ex JBM Advogado17/04/2011 23:04 Responder

O mais triste de ler esta reportagem é perceber que há diferenças entre os advogados de São Paulo e Rio de Janeiro (do mesmo grupo JBM). No Rj não temos direito a fazer pós graduação gratuitamente, fazemos serviço de estagiário tirando foto dos autos e encarando filas no Projer; Muitas vezes pela demora da liberação de verba falta pó de café, açúcar, copo descartável, ficamos até sem papel higiênico!! Somos Advogados gratos pela oportunidade que o JBM nos dá, mas quero lembrar ao nobre colega do JBM São Paulo que registro na carteira é dever do empregador, e custear a OAB é o mínimo que tem que ser feito para exigir que o Advogado seja EXCLUSIVO. Os estagiários do JBM Rj trabalham 8h diárias!!! Aqui no Rj trabalhamos como advogados externos e com os poucos advogados que temos cubrimos toda a extensão do Rj indo de ônibus, a pé, de motoboy etc... mas sabemos que vocês JBM Bauru trabalham bastante também, e prova disso são as inúmeras contestações que chegam a nós todos os dias. O funcionário JBM RJ não ganha 1.200,00 ele ganha o piso 1.484,00, isto é, pagar o piso é só mais uma obrigação do empregador, tenho que agradecer ao José Edgard por cumprir com suas obrigações de empregador ou tenho que pedir a ele que me dê melhores condições para que eu possa executar dignamente o meu trabalho? Sou ex JBM com muito orgulho!

seu nome operador do bondinho do pão de açucar 18/04/2011 0:29

KKKKK VC DEVE TER SIDO MANDADO EMBORA E AGORA TÁ AQUI CHORANDO ARGENTINO. NÃO SERVE NEM PRA TRABALHAR NO JBM. KKKKK QUERIA O QUE PRA IR FAZER DILIGÊNCIA? UMA LIMOSINE COM CHOFER? SAIBA QUE TEM MUITO LUGAR QUE NÃO DÁ CAFÉZINHO NÃO. TEM QUE FAZER VAQUINHA. VC USAVA TODO O PAPEL HIGIÊNICO, POR ISSO TE MANDARAM EMBORA.KKKKK

Acabei de chegar recém formado17/04/2011 23:37 Responder

A maioria dos que são daqui de Bauru e estão reclamando que trabalham demais deve ser tudo um bando de boyzinho que nunca trabalhou em lugar nenhum. Não sabem o que é trabalhar duro de verdade. \\\"ai..a gente trabalha tanto...blá blá blá...\\\" Deve ter sido o primeiro emprego e foi fácil ser contratado que não estão dando o devido valor. Acabei de ter essa oportunidade e estou muito feliz. Trabalho num lugar bacana e com muita gente 10. Bem diferente de onde trabalhava antes de me formar. Estou aprendendo muito e se no futuro não surgirem as oportunidade que quero vou usar essa experiência para conseguir algo melhor. Cês tão achando que o pesssoal na concorrência trabalha menos??? Acham que eles ganham muito mais? Perguntem pra eles. Quando acharem esse escritório aqui que paga mais, trabalha pouco, contrata sem muita frescura, vocês me falam que eu mando meu CV.

Cris estagiária17/04/2011 23:56 Responder

não estou entendendo o que há de errado no escritório ser em Bauru. esse cara que escreveu a matéria não sabe de nada. o escritório era o Mandaliti de Bauru, né? ainda bem que eles economizam com isso. o que que a gente ia fazer se se mudassem para São Paulo? todo mundo ia montar sua porta e se cadastrar no migalhas? a gente ia tudo mudar de área isso sim. ia tudo acabar trabalhando de operador de cobrança com currículo de advogado.

fã do andré mansur santo expedito 20/04/2011 21:05

Ohhhh meu DEUS... Cris vc dever mesmo ser estagiária no JBM pois a sua \\\"concordância\\\" verbal ta demais, bem a cara do copia e cola!!! E quando tem que expor opiniões a concordancia verbal sai assim... como a sua!!! aff

Meu nome Minha profissão18/04/2011 0:23 Responder

Faltaram algumas informações na reportagem: o tal clamado \\\"maior escritório de advocacia do Brasil\\\" não é tão jovem, é resultado da fusão da herança de um tradional escritório bauruense com um renomado advogado brasileiro. Aliás, um dos jovens herdeiros está tendo uma \\\"pequena\\\" dificultade em ser aprovado no exame da ordem. Se já não desistiu. Além disso, até alguns meses atrás, o escritório oferecia a oportunidade a graduados sem OAB de prestarem os mesmos serviços que os advogados pela metade do preço (dois por um!!) tudo isso sem registro em carteira! Além de outras irregularidades trabalhistas......

Felipe . estudante 18/04/2011 11:07

nossa que viagem, ta mesmo falando do JBM, pois o jovem herdeiro, além de ADVOGADO, também é´MESTRE, ja voce como os outros mané aqui, nem nome fala. E vc deve ter sido mandado embora pois é voce que não passou na odem e foi substituida por um profissional melhor.

Maria gerente18/04/2011 1:23 Responder

Então vamos ver se eu entendi: Acaba com o escritório? É este o movimento? Quanto hipocrisia! Quando na condição de empresários, aí pode se ter lucro? Quanta cabeçinha num lugar só, fico perplexa com os tipo de comentarios. De verdade. Parabéns a empresa que conseguiu se organizar, inovar... e empregar a tantos. Afinal, poderiam ser boys, mas nao o escritório manteve-se a essencia e quis tecnicos do direito para entregar melhor nivel de qualidade ao cliente. Qualquer empresa ou profissão é assim gente... que dramaaa!!!

eu atendente18/04/2011 10:09 Responder

ninguém ve que os caras estão dando emprego para a população de Bauru, eu acredito que em bauru não se tem melhor lugar para se trabalhar....

Ricardo A. 18/04/2011 11:47

Bauru tem excelentes oportunidades de emprego! O problema parece realmente ser com os trabalhadores deste nicho (sem trocadilhos) de mercado. Um advogado ter rendimentos de R$ 1.200,00 é uma vergonha, mas cabe a cada profissional se esforçar e buscar algo melhor. Empresas como a tal podem ser um mal necessário.

Karl Marx sua profissão18/04/2011 10:13 Responder

Para que todos tenham ciência, o escritório paga remuneração cerca de R$ 1.200,00 líquido com base no acordo coletivo do Sindicato dos Advogados de Bauru, todavia, esse Sindicato sequer é registrado no Ministério do Trabalho, verifiquem vocês mesmos, peguem o acordo e pesquisem com o CNPJ do Sindicato. Portanto, no mínimo o acordo que deve ser aplicado é o Acordo do Sindicato dos Advogados de São Paulo.

meu nome sua profissão18/04/2011 11:40 Responder

Prezado Felipe, vc ja conferiu o curriculum de TODOS os herdeiros? claro q nao. Pois saberia q tem gente la q nao sabe nem fazer a exame do oab. Mas pra que tbm? Ganhar R$ 1.200,00 como advogado, R$ 900,00 como assistente juridico (bacharel q trabalha como advogado), ou repartir o lucro de mais de R$ 100 milhoes (como herança)??? Pois eh, \\\"EU\\\", nem todo mundo nasceu em berço de ouro para poder ganhar dinheiro nas costas dos outros. Ha muita gente la, alias, sinceramente acho q todos os advogados soh estao la pq tem contas a pagar, e nao dependem de mesada ou herança para sobreviver. Agora... quanto ao sindicato... piada, neh?! A questao eh: tratar melhor os funcionarios, pois eles eh quem fazem a maquina andar. Com certeza se tivessemos alguma reportagem sobre o NP ou FMM, essa discussao nao seria tao longa, ja que os funcionarios recebem um tratamento muito mais digno para um profissional da area juridica, que hj em dia esta virando piada nesse pais.

acordo cedo sim ADVOGADO 18/04/2011 13:15

ô meu nome...monta o seu escritório a paga R$ 5.000,00 para os advogados e R$ 2.000,00 para os assistentes, ai vc me contrata pra trabalhar lá, tá bom? Não vai durar 3 meses e vai fechar devendo até as cuecas. Se seu pai e sua mãe tivessem acordado mais cedo pra trabalhar que sabe teriam te deixado alguma coisa. Mas ainda tem tempo: comece a acordar mais cedo e trabalhar até mais tarde. Com sorte, seus filhos não terão sua mesma desculpa. Por que você não vai trabalhar na NP ou na FMM já que são tão bons assim?

EX jbm advogada18/04/2011 13:03 Responder

Que matéira besta. Criticar o fato de imprimirem frente e verso, imprimirem só o necessário....Ele queria o que? que imprimissem o desnecessário? Com isso, além de preservarem o meio ambiente ainda diminuem o volume dos processos. Esse escritor não sabe do que está falando. Não deve ser nem advogado. E o que foi esse título? Chamar nossa classe de salsicheiros? Foi o fim da picada...Devíamos é mandar um e-mail pra revista para ele pedir desculpas. Tá me cherando a concorrência desleal....colocar depoimento do demarest? Queriam o que? que eles elogiassem o concorrente que tirou eles do topo? E desde quando o Demarest não faz macificado? Provavelmente a matéria foi desviada ($$$$$$) do seu real objetivo. Não é preciso ser muito inteligente para enchergar isso...

O Comendador Advogado 20/04/2011 17:10

Uma correção Doutora: É \\\"massificado\\\" e não \\\"macificado\\\".

O Comendador Advogado 20/04/2011 17:18

Doutora, mais uma correção: É \\\"enxergar\\\" e não \\\"enchergar\\\".

O Comendador Advogado 20/04/2011 17:20

Doutora, uma terceira correção: É \\\"cheirando\\\" e não \\\"cherando\\\".

O Comendador Advogado 20/04/2011 17:24

Doutora, diante da sua GRAVE DEFICIÊNCIA ORTOGRÁFICA, resta claro que o único escritório de advocacia que a contrataria para trabalhar seria o JBM/MANDALITI, o que explica a sua admiração pelo grupo. Portanto, se queres conhecer novos horizontes profissionais, primeiro, qualifique-se. Existem pratos mais saborosos que o \\\"Hot Dog\\\".

fã do andré mansur e agora do comendador também santo expedito 20/04/2011 21:13

Amei vc comendador... foi sensacional...

M. Lima. Advogada 25/04/2011 19:25

Sensacional! Esse é o espírito. Cada um deve resignar-se com o que pode alcançar dentro do limite de sua própria capacidade! (profundo isso... vou mandar para a exame, quem sabe não dá matéria!)

Ex JBM ADVOGADO18/04/2011 14:00 Responder

Só disseram a verdade na matéria. Exploração PURA esse escritório. Mal sabem a quantidade de pessoas que enfrentam problemas de saúde por ele. Depressão, crises de pânico e MUITO mais. Antes de entrar eles vendem uma empresa linda, mas 15 dias e você já entende o \\\"QUANTIDADE x QUALIDADE\\\". As pessoas não ficam pq gostam, ficam pq não tem outra opção, ou tem família para sustentar.

fernando . adv 18/04/2011 20:47

se acha isso mesmo pq não vai vender enxoval ou ser padeiro... os manifestanes daqui dizem que ganham mais.... eu ainda prefiro correr atras e me manter junto aos melhores... nem que quero ter que procurar outra coisa como fez o povo aqui sem competência pra aguentar com raça o inicio de uma carreira e dar duro junto com os cara

Juan Mario ADVOGADO 18/04/2011 22:16

Padeiro: realmente, bem colocado. Vejo muitas roscas sendo queimadas todos os dias. Manter junto aos melhores: quem seriam exatamente? Eu ainda estou procurando. Aguentar com raça: outra boa colocação. Haja raça no dedo: Ctrl c e Ctrl v.

Jarbas Martins Advogado 11/02/2012 15:00

Amigo, o colega em apreço não esta ofendedo a imagem da empresa, mas apenas fazendo um adendo à matéria públicada. Talves ele seja um chefe de família e se sujeitou a essas situações desabonadoras ou as vezes vc não não sabe qto custa uma conta de energia elétrica por que ainda mora com seus pais!!!! Coitado...

Rogério Advogado18/04/2011 14:14 Responder

Isso pq a reportagem omite a imensidão de bacharéis que trabalham como advogado, em flagrante violação ao Código de Ética e Estatuto da OAB. Sem contra o crime de exercício ilegal da profissão!!!

Alfredo Mesquita Adv18/04/2011 14:16 Responder

Mas como tem Ex JBM heim!!! Sairam de lá pq?

Ex JBM ADVOGADO 18/04/2011 15:30

Sai de lá 1 mês depois de entrar e ter recebido a proposta de trabalhar dignamente, ter plano de carreira e tudo mais. Sai de la pq nem biblioteca eu tinha para consultar. Sai de la pq eu era pago para COPIAR E COLAR. Sai de la e para la não volto.

no no18/04/2011 15:02 Responder

Um pedreiro ganha 1200 reais por mês...

Rafael R. Advogado 18/04/2011 15:55

Saímos do JBM pelo estresse diário, porque quando entramos para trabalhar nos prometem mundos e fundos e depois: \\\"só na chibata\\\". Quando o funcionário vê que não há possibilidade alguma de \\\"subir de cargo\\\" ou de melhores condições de trabalho cai fora mesmo. Podem verificar a rotatividade de funcionários na empresa, se fizessem um apesquisa (se é que ja não existe esse controle no RH), um advogado não fica mais do que um ano no JBM. Pode até ser o maior escritório de advocacia em numero de advogados, mas também é o que tem maior rotatividade de funcionários pois somente no dia em que fui fazer minha rescisão havia outras 12 a serem feitas em um só dia. O pior é que quando houve um aumento de salário de aproximadamente 65,00 no ano passado, o Sócio que foi nos dar a notícia informou que aquilo seria MUITO honeroso para o escritório e que não tinha a menor condição de aumentar mais. Hoje, vendo a reportagem é frustante saber que um escritório fatura 110 milhoes de reais e não oferecem subsídios para seus funcionários. Certa vez no ano passado houve uma chuva em Bauru onde o \\\"galpão\\\" quase foi submerso pelas aguas que desciam do teto e paredes (colocação um pouco exagerada!), isso demonstra o descaso de onde os funcionários estão exercendo a profissão. É claro que muitos que estão trabalhando no JBM trabalham por falta de opção, ou para adquirirem experiencia, não há uma expectativa de fazer carreira dentro do escritório porque os próprios donos não fazem por meio de manterem seus advogados, mas entendo que estes sócios, ao invés de olharem somente para os próprios bolsos, deveriam dar valor aos funcionários que o enriquecem, oferecendo, no mínimo, as condições de trabalho digna de um advogado e não cadeiras desconfortáveis, micro mesas, computadores precários, sistema lento, e ainda conbrança absurdas de milhares processos nas costas de 2 ou 3 advogados por equipe que se desdobram para não perder prazos, gerando altos transtornos psiquicos> Sinto informar aos clientes do JBM, mas desta forma não é possível a prestação de um serviço de qualidade, muitos prazos simplesmente são feitos para não perder prazo e não com a preocupação de análise para no mínimo tentar inverter a pretensão do autor a prestação de serviço deveria se dar em um lugar adequado, com maior numero de pessoas. Sabe-se que é o maior escritorio em numero de advogados, isso dá para tirar uma conclusão de quantos processos não existem para arrecadarem milhões, tendo em vista que cada processo rende a \\\"merreca\\\" de aproximadamente R$100,00, como menciona a revista exame. Para atingirem a marca de arrecadarem o valor alto demonstrado na revista é porque existe muito suor por trás disso tudo! Valorizem os funcionários que colocam dinheiro em sues bolsos José Edgar e Cia.

Gilmar Mendes Espertão 19/04/2011 1:48

Então por que vc tá trabalhando no JBM? Vai ser pedreiro! Com curso superior e OAB, vai ser um baita dum pedreiro. Vai ficar rico rapidinho!

Vão arrumar o que fazer! asdfasdfaf18/04/2011 15:30 Responder

tá... o povo ganha mal porque quer, assim como o médico, que reclama do valor dos plantões... aiii me poupem vai!!! Se ganhar bem fosse tão fácil assim, como vocês estão falando, ninguém jogava na loteira. Vamos parar de hipocrisia, vai?!

Maria Advogada18/04/2011 15:46 Responder

Eu já trabalhei no JBM e se a questão fosse apenas o péssimo salário seria ótimo. Há a questão da hiper pressão psicológica que os coordenadores nos faziam passar, a tentativa de se demitir que o chefão ameaçava de te sujar para a cidade inteira e assim você não conseguiria arrumar trabalho em outro lugar, e o enorme acumulo de processos por advogado. Precisa aumentar o número de advogados, melhores salários, tratamento humanitário, principalmente. Falta humanidade pra esse escritório.

Maria Advogada18/04/2011 15:48 Responder

Além de que há uma rotatividade gigante de advogados lá.. ninguém dura mais que 2 meses. Ninguém aguenta tanta pressão! Isso quando não ficam sabendo do inferno que é lá antes de voltar para a entrevista e raramente vão candidatos.. é terrível.

Rui Barbosa Falecido18/04/2011 16:34 Responder

Pessoal JBM Greve jááá, pelos menos com salários melhores, serão chamados ao invez de salsichas, pelo menos de linguiça toscana.................

no no18/04/2011 16:39 Responder

OS SALARIOS SERÃO PAGOS EM SALSICHA...

Rafael T Advogado18/04/2011 16:42 Responder

Saímos do JBM pelo estresse diário, porque quando entramos para trabalhar nos prometem mundos e fundos e depois: \\\"só na chibata\\\". Quando o funcionário vê que não há possibilidade alguma de \\\"subir de cargo\\\" ou de melhores condições de trabalho cai fora mesmo. Podem verificar a rotatividade de funcionários na empresa, se fizessem um apesquisa (se é que ja não existe esse controle no RH), um advogado não fica mais do que um ano no JBM. Pode até ser o maior escritório de advocacia em numero de advogados, mas também é o que tem maior rotatividade de funcionários pois somente no dia em que fui fazer minha rescisão havia outras 12 a serem feitas em um só dia. O pior é que quando houve um aumento de salário de aproximadamente 65,00 no ano passado, o Sócio que foi nos dar a notícia informou que aquilo seria MUITO honeroso para o escritório e que não tinha a menor condição de aumentar mais. Hoje, vendo a reportagem é frustante saber que um escritório fatura 110 milhoes de reais e não oferecem subsídios para seus funcionários. Certa vez no ano passado houve uma chuva em Bauru onde o \\\"galpão\\\" quase foi submerso pelas aguas que desciam do teto e paredes (colocação um pouco exagerada!), isso demonstra o descaso de onde os funcionários estão exercendo a profissão. É claro que muitos que estão trabalhando no JBM trabalham por falta de opção, ou para adquirirem experiencia, não há uma expectativa de fazer carreira dentro do escritório porque os próprios donos não fazem por meio de manterem seus advogados, mas entendo que estes sócios, ao invés de olharem somente para os próprios bolsos, deveriam dar valor aos funcionários que o enriquecem, oferecendo, no mínimo, as condições de trabalho digna de um advogado e não cadeiras desconfortáveis, micro mesas, computadores precários, sistema lento, e ainda conbrança absurdas de milhares processos nas costas de 2 ou 3 advogados por equipe que se desdobram para não perder prazos, gerando altos transtornos psiquicos> Sinto informar aos clientes do JBM, mas desta forma não é possível a prestação de um serviço de qualidade, muitos prazos simplesmente são feitos para não perder prazo e não com a preocupação de análise para no mínimo tentar inverter a pretensão do autor a prestação de serviço deveria se dar em um lugar adequado, com maior numero de pessoas. Sabe-se que é o maior escritorio em numero de advogados, isso dá para tirar uma conclusão de quantos processos não existem para arrecadarem milhões, tendo em vista que cada processo rende a \\\"merreca\\\" de aproximadamente R$100,00, como menciona a revista exame. Para atingirem a marca de arrecadarem o valor alto demonstrado na revista é porque existe muito suor por trás disso tudo! Valorizem os funcionários que colocam dinheiro em sues bolsos José Edgar e Cia.

Gustavo Advogado18/04/2011 17:20 Responder

Os métodos, formas, custos e disposições de mesas e cadeiras pouco me importa. O que me preocupa como advogado, é saber que meus colegas de profissão que estudaram durante anos, enfrentaram tcc, venceram a dificil e caríssima batalha contra o exame de ordem, estão aceitando esse salário como contra partida ao trabalho prestado. É notorio que a rotatividade de advogados nas empresas que laboram nesse sentido é gigantesco, daí observamos a insatisfação da maioria, nesse sentido, talves essa matéria sirva como um alerta para repensarmos, dicutirmos e reavaliarmos o verdadeiro valor desse profissional do direito.

no no18/04/2011 17:25 Responder

Vocês adevogados estão defecando pela boca...

Gervazio ANTI-ADVOGADO18/04/2011 17:53 Responder

Advogados.... eita raça.

ANTI GERVAZIO ADVOGADO 18/04/2011 18:07

Não é raça, mas classe. Eita classe, portanto.

SIM KID-BENGALA18/04/2011 18:08 Responder

Não sei pq reclamam... Onde é que vcs vão achar uma empresa igual a essa, que é perto do subway, de duas churrascarias, de dois mercados... Tem ate sorvete do MC Donalds na frente.

Juan Mario ADVOGADO 18/04/2011 19:07

Isso sem contar os deliciosos 2 dedos de café expresso que são cobrados do advogado! Ou o incrível copo de leite puro por R$1,00.

Assisnte JBM assistente 18/04/2011 19:14

Pessoal, ninguem é obrigado a trabalhar lá.. Não estão satisfeitos?? Procurem algo melhor então. Muitas familias são sustentadas com o salario que o JBM paga e outra, não existe emprego perfeito. Façamos a nossa parte que o resto Deus ajuda...

Glu Glu - ié ié Rááááá!18/04/2011 18:39 Responder

Metade dos \\\"reclamões\\\" devem passar 2 horas fumando la fora, 2 horas conversando com seus amigos sobre as baladas dos finais de semana e marcando as próximas, e mais 2 horas no mercado! No final do dia trabalham 2 horas e ainda acham que merecem ganhar rios de dinheiro! Tão ganhando bem demais pra não fazer nada! Da pra contar nos dedos quem são as pessoas que se dedicam e dão o sangue para ser alguém aqui dentro, que trabalha e cuida da empresa vestindo a camisa. As pessoas gostam de reclamar, \\\"muito trabalho\\\", \\\"muita pressão\\\"... Quem quer faz! Quem não quer arruma desculpa! Quer moleza, vai tomar sopa de algodão! Tudo na vida vem com muito esforço, muita luta. Muitos filhinhos de papai que passaram os 5 anos em festas de faculdade, se arrastando para se formar, e agora chegam aqui querendo status e salário depois de 6 meses de \\\"trabalho\\\". Ainda se acham os Deuses porque conseguiram passar na OAB e podem tudo, podem até mesmo desmerecer pessoas pelo trabalho \\\"menos nobre\\\" que elas fazem. Exemplo das \\\"tias\\\" da limpeza, que eu já presenciei essas mulheres sofrendo por causa desses \\\"Deuses\\\" que não tem educação nem respeito. Pessoas que sequer te comprimentam e te desejam um bom dia, sentam do seu lado e não olham na sua cara, que não tem educação, respeito, humildade... ... ... Acompanho a empresa desde antes da fusão e sei que estão fazendo as coisas para melhorar. Acredito também que algumas pessoas passaram por algum tipo de \\\"injustiça\\\" aqui dentro, não sei se é a palavra certa para se usar, mas no geral, ninguém esta nem ai para nada. São poucos que brigam e merecem um lugar de verdade! Esse assunto vai muito além de condições de trabalho, tem muita coisa que não foi nem será mencionada aqui.

fernando . adv18/04/2011 21:00 Responder

quanta gente louca, vão se tratar... se não consegue trabalhar sobre pressão, vai fazer trico, vender lençol ou fazer pão! Isso dos cara é o que ha de mais moderno, quem não tem perfil ta fora! Fora do JBM e do mercado, pq não serve pra nada! de que planeta são! Acorda, isso é sec. 21!! e é mentira que os concorrentes oferecem melhores condições, se fossem eles a ganhar os 110 milhões acham que seria diferente?

Juares Savi RH18/04/2011 21:51 Responder

Pelo que percebi nos comentários, tem alguns que estão satisfeitos e com certeza devem ser ?chefe? de algum setor e ganhando R$ 3.000,00/mês ou até mais. Já que não ligam em ganhar dinheiro deveriam passar a ganhar R$ 1.200,00, pois melhores condições de salário não é importante. É natural que os empregados queiram ganhar melhor, afinal todos tem direito. É engraçado os próprios funcionários ?chefes? falarem que se não estão satisfeitos que procurem outro lugar para trabalhar, é assim que vcs ?chefes? pensam e enxergam os funcionários? Tenho uma sugestão, faça uma pesquisa com os funcionários, sem necessidade de se identificarem. Não dá para agradar todo mundo, se mais de 50% não estiverem satisfeitos ai devem procurar uma solução.

fernando . adv 18/04/2011 23:55

então voce não entendeu. .. todos aqui tão concordando que pagam poco, mas ñão é assim que vão ganhar alguma coisa, pelo contrário, vão só ganhar mais trabalho, pois se a mãe de obra é barata, vai ter mais gente querendo contratar o JBM. Todo mundo tem o direito de buscar o q acha ser melhor mas não dessa forma. deviam falar com o responsável pela CIPA e resolver com o mesmo respeito que tão cobrando. Assim só vai aumentar a exploração

Mahatma Ghandi líder, pacificador 19/04/2011 0:01

será que é assim q funciona msm, fernando? que adianta mao de obra barata se o escritório começa a perder causas simples em razão da enormidade de processos que enfiam goela abaixo dos advogados? não sei se, em médio prazo, isso vai dar certo... os clientes podem sumir

no no18/04/2011 22:38 Responder

Vamos fazer uma continha rapida. 400 advogados x 2400,00 (salarios mais leis socias) = 960.000,00. Mais umas despesinhas operacionais vamos arrendondar para 1.000.000 de despesa ao mês. Faturamento Bruto = 110.000.000,00 no ano por mês da 9.200.000,00 por mês tira a despesa da 8.200.000,00 por mês de lucro. Dividindo por 4 da 2.000.000,00 por mês p cada dono. e vcs ganhando 1200 conto , kkkkk...

Bartolo Advogado18/04/2011 23:47 Responder

Aos que reclamam do salário, saiam, abram um escritório, se inscrevam na assistência judiciária e corram atrás de clientes. Se der certo me avise, pois enviarei meu curriculum com uma pretensão salarial maior que o pago por este escritório. Aos que reclamam em trabalhar demais, ou é pq nunca trabalharam na vida ou é pq cansa muito copiar e colar, pois não tem capacidade de desenvolver um parágrafo de uma tese. Ora Doutores, não gostam de advogar, tentem passar num concurso, ou será que dá muito trabalho estudar também?

Mahatma Ghandi líder, pacificador18/04/2011 23:59 Responder

O toque do dia é para aqueles que estão começando o curso de Direito: larguem imediatamente e prestem vestibular para psicologia na UNESP. Esse pessoal que hoje está defendendo a empresa daqui 10, 15 anos estarão frustrados e depressivos. Quem tiver uma clínica bacana vai ganhar muito dinheiro! Se bem que esse pessoal só terá cura com o analista de bagé! hahaha.

Piero Calamandrei Jurista19/04/2011 0:24 Responder

Engraçado, juiz Federal que ganha mais de R$19.000,00, por mês tem coragem de parar td pra reinvidicar melhores salários.......agora uns advogados que ganham 1.200, defendem a empresa que os exploram, e faturam nas suas costas 110 milhões, acho engraçado que na faculdade os asvogados aprendem a não se conformar com bosta, com coisa errada, com exploração...... percebemos aqui o nível intelectual dos CAPACHOS, que trabalham no JBM, que ao meu ver são alienados e não advogados, esse pessoal que acha td lindo são os pobres e frustrados de amanhã, que por estarem conformadinhos e achando td lindo acabam se ferrando na vida....... vamos acordar ADVOGADOS, essa profissão, essa classe a mais de séculos vem lutando por melhos condições sociais, e menos desigualdade, aqui no brasil, quando ainda ADVOGADOS horavam a classe, lutavam contra a ditadura militar, lutavam contra opressores, não se contentavam com a política de pão e circo que esse tal JBM quer implatar, ADVOGADOS pensem em quem querer ser, e oque querem que o brasi se torne, um curral, ou um país de primeiro mundo, é por essas atitudes covardes de uns ADVOGADOS cagões que a classe vem perdendo o respeito conquistado a anos, porque será que na Inglaterra, Alemanha, EUA, ADVOGADOS não se submetem a tal tratameto?????????????????????????

Regina Lima sua profissão 19/04/2011 0:44

Não trabalho neste escritório, mas usar o nome de um renomado jurista para escrever besteiras...isso sim é ofender a classe!

Antonio Lira Advogado em SP19/04/2011 0:55 Responder

Realmente o salário é baixo, não somente neste escritório. Mas quem realmente ESTUDOU os cinco anos da faculdade e ainda estuda para ser um bom profissional e seguir na profissão, merece mais, muito mais! Agora, o advogado que nunca abriu um Código quer o quê? Apóio os ADVOGADOS que conhecem o Direito, por melhores salários. Quem quer ficar no ctrl C e ctrl V, ganha até demais.

INFELIZMENTE BRASILEIRA marmita19/04/2011 10:46 Responder

OS CAPACHOS ESTÃO NO LUGAR E PAÍS CERTO! ABAIXAM A CABEÇA E DIGAM AMÉM A TUDO ! DESCULPEM-ME MAS DEVERIAM TER FEITO FACULDADE DE CORTE E COSTURA E NÃO DIREITO !!! E COM R$ 1,200,00 MÍSEROS REAIS COM CERTEZA DEVEM COMER ARROZ COM SALSICHA NO ALMOÇO HahaHAHAHAHAHAHAHA SÓ RINDO PRA NÃO CHORAR !!!!!

Salvador Dali a de sempre 19/04/2011 11:22

Acho que na verdade falta aqui menos indignação e mais conhecimento. Procurem saber como está o mercado, não somente o mercado juridico mais também o mercado bauruense geral. A Colega lá de cima que citou um vendedor de enxoval, procure saber quanto tempo ele gasta atendendo a patricinhas como vc e entenda o porquê dele ganhar melhor; ao outro que cita o Juiz federal, avalie-se e pense no caminho que ele percorreu pra chegar onde chegou. A revista trata por salsicheiro toda a categoria de advogados que trabalham para contencioso de massa e não somente a este escritório, mais por que ? por que realmente são processos com características semelhantes que em suma maioria despendem o mesmo esforço. Ledo engano os que acham que todos os advogados ganham este valor de salario, engano pior achar que somente chefes ganham salarios melhores; ganham salarios melhores que se destaca na multidão, quem tem coragem de enfrentar a pressão entendendo como mais uma oportunidade de vida e carreira. A todos os que reclamam e pensam em piquetes somente vai restar somente uma velhice cheia de dentes esperando a morte chegar com os mesmo 1200,00 de outrora.

INFELIZMENTE BRASILEIRA marmita 19/04/2011 11:47

NÂO PENSAMOS EM PIQUETES, MAS SIM EM IGUALDADE SALARIAL !! SIM SIM, CONCORDO QUE GANHAM SALÁRIOS MELHORES QUEM SE DESTACA NA MULTIDÃO, MAS ACHO QUE A GRANDE MAIORIA QUE ESTÁ REIVINDICANDO SEUS DIREITOS CONCORDA NO ABUSO E EXPLORAÇÃO DESSES GRANDES ESCRITÓRIOS DE MASSA !! BOM, ISSO NÃO É NADA, POIS O BRASIL É O PÁIS QUE MAIS PAGA IMPOSTOS NO MUNDO..PRA QUE RECLAMAR NÉ?????

Assistente jbm assistente 19/04/2011 14:20

Pelo jeito vc tbm é mais uma que come de marmita na cozinha apertada e quente do JBM... Para de reclamar e vai travalhar, pois te pagam pra trabalhar e não pra reclamar.. Depois reclamam que ganham pouco, reclamando desse jeito não vamos chegar a lugar nenhum... Todos murmuradores, que reclamam e nada fazem para melhorar.

Choque de Ordem para OAB ADVOGADO19/04/2011 11:19 Responder

Se o piso salarial do advogado fosse igual ao do engenheiro, 8,5 salarios minimos, tudo estatria resolvido. Lembrem que isso tudo é culpa da OAB que só pensa em granhar dinheiro com as provas etc.. Ora, se os escritórios respeitassem os valores minimos de honorários fixados pela OAB, para condução dos processos, não haveria razão para se pagar tão mal ao advogado. Contudo, essa não é a realizade, pois temos escritórios que conduzem processos por valores inferiores a 1 salario minimo. Desafio a OAB a verificar esses contratos do JBM, pois certamente, mais de 50% estão em desconformidade com o minimo fixado pela OAB. ISSO é uma vergonha.

Realista Adevogado-Deus19/04/2011 11:56 Responder

Ja que estamos falando de engenheiro e advogado... hahahaha.... \\\"Ele tornou-se um advogado especialista, não queria saber de outra função que não fosse a sua especialidade. Um dia, em casa, sua mulher pediu: - Querido, o ferro não esquenta. Dê uma olhada, por favor... - Querida, acooordaaaaaa!!! Eu não sou eletricista!!! Sou advogado! No outro dia: - Querido, a pia entupiu. Você pode dar uma olhadinha? - Querida, acoooordaaaaaa!!! Eu não sou encanador!!! Eu sou um advogado!!!!! Na segunda-feira seguinte: - Querido, a torradeira está pegando fogo! - Mulher, vê se acooordaaaaaaa!!! (alterado) Eu não sou bombeiro, SOU A - DI - VO - GA - DOOOO!!!!! No fim-de-semana, descansando, ele descobre que tudo o que a mulher havia reclamado estava em perfeito funcionamento. E ele pergunta: - Querida, quem fez todos esses reparos? - Ora, querido, você lembra daquele seu amigo engenheiro que você trouxe para jantar aqui no sábado passado? - Sim, lembro. - Então, ele se prontificou a consertar tudo. - Como assim? Ele fez tudo de graça? - É claro que não! Ele me disse que eu poderia pagar de duas formas: Eu faria um prato igual ao que nossa empregada fez quando ele jantou aqui ou lhe dava o prazer de um sexo bem animal... - E o que você fez?!?! - Querido... Helloooo... Acoooordaaaa!!!!! Eu NÃO sou Co - zi - nhei - raaaaa........\\\"

Jacinto - ex JBM Advogado19/04/2011 15:00 Responder

Bom caros colegas, o fato é que com essa discussão, não chegaremos a lugar nenhum. Podem ter certeza que os sócios batalharão em cima desta reportagem, mas para melhorar a visão que terceiros e clientes tem do escritório para aumentarem ainda mais o volume de seus bolsos e NUNCA em prol dos funcionários, para eles pouco importa a insatisfação e rotatividade, pois SEMPRE terão pessoas para trabalhar, até mesmo por 1200,00 porque nós (até mesmo ex funcionários) precisamos trabalhar. Podem ter certeza que eles entendem que \\\"estão fazendo um favor\\\" em dar emprego aos advogados iniciantes e por isso não aumentarão salário. Se esta matéria refletir de forma negativa, com certeza só tomarão providencias se afetar diretamente o bolso deles.

Marcus Advogado19/04/2011 21:11 Responder

Esse escritório é uma escola para os recém formados. Da mesma forma que um dia sonhou o pai Dr. Valdomir Mandaliti e acabou concretizado por seus filhos. Portanto aqueles que somente possuem criticas CUIDADO. Certamente ninguém faria melhor por aqueles que saem das faculdades em busca de seu primeiro emprego e contato com o fascinante mundo do Direito. De forma que desejo sucesso e prosperidade para todos que compõem o escritório bem como para seus idealizadores.

Indignado Real Estudante20/04/2011 17:22 Responder

Ao comentário da Gisele Gucci: Gisele, ta na esperança do seu patrão ver isso e te promover? Concordo no sentido de que a Mandaliti não foi buscar ninguem em casa, obrigá los a trabalhar la e aceitar tais condições, agora dizer que vcs são os melhores, aí vc pirou de vez, deve ser o trabalho em acumulado. Muito pelo contrário, vcs não só, são os piores, como ainda denigrem, envergonham e desvalorizam a classe dos Advogados, se matando de trabalhar por um chefe que tem o MESMO DIPLOMA que você, para este sim, enriquecer, enquanto vc ganha seus mil e pouco, trabalhando numa baia praticamente 3 x 4, e batendo no peito com ORGULHO desse papel que vc faz. Vc representa nada mais que NADA pra classe dos advogados. Se vc e seus colegas são os melhores, utilizem esse tempo de trabalho que vcs gastam pra ganhar mil e pouco, estudem só um poquinho (apenas pra lapidar o conhecimento sobrehumano de vcs) e passem em um bom concurso. O poder judiciário brasileiro precisa dos MELHORES la, espero que vcs, OS MELHORES, assumam tais cargos.

Thiago advogado20/04/2011 18:58 Responder

Lixo.

Nelson Morales Sindicalista 20/04/2011 23:46

O que me causa estranheza é que o próprio Demarest relata que seria inviável tal negócio, esquecendo-se que essa turma surgiu com a fusão dos Mandalitis (antigos correspondentes) do contencioso em massa do Demarest, e alguns ex-sócios do próprio Demarest, dentre eles o Sr. José Edgard e o Sr. Mandaliti, Renato, no qual assumiram os clientes do respectivo contencioso em massa. E o pior, alegam que o acordo coletivo (que na verdade é uma farsa montada por eles) é o que regula a categoria dos advogados de Bauru, sendo totalmente ilícito, e além disso, como pode um acordo ser prejudicial à CCT da categoria? Lembramos que tudo isso foi cria do famigerado Demarest, que hoje cita ser inviável para um escritório de advocacia.. Piada......rs

Mister M Sem mistérios 23/04/2011 17:15

Malibu?

Humilhação Melhor do que viver na custa dos pais.21/04/2011 0:12 Responder

Olha a opinião da Gisela foi muito ironica e um pouco grosseira, mas devemos lembrar que não se pode generalizar, há pessoas e pessoas que trabalham neste escritorio, não sei se os melhores, mas acredito que também não sejam os piores já que dão um lucro de R$ 110 mil, o valor do salario apesar de ridiculo não significa que os advogados que trabalham lá são lixo. Sendo assim solicito que respeite as pessoas ao menos como ser humano que são e não generalizem falem de quem falou e não de todos.!

Juca Advogado adv 22/04/2011 17:53

Ninguém disse que os advogados de lá são um lixo, mas sim vítimas. Ou você prefere ser humilhado por seu coodernador ou pelo seu chefinho que nem peticionar sabe....

Me contrata JBM Palestrante 23/04/2011 4:56

Juca, vc deve trabalhar no JBM!? Pq ainda continua lá? Vc se acha uma vítima?

Realista advogado22/04/2011 17:07 Responder

Em todos os comentários, mesmos os mais debochados, não vejo ninguem ofendendo os advogados/funcionários desse escritório. O que está no ar é como um milagre desse pode acontecer em meros 3 anos (do zero aos 110 milhoes de lucro). Quem conhece um pouco da advocacia, mesmo a de massa, sabe que ou essa afirmação é falsa, inventada pelos donos do escritório, ou se for verdade, não informa a verdadeira fonte do lucro dessa empresa. De forma que, para apurar tal situação, sugiro que o Fisco avalie o IRPJ dessa empresa nos ultimos três anos e averigue se tais rendas foram de fato declaradas. Quanto as questões trabalhistas, tudo já foi dito aqui. No mais, entendo que por um tempo a pessoa pode se sentir feliz num ambiente desse, onde pode fazer novas amizades e obter uma renda que, para alguns, é valiosa (R$ 1200,00). São pessoas que não tem consciencia de classe e daqui uns anos estarão praguejando contra a advocacia. Se passar por lá e depois buscar um caminho melhor, terá valido a pena. Senão, procure outra profissão e, naturalmente, busque o que entender correto na JT mais proxima.

Juca Advogado adv 22/04/2011 17:57

É verdade realista. Até porque quem é de Bauru sabe que os Mandalitis sempre foram fontes de esquemas. Sem dúvida o que adianta falar de sustentablidade, plantar mudas etc se parecem linha de produção chinesa com escravos mau pagos e infelizes. Assim acredito que as empresas que lá se albergam são igualmente sujas. Pois não se pode pregar uma coisa e plantar outra. Concorda.

Realista Z advogado 22/04/2011 18:38

Concordo sim, Juca. Não há inocentes nesse negócio. Existe um jogo de interesses e que, com a ajuda da brecha legal do estatuto da OAB, ausência de fiscalização e excesso de bachareis, criou-se um mundo maravilhoso para bancos e companhias inescrupulosas, aliado a tipos como os membros do JBM. Mas se fosse uma \\\"boquinha\\\" tão boa, o Demarest

Salvador Dali a de sempre 22/04/2011 20:02

Realmente devem ter faltado as aulas de etica. Procurem ser imparciais caros Doutores e parem de ofender uma das familias que mais empregam em Bauru

Van Gogh a de sempre 22/04/2011 20:55

Sou contra ataques pessoais. Mas qual é o custo dessa empregabilidade ? Pelos cometários não há pessoas satisfeitas ou com prospecção de sucesso individual.

Maximus de uma vitória Taticas de Guerra22/04/2011 21:59 Responder

Pobres e tolos Mortais, Alguns de vocês estão na tormenta onde ninguém é de ninguém!!! Primeiramente, alguns estão presos em limites sociais, outros se contentam com migalhas lançadas a pombos..... \\\"pombos\\\"................ estão mais para porcos..................... Pessoas que apenas latem e nada fazem!!! Caros amigos !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! se almeja mudança, lute para isso! Informações seguras......... relatam que apenas alguns se propõe em levantes contra os abusos e mazelas dos poderosos! Muitos botaram a Culpa no escritório JBM, que inovou ao aproveitar um mercado que já estava pirateado e sem moral!!! OUTROS acusam uma REVISTA que é referencia em um norteador no mundo dos negócios. Corta-me a carne em dizer palavras acima, mas vejo que muitos precisam do ordenado \\\"soldo\\\". Quer fazer sua Parte, vote certo, denuncie quem faz algo errado....não permita que pessoas espertas tirem vantagem.. cobre seus Dtos.... e só assim sua alma terá salvação!!!!!

Carlos M. Pintor 23/04/2011 5:04

No que o JBM inovou? Não vejo como inovação isso. Os donos do JBM querem é ganhar dinheiro, estão errados? Sei de escritório em Bauru que tem 15 advogados e a faixa salárial tb é a mesma coisa. Estão de olho no dinheirão que eles estão ganhando isso sim. É o fim...Vamos trabalhar minha gente!!!

Me contrata JBM Palestrante23/04/2011 4:52 Responder

Acho que muitos deveriam assistir os vídeos abaixos, principalmente a Sr. Gisele Cucci. http://migre.me/4jNRV http://migre.me/4jNSb http://migre.me/4jNSl

Muito bom. advogado 25/04/2011 10:51

Ótimo.

Luciano Baraldi Gerente25/04/2011 3:08 Responder

Ninguém comentou a respeito dos funcionários, e sim, dos sócios que exploram e denigrem a advocacia.... Esses (funcionários) são vítimas da corja que assola a nossa advocacia, que ilegalmente associaram-se ao Sir Ricardo Semler, que sequer é advogado, sendo malquisto no meio empresarial, vindo associar-se com pessoas aproveitadoras em explorar a classe tão honrada que é a nossa. Cabe à OAB, órgão este que regula essas relações ilícitas, bem como, ao MPT que nada fez para acabar com essa mazela, e mais ainda ao Sindicato Profissional dos Advogados do Estado de São Paulo para tomar as medidas cabíveis com esse rebaixamento realizado À classe.. Meus cumprimentos aos demais colegas que protestam contra essa prática tão imoral que é praticada.

meus cumprimentos advogado 25/04/2011 21:39

Parabens Luciano pelo comentario, acho que ate agora foi a melhor visao da materia e do que realmente acontece no escritorio citado.

Faria Lima consultor.25/04/2011 15:27 Responder

Não colocaram a reportagem no site... Ao menos se extrai dela uma visão de sucesso que é a previsão de faturamentento para 2011. Certamente faz frente a muitos escritórios pomposos da capital.

Lucas Brizzola Auditor25/04/2011 16:07 Responder

Só uma perguntinha aos contrários aos métodos do JBM: o escritório não está colaborando com o acesso à justiça aos que têm menor poder aquisitivo, já que os grandes só se preocupam com as grande$ causas?

O Comendador Pensador 25/04/2011 17:35

Lucas Brizzola, em resposta a sua pergunta: Não. O JBM/MANDALITI não está colaborando com os menos favorecidos. Isso porque, o JBM/MANDALITI somente tutela ações para as grandes empresas, ou seja, um cidadão pobre (pessoa física) jamais será cliente do JBM/MANDALITI. Quando se fala em \\\"redução de custos\\\" e \\\"preços baixos\\\", fala-se em favor das grandes empresas. O lucro do JBM/MANDALITI advém do grande volume de ações que tutelam em favor dessas empresas. O JBM/MANDALITI se compromete em nunca promover ações contrárias às empresas para as quais trabalha (inclusive, por previsão no Estatudo da OAB). Ou seja, um cidadão pobre que quer processar uma grande empresa jamais será atendido pelo JBM/MANDALITI. Sou um \\\"Ex-Salsicha\\\", portanto, conheço com intimidade os procedimentos do escritório.

Lucas Camargo leitor 25/04/2011 18:21

COMENDADOR e os escritórios coligados dos amigos de amigos essas ações não são repassadas ? Como ex salsicha vc deve saber.

O Comendador Pensador 26/04/2011 11:47

Lucas Camargo, tentei ajudar, mas, a sua pergunta está confusa e ininteligível. Por gentileza, poderia refinar a sua dúvida? \\\"(...) e os escritórios coligados dos amigos de amigos essas ações não são repassadas?\\\" 1ª Dúvida: O que são os escritórios coligados? 2ª Dúvida: Amigos de amigos? Quem são os amigos? E os amigos dos amigos? 3ª Dúvida: Ações repassadas? Quais ações? Repassadas para quem? Na qualidade de \\\"ex-salsicha\\\" tentei ajudar, mas, primeiro, preciso da sua ajuda para responder.

Lucas Camargo Leitor 26/04/2011 12:14

Prezado Comendador: como você se demonstra defensor e no seu primeiro comentário fala em ética e estatudo da OAB. Me explica isto: CNPJ n.º 1.498.808/0001-67 parceria dos sócios da Salsicharia com o grupo SEMCO do Ricardo Semler vivendo no limite da regulamentação.

O Comendador Pensador 26/04/2011 15:21

Prezado Lucas, acho que interpretou erroneamente as minhas palavras, ou, me fiz interpretar errado. Não sou defensor do grupo, muito pelo contrário, sou um crítico moderado. Mas, não entendi novamente a sua pergunta... Voltamos: 1ª Dúvida: O que são os escritórios coligados? 2ª Dúvida: Amigos de amigos? Quem são os amigos? E os amigos dos amigos? 3ª Dúvida: Ações repassadas? Quais ações? Repassadas para quem? Não entendi a questão do \\\"defensor\\\"... Procure escrever mais e explicar mais Lucas, seus comentários são incompletos e nãos nos permite extrair nenhuma conclusão ou pergunta deles. Como bem disse Cazuza, o nosso \\\"poeta do rock\\\": Suas idéias não correspondem aos fatos...\\\"

Lucas Camargo Leitor 26/04/2011 15:59

Bom Comendador reconhecidamente você não é bom entendedor, pois se fosse meia palavra bastaria. Vamos lá, na ordem: 1º ) Coligados são os escritórios eleitos para representar clientes do varejo em eventuais ações contra os clientes do massificado; 2º) Os clientes do varejo que necessitem exercitar seu direito contra uma instituição financeira ou discutir relação por ventura existente num contrato de seguro cuja a empresa também seja cliente do escritório; 3º) Ou o escritório desconhece o que prega em seu site institucional onde alega o que nunca faremos: ?dizer nunca? assim caso um cliente do varejo tenha eventualmente um embate contra um cliente do massificado e vice e versa. Por evidente, não posso e nem devemos relacionar nomes, pois não é isso que está sendo discutido aqui. Enfim a ladainha institucional é frágil e ilógica. Que ?nunca faremos? é constantemente uma regra relativizada pelo próprio escritório. A saber como exemplo: empresário do varejo e cliente do escritório, mas no curso do contrato de prestação de serviços advocatícios obrigado a demandar com instituição financeira cliente da mesma banca jurídica. Agora se o douto Comendador conseguir explicar como eles fazem ao representar esses interesses conflitantes seria digno de nota. Garanto que ética naquele lugar somente da boca para fora.

Alberto Gusmão Advogado 27/04/2011 2:08

Nossa Senhora!!!!!!!!!!! Pelo amor de DEUS, criem um moderador....no mínimo esse sujeito é bipolar..creio que seja o efeito jbm que afetou a massa encefálica dele... Aconselho à procurar a JT mais próxima a fim de pleitear um dano moral irreversível, posto que pelos seus cometários vc foi vítima de doença profissional , melhor esclarecendo\\\"doença mental\\\", para expor tanta imbecialidade em seus cometários..... Obrigado Comendador em não responder, devendo ser algum salsicha coordenador.....

Andre Gusmão zunir 27/04/2011 9:12

Alberto Gusmão o puxa sacão... Seu emprego tá garantido. Sua cabeça não rola tão já........

Alberto Gusmão Advogado 28/04/2011 1:02

Mais um tosco que não sabe o que lê...nossa.como tem perdido por aqui... Eu me referi ao Lucas, que primeiramente achou a idéia do JBM em pról da coletividade...... garantindo a todos o acesso À justiça, sendo totalmente impertinente e irreal tal colocação, como havia dito o comendador.... creio que vc não saiba interpretar os comentários redigidos por aqui, e pelo pouco que escrevi demonstra claramente que sou contra esse tipo de advocacia, que para mim sequer poderia se chamar de advocacia,....trata-se mesmo de uma salsicharia, que vive de copia e cola......trabalhei nesse escritório e era obrigado a cumprir dezenas de prazos ao dia, sendo impossível administrar de uma forma profissional tantos prazos.....lamentavelmente essa corja possui costas quentes perante à OAB que nada faz para impedir tamanho desprestigio profissional para a classe.. portanto, leia e compreenda o que se comenta, senão creio eu que vc terá mta dificuldade em advogar....por fim, sugiro que procure uma professora de português.

O Comendador Pensador 03/05/2011 12:15

Colegas Advogados, a resposta para a exploração exercida pelo JBM/MANDALITI está na frente dos nossos olhos, pedindo para ser vista. Exemplo disso é o \\\"comentarista\\\" Lucas Camargo que, ou não é advogado, ou, se o for, é um profissional com séria deficiência de interpretação de texto. Em momento algum \\\"O Comendador\\\" defendeu a política do JBM/MANDALITI. Muito pelo contrário. Em meu primeiro comentário, \\\"O Comendador\\\" frisou que a política de trabalho dessa instituição NUNCA favoreceria os interesses dos mais carentes, mas, tão somente das grandes empresas. Em sentido absolutamente contrário, e sem qualquer entendimento do comentário transcrito, o Lucas Camargo passou a \\\"bater pezinho\\\" e \\\"chacoalhar as mãozinhas\\\" fazendo questionamentos totalmente fora da questão inicialmente proposta: \\\"favorecimento, ou não, dos mais carentes\\\". Em suma, profissionais menos preparados, dentre os quais, aqueles com sérias deficiências na interpretação de textos, ortografia, acentuação e afins, são os alvos de instituições como o JBM/MANDALITI. Isso porque, sua propria natureza e preparo profissional não lhe permitiria uma colocação mais favorecida no mercado de trabalho. Lucas Camargo, hoje, não adianta ofender e negar a sua origem e cabimento profissional na salsicharia, porque, ao que tudo indica, você é um tremendo de um \\\"churrasquinho grego de esquina\\\"... Portanto, ainda saem por \\\"nobres\\\" as salsichas...

CHUCRUTE Advogado26/04/2011 2:19 Responder

Já trabalhei no JBM. Gostei. Tem gente legal e aprendi bastante coisa por lá. Tem gente humilde e bacana, que ensina de verdade... Tem gente que não vale nada, burra, e que tem cargo por que tem amizade com os donos... Eles não conheço direito, mas não tem cara de ricos não, acho que são meio humildes... R$ 110 milhões é muito né... Queria eu ser o dono... O salário é baixo mesmo, uma vergonha, mas é assim em qualquer lugar... É a profissão que não vale mais nada... Hoje em dia compensa fazer faculdade de gastronomia do que Direito... Mas que salsicharia é uó, é...

CHUCRUTE Advogado26/04/2011 2:24 Responder

Há... Tinha esquecido de uma coisa... Em nenhum outro escritório do mundo tem tanta gente bonita como tem no JBM... Eu era apaixonado por uma coordenadora chamada PAULA, mas ela nunca olhou na minha cara... Paula, onde quer que você esteja, sinto sua falta...

O Comendador Pensador 03/05/2011 12:33

Tente abrir o coração amigo. Dessa forma, ela nunca vai saber. No máximo, você terá um \\\"não\\\". Mais um \\\"não\\\", dentre tantos outros que os funcionários da instituição costumam ouvir. Desde já: NÃO!!!

Márcio Silva Carteiro26/04/2011 4:08 Responder

Nossa chucrute, você demonstra o quanto é tosco e medíocre ao comentar, não possuindo qualquer base para fundamentação.... Vá para outro lugar expor as suas fantasias sexuais, deixando para cá a matéria objeto da discussão. Quanto a suscitada matéria, demonstrou cabalmente que o pseudo escritório vulgariza a advocacia em toda a sua plenitude.....seja pela forma que trata os seus empregados, seja pela estrutura fabril que ordena o trabalho, pelas ilicitudes praticadas (dumping social), seja pela forma vil que trata da advocacia. vejam que até o Rodrigo, que sequer é advogado, muito menos completou o 2ª grau, representa e administra o pseudo escritório...cadê a OAB de Bauru para regularizar toda essa imoralidade? Isso é uma vergonha.....

Voz Amiga ex-advogada. Vendo Avon. Em breve, natura e Jequiti. 26/04/2011 23:04

Márcio Silva, seu nome não me é estranho....acho que trabalhamos juntos, não é? Sou aquela advogada que vendia doces, rifas e cosméticos no JBM/MANDALITI em São Paulo. Tempos dificeis. Hoje, e por causa DELES, deixei a advocacia. Fiquei louca por uns tempos...hj, graças as minhas vendas de produtos Avon tenho renda garantida todo mês. Será que as meninas lá ainda tem interesse nisso? Tinha aquele de bigode, lembra? vou ligar para ela.

AMIGA DA AMIGA Ambulante - ex advogada27/04/2011 1:40 Responder

Amigaaaaaaaa.......quanto tempo..lembro sim, claro....vc tb vendia chinelos à R$ 5,00 para o pessoal do JBM/Mandaliti de SP...lembro que a maioria das nossas amigas compravam para economizar as solas do sapato..tempos difíceis, lembras....aqueles advogados e estagiários famintos que acabavam com as bolachas das salas da OAB pelo fato de não ter dinheiro para o almoço....mas tudo passou...também larguei a advocacia por causa deles.....tive que fazer tratamento físico e psicológico pela forma que éramos tratados...tudo isso resultou em muitas varizes pelas distâncias percorridas para o cumprimento das diligências...não pagavam nem as conduções.....graças à Deus passou.....conquistei o meu espaço e hj sou uma empresária bem sucedida... montei a minha barraquinha de hot-dog e sou uma salsicha profissional....

OS FINALMENTES Cantor27/04/2011 9:08 Responder

Após ler atentamente todos os comentários desta página. Percebo que muito pouco de produtivo se extrai desses comentários já que a grande maioria usou o espaço para insultos dirigidos aos proprietários do escritório. Como dito:\\\" Tolo o homem que confia no homem\\\". Fica comprovada a mediocridade daqueles que saiam da advocacia e culpam o escritório. Ninguém aqui fala em mobilização, união e diálogo para recuperação da profissão. Essa desorganização somente indica que a situação permanecerá inalterada por muito tempo....

Eu eu conheço27/04/2011 12:25 Responder

É triste. A culpa é do escritório. Porque esta turma não vai procurar coisa melhor, se é que tem competência para isto. Ademais conheço alguns (Renata Cas.) por exemplo, que de boa profissional não tem nada. Já passou por tudo que é lugar.

jjj ljk ad 27/04/2011 20:33

adorei vc!

Alberto Gusmão Advogado28/04/2011 0:59 Responder

Aproveitando a oportunidade gostaria de fazer uma enquete....se possível, comentá-la. Quem é a favor desse tipo de advocacia, ou seja, advocacia massificada? por que? Vc aceitaria trabalhar por R$ 1.200,00, numa jornada diária superior à 10 horas depois de ter estudado absurdamente para passar no exame da OAB? Vc aceitaria de ser subordinado de uma pessoa que sequer é advogado num escritório de advocacia? Para quem já trabalhou no JBM, alguma vez recebeu PLR ou qualquer outro tipo de benefício previsto na CCT? Vc aceitaria ser contratado pela forma de associado, sabendo que é um meio de burlar a legislação obreira para não pagar os seus direitos assegurados em lei?

Advogado Bauru Advogado com ORGULHO28/04/2011 8:21 Responder

Culpa nossa ! Pois devemos escolher melhor nossos representantes de classe o atual fala bem, se porta bem, mas não faz nada a esse respeito. Mas não é só o JBM que paga o ?piso da categoria? todos eles pagam. Em Bauru podemos citar: HCOSTA, AVALONE JANZON, NP (nunca trabalhei em nenhum deles) e no restante do Estado muitos outros. Com exceção é claro de bancas renomadas tais como: Sergio Bermudes, Pinheiro Neto, Machado Meyer e o próprio Demarest essas pagam melhor contudo ninguém vai trabalhar lá se não tiver QI (QUEM INDIQUE) ou seja filho de desembargador, procurador de justiça dentre outros. O grande problema repousa no tipo de cliente do escritório de massificado exige preço e não qualidade. Assim é comum você verificar erros grosseiros nas petições, recursos que resultado creio eu não na deficiência técnica do profissional responsável mas do volume imposto a ele durante o trabalho. Temos o exemplo dos juízes federais que se mobilizam numa paralização ordenada por melhores condições de trabalho. Nossa justiça também é culpada deste caos. Para ela quem paga a conta são os grandes litigantes (BANCOS, SEGURADORAS, FUNDOS DE INVESTIMENTOS ETC) ao recolherem as taxas devidas para assegurar acesso à justiça. Quem nunca viu a fixação de um honorário alvitante em favor de advogado que milita contra essas grandes rés. Ou mesmo indenizações pífias que somente são pagas ao final de um processo longo e demorado. Portanto cabe aos colegas MOBILIZAÇÃO, UNIÃO em prol do futuro da profissão. Não se acovardem ! Todos nós temos contas para pagar contudo antes disso é necessário o RESGATE de nossa profissão de forma imediata. Organização de forma racional sem qualquer embate ou ofensa no campo pessoal. Minha dica: Bauru tem um sindicato dos advogados é necessário que as pessoas seja filiadas ou melhor sindicalizadas e na eleição é só tirar o atual representante que não faz nada e colocar um que de fato represente nossa profissião.

REI Mandalhity SALSICHEIROOOOO---PRODUÇÃO!28/04/2011 10:00 Responder

Bom, o que dizer sobre tal empresa que um dos donos tem o seu e-mail assim: \\\"REI...@....com.br (claro que não posso divulgar o resto, né!?!). Bom, pelo menos esse \\\"REI\\\" é uma pessoa realista e disse o seguinte para nós funcionários: \\\" Se você são salsichas, eu sou um SALSICHÃO\\\", bela motivação não!? Claro o que se esperar de um \\\"REI\\\" desses não!? ahhh, é bom eu parar por aqui, pois se o \\\"REI\\\" descobre quem eu sou, ele me manda trabalhar la no estacionamento da empresa (claro que não deixaram o pessoal da reportagem chegar la em baixo para ver mais gondolas onde ficam alguns funcionário e alguna escraviários), quer dizer no PORÃO, e não quero ficar sem ar não. Tava quase me esquecendo agora nós salsicheiros temos PLR e com os milhões e milhoes de faturamento acho que vamos tirar uma bela grana né!? Boa sorte gente!

Muito bom. advogado 29/04/2011 9:33

O cara entende de negócio e está crescendo. Sorte dele. Azar seu que vai ficar a vida toda reclamando sem buscar algo melhor. Inveja é uma droga mesmo. Tente um emprego em sindicato, CUT, tem bem sua cara.

Verdades do Porao advogado 29/04/2011 16:24

Apoiado REI Mandalhity!!!!! o mto bom é que nao gostou de ler a verdade!!!! kkkkkkkkkkkkk

Mister M advogado29/04/2011 16:30 Responder

Nobre Colega, O Cara a que você se refere não entende de negócio, ele(Rei) está crescendo única e exclusivamente as custas de seus funcionários, explorados, humilhados e agora com sua realidade exposta para o Brasil inteiro. Graças a essa advocacia de massa que eles criaram estão acabando com a nossa classe, nos tranformando em verdadeiros peões do direito, ou melhor salsicheiros !!!

ex salsicha sua profissão01/05/2011 0:17 Responder

Adorei seus comentarios! Aquilo parece uma salsicharia! vc viu que alguns setores trabalham no estacionamento?? É ridiculo!!

Escravo Salsicheiro03/05/2011 12:27 Responder

Será que tudo vai acabar em Salsicha e a OAB não vai fazer nada?

Fã do Comendador Advogado03/05/2011 12:28 Responder

Comentário sobre a pergunta: Lucas Brizzola - Auditor | 25/04/2011 às 15:07 A melhor resposta de todas (depois de uma discussão entre Lucas Camargo e O Comendador): O Comendador - Pensador | 03/05/2011 às 11:15 | / Colegas Advogados, a resposta para a exploração exercida pelo JBM/MANDALITI está na frente dos nossos olhos, pedindo para ser vista. Exemplo disso é o \\\"comentarista\\\" Lucas Camargo que, ou não é advogado, ou, se o for, é um profissional com séria deficiência de interpretação de texto. Em momento algum \\\"O Comendador\\\" defendeu a política do JBM/MANDALITI. Muito pelo contrário. Em meu primeiro comentário, \\\"O Comendador\\\" frisou que a política de trabalho dessa instituição NUNCA favoreceria os interesses dos mais carentes, mas, tão somente das grandes empresas. Em sentido absolutamente contrário, e sem qualquer entendimento do comentário transcrito, o Lucas Camargo passou a \\\"bater pezinho\\\" e \\\"chacoalhar as mãozinhas\\\" fazendo questionamentos totalmente fora da questão inicialmente proposta: \\\"favorecimento, ou não, dos mais carentes\\\". Em suma, profissionais menos preparados, dentre os quais, aqueles com sérias deficiências na interpretação de textos, ortografia, acentuação e afins, são os alvos de instituições como o JBM/MANDALITI. Isso porque, sua propria natureza e preparo profissional não lhe permitiria uma colocação mais favorecida no mercado de trabalho. Lucas Camargo, hoje, não adianta ofender e negar a sua origem e cabimento profissional na salsicharia, porque, ao que tudo indica, você é um tremendo de um \\\"churrasquinho grego de esquina\\\"... Portanto, ainda saem por \\\"nobres\\\" as salsichas...

HOT DOG CRAZY ADVOGADO03/05/2011 12:48 Responder

Essa matéria da Exame foi ótima, pois mostrou a realidade dos funcionários do grande escritório JBM. Que vergonha!!! São tantas coisas.....funcionários escravos, trabalhadores do porão, advogados do galpão, tudo na contra mão dos direitos trabalhistas....isso sem falar nos correspondentes, que viajam todos os dias e nem diária tem mais....E alimentação desses coitados....será que vcs adivinham? Claro...só poderia ser...SALSICHA!!!!

FRANKFURTER ADVOGADO03/05/2011 17:05 Responder

ATENÇÃO!!!! CONVOCAÇÃO!!! Convocamos os senhores advogados, assistentes e estagiários do JBM - Bauru para participarem a este ato de manifestação que será realizado nesta sexta - feira dia 06/05/2011 após o expediente em frente ao FRIED FISH. CONTAMOS COM A PARTICIPAÇÃO DE TODOS!!!!

Salsicha Si, eu conheço 04/05/2011 15:56

Happy Hour ? Eu vou sim.

CONDE DE MONTECRISTO COMENTÁRISTA04/05/2011 17:55 Responder

Estudei na UNIP na mesma época de um dos sócios do escritório. Quem estava lá sabe como esse sócio se portou durante a faculdade, sabe que ele realmente é um SALSICHÃO e bem pobre mesmo. Agora para aqueles que consideram sucesso pessoal for o acúmulo de dinheiro isso e uma coisa, mas isso não está necessariamente atrelado a competência profissional do indivíduo. Portanto que ouvir: Sou mestre em direito... PENSE: - Seu orientador é seu funcionário e a instituição que você freqüenta tem seu pólo de pós de graduação mantido por seus funcionários e pagos por você. Mas para os que buscam fama e dinheiro a receita e ter bons contatos. Para os que buscam serem melhores profissionais a dica é essa: continuem dando o máximo de si onde estiverem, pois não é seu salário que faz você um bom ou mau profissional mas a forma que você se porta diante das dificuldades diárias e com seu amadurecimento você certamente obterá para si satisfação pessoal almejada.

José Augusto advogado 05/05/2011 11:21

Esta foi a melhor. Os bons certamente terão sucesso.

REI Mandalhity SALSICHEIROOOOO---PRODUÇÃO! 09/05/2011 9:53

CONCORDO! E sem contar que essa pessoa que estudou com vc e tem bons contatos teve que prestar a OAB váriasssss vezes para poder passar né?! Pois para conseguir a carteira da ordem nao adiantava os bons contatos.

Comendador Pensador Pensador. 09/05/2011 10:32

Como para conseguir a salvação não basta ser cristão. Mas mesmo assim não deixa de ser cristão.

ARY TOLEDO COMEDIANTE05/05/2011 14:09 Responder

Pelos inúmeros cometários vejo que os sócios do escritório não são pessoas respeitadas por seus subordinados. Triste mas realidade. Quando mais bela a propaganda pior é o conteúdo. O velho dito popular: POR FORA BELA VIOLA, POR DENTRO PÃO BOLORENTO.

ZÉ CURIOSO FOTOGRAFO JURIDICO05/05/2011 17:41 Responder

JBM - MANDALITI SÃO ESCRITÓRIOS DIFERENTES? É QUE A NOTÍCIA FALA DO ESCRITÓRIO JBM. PELA OAB NÃO PODE O ADVOGADO ESTAR EM MAIS DE UMA SOCIEDADE. É SÓ CURIOSIDADE - MAS O MANDALITI É RUIM COMO A JBM - OU A JBM É TÃO RUIM COMO O MANDALITI? OS ADVOGADOS TRABALHAM NOS DOIS? OS SÓCIOS SÃO SÓCIOS DOS DOIS?

Escravo Salsicheiro05/05/2011 22:49 Responder

Dizem que mudaram de nome porque não estavam mais recebendo currículos de pessoas com interesse para trabalhar lá.

VLADIMIR BANHAGE sua profissão 27/08/2012 18:08

SE VC ESTIVESSE AMOR A PROFISSÃO, TRABALHARIA ATÉ DE GRAÇA.

Neymar Santos Observador, filosofo e boleiro06/05/2011 8:30 Responder

OAB é contra pregões para contratar advogados O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcante, encaminhou nesta quinta-feira (5/5) ao advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, uma decisão do Conselho Federal da OAB contra o pregão eletrônico para a contratação de advogados. A decisão foi unânime e também encaminhada aos 27 procuradores-gerais dos Estados e do Distrito Federal, pedindo sua ampla divulgação. Ao votar, o conselheiro-relator, Marcelo Cintra Zarif (BA), declarou que o pregão \\\"não garante a isonomia entre os participantes e, induz o lançamento de propostas em valores aviltantes para obter contratação\\\", o que é vedado pelo Estatuto da OAB. Ele também considerou que os serviços de advocacia tem natureza predominantemente intelectual e que ?exigem, no processo licitatório, a verificação de melhor técnica ou técnica e preço, não sendo admissível falar com exclusividade em melhor preço?. O julgamento foi feito após a assessora jurídica da OAB do Espírito Santo questionar o assunto com base em Mandado de Segurança impetrado pela Seccional contra ato do Superintendente Regional da Conab naquele estado, em que discute a questão. fonte: - http://www.conjur.com.br/2011-mai-05/oab-comunica-agu-pregoes-contratacao-advogado

engenheiro sua profissão08/05/2011 19:40 Responder

Sou engenheiro recém formado trabalho 8 horas por dia, 40 horas por semana, ganho o piso da categoria (8,5 salários mínimos) e tenho pelo menos 10 amigos que trabalham de graça (não chamo aquilo de salário) na salsicharia e me recomendaram ler essa matéria. Mas tudo bem, porque eles estudam/estudaram nas excelentes faculdades de direito de Bauru, não dava pra esperar muito mesmo... Além disso a prova da OAB (apesar do absurdo índice de reprovação) é só uma prova, com esforço e dedicação dá pra passar. Meus amigos poderiam estar em condições melhores mas eles não estudaram pro vestibular. Agora provavelmente eles estão aqui reclamando também, o lugar é um lixo mesmo mas não conseguiriam coisa melhor.

Como dia Ruy Barbosa observador 09/05/2011 10:06

Prezado engenheiro, se caso algum parente seja coordenador (a) lá, não tem muito o que reclamar até que o salário é bom. Contudo como um dia disse Ruy Barbosa na Oração aos moços - essa é a triste realidade. Vale a pena ver: http://www.youtube.com/watch?v=cAt8-0NJK3A

advogada sua profissão09/05/2011 17:33 Responder

Acredito que a matéria publicada serviu para abrir um leque de discussões sobre a situação dos advogados nos dias de hoje. Já trabalhei no JBM e realmente o salário é baixo, e as condições pouco favoráveis, mas de qualquer maneira sou grata pela oportunidade. Para mim, o pior do local é o tratamento dispensado às pessoas que lá exercem sua profissão. Ao menos no meu caso, minha coordenadora tinha a educação e polidez de um carcereiro (sem querer discriminar a profissão). A humilhação por parte dela era diária, e isso sim é terrível para uma empresa, pois um mês depois, percebi que os superiores a ela não se importavam com a situação. Mas infelizmente não adianta a classe de advogados e os operadores de direito que lá se encontram crucificarem a empresa, pois esta situação é geral, ao menos na cidade de Bauru... onde nenhum outro escritório paga o piso salarial e nem oferece muito mais que o recebido ali. Se advogados precisam pagar anuidades superiores a R$ 700,00 está na hora de cobrar uma atitude da própria OAB, para elidir esse tipo de conduta de vez. E para o amigo engenheiro, que criticou duramente as faculdades de Bauru, vai uma informação, também me formei em Bauru, e não mais preciso do JBM, ganhando mais que o seu piso salarial aqui declinado. Ademais, apenas da turma em que me formei, 3 já passaram em concursos públicos e estão na ativa!! Toda generalização é burra, e padece de informação!!

Anderson Nunes FINALIZADOR10/05/2011 18:49 Responder

Quanto a reportagem O TIRO SAIU PELA CULATRA

Alan Alves Estudante de Direito / Estagiário11/05/2011 2:10 Responder

Oportunidades aparecem e só os espertos sabem bem aproveitá-las. Já trabalhei durante 16 horas por dia nos EUA que nem escravo, mas nem por isso critico meus ex-empregadores. Utilizo - os como forma de valorizar meu currículo e minhas qualidades que são garra, amor e perseverança. Hoje como estudante de direito e estagiário de escritório de advocacia estou muito feliz em poder estagiar mesmo ganhando pouco pois sei que o conhecimento adquirido, se bem aproveitado assim como valorizado por outras pessoas um dia será essencial na busca de meus objetivos. Essas pessoas que trabalham nesse lugar querem uma oportunidade de crescer e é exatamente isso que eles oferecem. Ora, se acha que já esta na hora de ganhar mais que saia e vá ganhar aquilo que pode!!!! Essas pessoas que aqui criticam e nem colocam seus nomes são grandes perdedores, tipo de gente que não conquista nada na vida e que onde entra apenas estraga o ambiente com suas frustrações. Não sou de Bauru, mas admiro o escritório pela forma inusitada de trabalho e seus fundadores por serem pioneiros. Se estão ganhando dinheiro é porque são bons no que fazem e fazem algo que os outros não fazem. Lógico que muitos entram ali já pensando em sair, mais atire a primeira pedra quem nunca usou um lugar ou trabalho como degrau para crescer na profissão. O problema é que muitos acham que só porque estudam direito e usam terno e gravata são dignos de bons salários e ambientes luxuosos de trabalho. Sejam bem vindos ao mundo crianças.

Julio Cesar Advogado 11/05/2011 20:19

Alan Alves embora eu respeite opiniões em contrário, creio que você não observou o problema apresentado como um todo. Quando você trabalhou 16 horas considerando as 24 h do dia nos E.U.A tendo que ir e vir, almoçar, tomar banho, jantar etc ? certamente você recebia o condizente para manutenção de uma vida digna no padrão estadunidense. Hoje como estudante de direito e estagiário em escritório de advocacia qual sua expectativa? Aprender, certamente; muito conteúdo será inserido em sua vida, relações interpessoais, problemas diferentes a cada instante, mas e o din din ? Acho proveitoso pensarmos que nossa profissão mudou e não foi para melhor ao menos na questão financeira, salvo concurso público, mas para isso é necessário vocação também. Ao contrário de algumas opiniões externadas neste site não é problema de determinado escritório afinal a entrevista é extremamente equivocada o repórter sequer se dignou a pesquisar escreveu aquilo que lhe encomendaram e deixou arder a chapa. É triste observar que os escritórios paulistas pagam pouco ao profissional não esse ou aquele TODOS. É mercado, sim é. É demanda maior de profissionais no mercado, sim é. O que se reclama é duma entidade de classe passiva, pois seus dirigentes já advogados principais de suas bancas se beneficiam da situação enquanto jovens advogados não são moldados para um futuro na profissão, não recebem a chance de fazer seu próprio nome e acredito que haverá no futuro uma debandada geral da OAB. Ação, processo, demanda não é coisa acontece todo dia no mercado do varejo o cidadão comum coleciona poucos processos durante a vida e a monopolização por parte dos grandes litigantes de alguns escritórios é uma forma velada de atentar a profissão ? hoje você pode até não estar se sentido prejudicado já que está no auge do aprendizado ? lembre-se em determinado momento da vida você irá pensar: estagnou! Assim a reportagem apresentada foi mal colocada pelo repórter além do problema em concreto estar passando despercebido pelas ofensas de alguns medíocres.

Alan Alves Estudante de Direito / Estagiário 12/05/2011 1:25

Muito bem colocado Julio Cesar, respeito sua opinião, concordo em quase todos os pontos. Gostaria de criticar aqui a turma do contra, aqueles, anônimos, não colocam seus nomes e saem metralhando sem direção nenhuma como se o mundo fosse culpado por suas frustrações. Você foi muito feliz em apresentar a problemática numa visão mais aprofundado, citando a vocação, assim como o inchaço no mercado. No entanto, gostaria de complementar ao dizer que acredito na nova geração e que nem tudo está perdido. Apesar dos céticos predominarem neste local assim como em muitos outros( minha fauldade ), creio na profissão e no seu futuro. Entretanto, apenas cursar direito e vestir terno não é mais suficiente, tem que haver conhecimentos complementares, contabilidade, línguas, conhecimento financeiro, entre outros que vão ser os grandes diferenciais. Finalizando, acredito que esse profissionais que se prestam a advogar no escritório supracitado aproveitarem a oportunidade para de forma que mantenham uma crescente em suas carreiras, nada é desperdício e tempo perdido. Meu primeiro estágio ganhava R$ 300,00, hj já ganho muito mais e a perspectiva é só melhorar, basta colocar a bunda numa cadeira, estudar, trabalhar e parar de ficar questionando e pensando o porquê das coisas e também largar de ficar perdendo tempo em bar e lugares que em nada acrescenta. A fórmula não é difícil, mais uma vez repito; muitos ainda acham que só porque estudaram direito, vestem um terno e são doutores vão ganhar ótimos salários. Doce ilusão. Saudações a todos.

Marco Carregoso Advogado13/05/2011 0:37 Responder

Alan, Vejo a sua opinião muito restrita ao fato das críticas realizadas aqui. Como estudante de direito é claro que o seu objetivo é o aprendizado, sendo claro que não será o seu objetivo permanecer no escritório quando formado. Mas para esclarecer a posição da maioria que critica, é o fato do respectivo escritório agir ao arrepio da lei, se é que você já estudou direito do trabalho, sendo que não paga o mínimo estipulado pela categoria, e pior, desvaloriza a profissão, denegrindo-a com a sua forma de trabalhar, seja pela falta de eficácia de nossa entidade de classe (OAB), seja pelo fato de extrapolar os limites da dignidade profissional. Independente do escritório que atuar sempre trará alguma experiência,até mesmo em atividade individual. Me parece que você só enxerga o que te pedem para enxergar, não vendo a realidade como um todo, e não é possível que uma pessoa que se diz viajada, coadunar com uma prática tão repugnante que é o objeto da matéria. Quando se critica, é um meio de protestar pelas mazelas praticadas por meia dúzia de advogados, que por seus contatos familiares, pelas reservas de mercado, e pior, pela exploração e vulgarização da profissão tão nobre que é a nossa. Creio que você nunca tenha trabalhado num escritório normal, digo normal pela forma de trabalho, no qual é necessário o estudo da matéria, e não esse recorta e cola que é muito comum no escritório citado, menosprezando a atividade intelectual inerente à profissão. É certo que há mercado para todos, independente da forma que atuam, mas devemos protestar sim, pela moralização da classe, pela garantia dos direito mínimos assegurados em lei, e que sejam respeitados como advogados, não pelo fato de apenas usar um terno, e sim pela dignidade de qualquer pessoa, posto que sequer agem dessa forma. Peço que reflita em pról da coletividade, e não mesquinha e individualizada como relatado acima.

Júlio Cesar Advogado 13/05/2011 8:34

Obrigado Marco ! Para eles Silvio Rodrigues, Maria Helena Diniz, Silvio Venosa, Theotonio Negrão, Rosa Nery dentre outros são somente arquivos compilados em uma biblioteca digital. Mas o jovem aprendiz ainda esta deslumbrado com mídia produzida pelo site institucional do escritório lá tem um vídeo que diz o que ele repete que advogado tem que ter outros conhecimentos. Mas na verdade o Advogado tem que além de novos conhecimentos fazer a lição de casa com maestria. Abraços a todos.

Alan Alves Estudante / estagiário 13/05/2011 11:12

Primeiramente vc errou quanto ao meu objetivo, não sei nem como o Dr, que deve ser um homem culto, nobre mister no seu meio social se prontifíca a querer esclarecer meu objetivo profissional. Trabalho em um escritório \\\"normal\\\", rsrs, muito renomado na cidade em que moro. Ademais, me impressiona também, doutor, sua tentetiva de crer na credibilidade do escritório em que trabalho. Você não crê, esta não é sua incumbência, ou sabe e fala com propriedade ou fica quieto e não fala nada. Sobre o objeto da matéria, concordo com os doutores quanto ao escritório estar infringindo a legislação trabalhista e sobre a ineficácia da OAB, mas me parece que só agora a discussão tomou um rumo correto, haja vista a impropriedade dos colegas anônimos, palhaços, humoristas e outras escabrosidades que observamos nos comentários acima. Parece-me que o mercado está respondendo à altura a grande maioria de terríveis faculdades de direito espalhadas pelo país e aos estudantes mediocres que nelas \\\"estudam\\\". Por que um estudante de Direito que nunca leu uma doutrina, não sabe nem escrever direito, nunca passou os olhos pela constituição, por qual motivo ele deve ganhar o piso da profissão. Ele tem que ganhar menos de frentista mesmo, e ir trabalhar no JBM para pagar seus pecados, principalmente para os seus pais que ficaram 5 anos pagando para ele ir pro bar. Concluindo Doutor, quanto a questão de eu ser viajado, não sou aquele garoto que entrou na faculdade aos 17 anos com dim dim do pai, se hj estou estudando direito é porque dei duro la fora pra juntar o valor de minha faculdade. Sou muito grato a todos meus empregadores lá fora que me faziam trabalhar muito e me fizeram entender o real significado do Hard Worker americano. Insisto, não é porque veste terno e gravata que vai ganhar bons salários, vai correr atrás gurizada.

Alan Alves Estudante / estagiário 13/05/2011 11:39

Dr Júlio Cesar, francamente, apesar de discordarmos em alguns pontos, suas palavras foram sábias e me fizeram refletir. Contudo, não entendo o porquê de sua ironia. Extrai - se de seu comentário que o jovem aprendiz não tem capacidade de formular suas próprias ideias. Por tais razões doutor, devo informar-lhe que nunca entrei no site do JBM como fez o senhor. Isto é simplesmente minha opinião formada e esculpida ao longo dos anos através das experiências da vida. Abraços nobre colega.

Adriana Advogada14/05/2011 2:17 Responder

Eu quero é abrir uma salsicharia dessas pra mim, pra eu explorar esse bando de trouxas e ficar rica mais rápido com a advocacia!! kkkkkkkkk

Marcelo Paralegal14/05/2011 10:09 Responder

Honorários ajudam a construir imagem do escritório. Site CONJUR: http://www.conjur.com.br/2011-mai-14/negociacao-honorarios-ajuda-construir-imagem-escritorio

Marco Carregoso Advogado14/05/2011 15:43 Responder

Sinceramente, não entendi a sua resposta. Primeiramente, conheço muito mais do que se imagina, declarando com propriedade a respeito dessa matéria, vindo expor a realidade que vos assola. Causa muita estranheza da sua parte menosprezar os seus colegas de trabalho, expondo pessoas que sequer vos conhece, que trabalham Brasil afora em nome do escritório citado, e pior, citar as suas experiências profissinais e pessoais, vindo de encontro o que atacou. Pouco importa se você viajou, trabalhou fora, conquistou seu dinheiro para pagar a sua faculdade, o que importa é que você não possui qualquer direito de expor e denegrir a classe dos advogados, se é que você é advogado. No entanto, cita-se de vossa parte que o advogado deve ganhar menos que um frentista.....Convenhamos, só demonstra a fragilidade de suas exposições. Quando se defende algum posicionamente, tem que haver fundamentação clara e objetiva, não desvirtuando e atacando de forma baixa e despropositada àqueles que não defendem o seu posicionamento. Ao meu ver, vejo claramente que na posição de estagiário que ocupa, não há qualquer fato relevante, muito menos respaldo legal que fundamente as suas alegações em pról do seu empregador. Pior, expõe risivelmente a total discrepância do que se expõe e do que praticas. Será que pretendes alegar a nulidade de norma constitucional em defesa de seus empregadores? Pense bem antes de expor alusões desnecessárias para a discussão. Melhor, vá estudar um pouco mais, se é que estuda para arguir algo relevante À essa discussão ao invés de defender com unhas e dentes o pseudo escritório.....rs Hilário

Carol Professora18/05/2011 14:46 Responder

Gente ele é o maior e não o melhor escritório de advocacia do País. Por essa razão você não podem pensar em bons salários. Como dito na reportagem as causas são de pequenos valores e pouca complexidade. Com certeza as causas mais valorizadas vão para outros escritórios com menos advogados e mais qualificação.

Advogado Bauru advogado19/05/2011 17:55 Responder

Só sei de uma coisa... um carteiro ganha mais que advogado e ainda não paga 800 pilas por ano... É fato!! Bora entregar carta galera.... Ah.. mas o concurso tinha 4 mil inscritos para 17 vagas... e posso garantir.. tinha muito advogado na fila do concurso viu..

NELSON Advogado19/05/2011 19:56 Responder

Quando você trabalha para um grande advogado vai lá ganhar um pouco ao menos afinal você aprende com pessoa que sobressai entre as da sua classe pelo seu saber. O duro conviver com patrões pseudos advogados brilhantes que não trouxeram qualquer inovação além de descentralizar da capital para interior na intenção de redução de custos e imprimir em ambos os lados do papel que representa 50% de economia e algumas frases de efeitos e lindos gráficos em suas apresentações institucionais, além é claro, dos baixos salários pagos aos meus colegas de trabalho. Nem o faturamento é tão estrondoso comparado a de outras bancas jurídicas a ponto de valer reportagem eletiva da revista EXAME. Seus sócios por ora estão extasiados com o crescimento descomunal experimentado pelo escritório como título de ser o maior escritório em número de escravos, digo advogados do País. Com egos inflamados e peitos estufados circulam como se nada tivesse acontecido, mas o descontentamento pela exposição de seus funcionários pela vaidade de poucos vai explodir em breve. Ai guenta o rojão.

O Zé fotógrafo jurídico21/06/2011 17:22 Responder

Na revista EXAME aparecem um foto dos sócios - alguém sabe informar quem são? quais os nomes? quem é quem?

pedro paulo jornalista 13/09/2011 23:43

José Edgard Cunha Bueno careca; Renato Mandalitti a sua direita, atrás Reinaldo Mandali de terno e Rodrigo Mandaliti sem terno

revortado advogado10/07/2011 0:29 Responder

A OAB sempre se preocupou em FISCALIZAR a arte da advocacia para evitar este tipo de EMBUSTE, produção comercial e industrializada do Direito. Vejam só que BOSTA: vagabundinhas que fazem faculdade só para ganhar status e que arrumam emprego \\\"para ajudar\\\" o orçamento, empresários investindo em gestão de equipe, cota de produção!!!! Direito é produção agora? PUTA MERDA!!! Estes advogados lixos que abrem mão das prerrogativas e autonomia, que aceitam estes salários baixos vão junto das faculdades vagabundas acabar com a profissão!!!!!! ONDE ESTÁ A OAB PARA INTERVIR NESSA PORRA??? COMPRADA COM UMA % DOS LUCROS??? ADVOGADOS EM LINHA DE PRODUÇÃO GANHANDO MENOS QUE CARTEIROS E FRENTISTAS ROUBANDO TRABALHO DOS COLEGAS E DESTRUINDO A PRÓPRIA CLASSE!!! E ainda tem umas vagabundas que saem aqui afirmando \\\"oooh ninguém te obrigou a trabalhar lá\\\", uma cadela destas não tem nível nem pra limpar os tapetes da entrada de um escritório de verdade com este cérebro de minhoca!!!! OAB, CADÊ A INTERVENÇÃO??? PAGAMOS A MENSALIDADE PARA ESTES CONVÊNIOS FAJUTOS E ONDE ESTÁ O RETORNO???

Nabucodonosor Monarca17/07/2011 12:17 Responder

Aos salsichas uma frase para reflexão: \\\"Quem construiu a Tebas das sete portas? Nos livros constam os nomes dos reis. Os reis arrastaram os blocos de pedra?\\\" (Bertolt Brecht)

SÓ PRA RIR ADVOGADO08/08/2011 23:43 Responder

DENTRE OS TAIS SOCIOS, EXISTE UM GORDO QUE APARECE NA FOTO QUE NEM É ADVOGADO! TIVE A FELICIDADE DE VE-LÔ DE COMEÇAR UMA FACULDADE DE DIREITO E NÃO CONSEGUIR CURSAR NEM O 1º SEMESTRE DE TÃO BURRO QUE É! SE FOSSE EU O FILHO DO SAUDOSO MANDALITI, REVIA MEUS CONCEITOS SOBRE OQUE É SER ADVOGADO E NÃO ADVO-GADO.

Quer quer rir tem que fazer sorrir. Justiceiro 11/08/2011 19:12

Vai lá e fala isso na cara dele. Já que seu comentário é totalmente deslocado do contexto da reportagem.

Jarbas Martins Advogado 11/02/2012 14:52

Caro amigo! não sei se você é Advogado ou se ao menos conhece o código de ética e disciplina da OAB, como pode uma pessoa que não é Advogado fazer parte de um sociedade de Advogados? Estou me referindo aquele gordo bobo. Qto ao Reinaldo o bicho é uma mula, teve que prestar mais de 12 vezes o exame de ordem \\\"belo Advogado\\\" o pai deve ter tido um puta orgulho! Agora o Renato não, esse não posso falar nada pois ouvi do próprio Demarest que esse é realmente um crânio e que salvou os irmãos e a marca Mandaliti. Como o próprio Renato refere-se aos seus irmãos a profissão deles \\\"esses tiveram sorte, nasceram filhos de um pai rico\\\"...... Abraço.

SOCIO sócio31/08/2011 12:22 Responder

AGORA VIROU MANDALITI ADVOGADOS ! EXTASIADOS COM A REPERCUSSÃO DA REPORTAGEM, MUDARAM DE NOME. MANDALITI ADVOGADOS E NÃO MAIS JBM E MANDALITI. VIVENDO E APRENDENDO. VAIDADE DEMAIS TAMBÉM TEM SEU PREÇO SENHORES SALSICHAS DONOS. LEMBREM-SE NÃO PERTENCEM MAIS AO SOFISTICADO MUNDO DAS BANCAS RENOMADAS E FORAM COLOCADOS EM SEUS DEVIDOS LUGARES E DEVIDAMENTE SUBSTITUÍDOS. AGORA CHAMBER LATIN AMERICA DENTRE OUTROS TÍTULOS SOMENTE PAGANDO. AFINAL TODA ARROGÂNCIA TEM SEU PREÇO

Nico ex-salsicheiro24/09/2011 13:58 Responder

O SALSICHÃO MOR (como ele mesmo se intitula), não passa de um apedeuta lascivo. Deus me livre pensar nessas propagandas fajutas para inglês ver.

Vanessa Jardim Estagiária30/09/2011 21:49 Responder

Não me arrependo de ter trabalhado por lá.....apesar de tirar centenas de fotos diárias para cumprir as diligências, aprendi muito em fazer audiências na função de preposta dos clientes do escritório......nao sei se era correto, mas gostava do que fazia. Lembro-me que fazia várias audiências ao dia, sem contar as fotos tiradas; apesar de ser massante e explorada, valeu a pena a amizade que conquistei com a turma que fazia rua.... beijinhos

Vivendo e aprendendo Intelectual 03/10/2011 12:15

Tai uma ótima fotógrafa, amiga e preposta.

HOJE É MEU ÚLTIMO DIA GRAÇAS A DEUS07/10/2011 8:20 Responder

Nossa que alívio! Meu último dia. Tiro por base a merda que é uma instituição financeira ou uma concessionária de energia, seguro então nem se fala... Péssimas condições de trabalho, péssimo salário, prazos perdidos e vidas roubadas... Apagam 1 incêncio por dia em razão da desorganização.

Salsicheiro do JBM, MANDALITI ASSOCIADOS DOS ASSOCIADOS advogado01/11/2011 19:52 Responder

Eles não declaram o que realmente fazem ou não fazem. Tudo mentira ! O Rodrigo Gordo faz nada o Rey só aparece para amolar os outros dois só Deus sabem por onde andam. Por fim os processos lá somente andam ou se desenvolvem graças aos salsicheiros de plantão que têm expectativa de vida útil de menos de 1 ano.

m111 salsicheiro26/07/2012 12:33 Responder

Prezados, graças a Deus hoje é meu ultimo dia na salsicharia, não aguentava mais!!!! Como foi dito a cima, é apagando um incêndio por dia... Todos os dias fazendo auditorias, quem aguenta? Não quero nem passar na frente dessa salsicharia, e nem comer salsicha por um bom tempo. Um advogado ganhando 1.500,00 reais por mês, esses caras estão de brincadeira. E o plano de carreia que foi prometido? Pelo que sei, só os pelegos (puxa sacos) que conseguiram um misero aumento. Fica a meu desabafo.

Pedro operador de Ctrl c / Alt Tab / Ctrl V16/08/2012 14:13 Responder

Olha.....eu trabalho no JBM

Pedro operador de Ctrl c / Alt Tab / Ctrl V16/08/2012 14:26 Responder

E realmente não dá mais! Não estou aprendendo nada lá dentro, sou apenas cobrado, tenho um medo enorme de não ser aprovado no exame da Ordem devido a rotina trabalhista que a empresa me proporciona, ganhei até uma tendinite no pulso esquerdo (que felizmente ainda pulsa) de tanto operar no Ctrl c / Alt Tab / Ctrl V Quero muito sair de lá...se alguém puder ajudar a arrumar um outro emprego/estágio eu agradeceria muito. Deixa o contato aí que eu mando meu Cv imediatamente. Abraços

COMODORO sua profissão27/08/2012 17:59 Responder

A VERDADE É QUE O MERCADO JURÍDICO NO BRASIL, ESTÁ SATURADO. NO RIO UM ADVOGADO PARA 14 0 HABITANTES. SÃO PAULO , PIOR AINDA , SEGUNDA MAIOR CIDADE COM MAIOR NÚMERO DE ADVOGADOS. E MELHOR A ADVOCACIA NÃO FICA, A TENDÊNCIA É PIORAR. O FIM DA ADVOCACIA!

DIPLOMATA não é da GM Advogado 02/09/2012 17:37

Prezado Comodoro, não creio que a advocacia está para ser extinta em razão do modelo de negócio desenvolvido pelo JBM ou Mandaliti. Eles optaram por seguir uma linha de mercado. E é isso. Quanto ao demais que usam deste canal somente para desdenhar do escritório são um bando de frustados. Como dizia aquela música: \\\" quem sabe faz a hora não espera acontecer\\\". Advocacia jamais será extinta ou terminará. Ela passa por mudanças igual a todo o mundo. A necessidade do advogado sempre será relevante no panorama da sociedade em todo seu contexto.

Tom Penny sua profissão30/10/2012 11:45 Responder

http://www.reclameaqui.com.br/1890073/american-express/dissimulada-e-ambigua/

JTC Atleta16/11/2012 22:45 Responder

GOLPISTAS isso sim, descobrem meu E-mail e então tentam me intimidar com um processo \\\"JBM ADV CARREFOUR\\\" e um 0800 qualquer, porra eu nunca entrei no tal CARREFOUR,isso não vai dar certo se continuarem assim a coisa vai piorar nesse pais.

Advogada revoltada advogada22/01/2013 11:45 Responder

JBM demite 300 funcionários de Bauru. Será o início do fim da ditadura juridica?

Mara Silva ex salsicha 10/05/2013 16:07

Nossa, como assim...Queria saber mais...Torço muito pra ver esse escritório de merda no chão!!!

Padre B Advogado 14/05/2013 8:56

Vai se benzer Mara Silva, pois eles garantem o sustento de vários colegas advogados e outros colaboradores.

O Comendador Observador27/02/2013 19:51 Responder

Quase dois anos se passaram desde que a matéria foi veículada na mídia e uma pergunta se faz: Alguma coisa mudou? A resposta: Não. Para aqueles que não sabem, logo após a veiculação desta matéria, houve uma retirada polêmica de grande parte dos sócios, supervisores e coordenadores do JBM e Mandaliti. Ou seja, trata-se de uma empresa marcada pela polêmica. Sua administração pode ser classificada como \\\"capitalista canibal\\\" e a filosofia administrativa é: explorar o advogado até ele pedir sua própria demissão. Os críticos da classe menos favorecida dizem: \\\"mas os advogados trabalham lá porque querem. Porque não procuram algo melhor no mercado?\\\" Para esses, deixo a minha humilde resposta: Um escritório do porte do JBM e Mandaliti tem mais do que \\\"tamanho\\\", eles tem \\\"poder no mercado\\\". Quando o JBM e Mandaliti fixa um salário médio de R$ 1.300,00 para um advogado, cuja jornada de trabalho é de quase 12 horas e o volume de processos é de quase 1.000 processos por advogados, o JBM e Mandaliti automaticamente cria uma DEFLAÇÃO salarial no mercado. Ou seja, se o \\\"líder\\\" do mercado, detentor dos maiores clientes, paga isso, porque um escritório MENOR pagaria menos? Sob a minha ótica, a prática do JBM e Mandaliti é ECONOMICAMENTE CATASTRÓFICA para a classe advocatícia, na medida em que fixa uma evidente DEFLAÇÃO SALARIAL para a categoria. Uma sugestão: GREVE GERAL dos advogados do JBM e Mandaliti, por uma semana. Isso criaria um prejuízo histórico para a instituição e um exemplo sério e efetivo para aqueles que pensam que explorar advogados é algo tranquilo, sem riscos e lucrativo. Quem critica, deve oferecer uma sugestão. Trabalhador que reclama, deve fazer GREVE.

O Comendador Observador 27/02/2013 19:58

ERRATA - No seguinte parágrafo: \\\"Ou seja, se o \\\"líder\\\" do mercado, detentor dos maiores clientes, paga isso, porque um escritório MENOR pagaria menos?\\\" Lê-se: \\\"Ou seja, se o \\\"líder\\\" do mercado, detentor dos maiores clientes, paga isso, porque um escritório MENOR pagaria MAIS?\\\"

João Paulo advogado19/07/2013 13:35 Responder

Mega Escritório de Advocacia é condenado por fraude trabalhista, assédio moral e litigância de má-fé na Justiça do Trabalho: http://www.trt14.jus.br/news_b/-/asset_publisher/PF4r/content/mega-escritorio-de-advocacia-e-condenado-por-fraude-trabalhista-assedio-moral-e-litigancia-de-ma-fe-na-justica-do-trabalho-republicacao?redirect=http://www.trt14.jus.br/news_b?p_p_id=101_INSTANCE_PF4r&p_p_lifecycle=0&p_p_state=normal&p_p_mode=view&p_p_col_id=_118_INSTANCE_6xoR__column-3&p_p_col_count=1

JBM RECIFE sua profissão30/07/2013 3:11 Responder

Sera que é fácil cuspir no prato que comeram? Hoje sou ex JBM, satisfeito, sai de cabeça erguida! Obrigado JBM!

Alex advogado17/08/2013 16:34 Responder

Fico imaginando: e se todos os advogados salsicheiros fizerem greve.... Como ficam os prazos? O dia que os salsicheiros perceberem isso o salário aumenta. Ora, basta se oraganizarem. Até imagino o nome: Associação dos Advogados Salsicheiros. Ora, para mudar o panorama basta que os salsicheiros usem um pouco a cabeça.... Isso tipo de assédio moral só muda com atitude deste tipo....

Alex advogado17/08/2013 16:47 Responder

SALSICHARIA É CONDENADA A R$ 165.000,00 IMAGINA ISTO VEZES QUINHENTOS. Veja a matéria A 4ª Vara do Trabalho de Porto Velho condenou o escritório J. Bueno e Mandaliti Sociedade de Advogados ao pagamento de mais de R$ 165 mil reais para a advogada Micilene de Jesus Nascimento, que trabalhou no escritório de 06 de janeiro de 2010 a 25 de agosto de 2011. A condenação envolve o pagamento de indenização pelo assedio moral, multa de 1% sobre o valor da causa pela litigância de má-fé e indenização em 20% sobre o valor da causa para a reclamante, pelos prejuízos financeiros e emocionais que sofreu, e o ônus do tempo processual que lhe foi imposto suportar. O Escritório de Advocacia ainda foi condenado com o reconhecimento da unicidade contratual da relação empregatícia, a declaração da rescisão indireta, o pagamento do aviso prévio indenizado, férias e adicional de ?, 13º salário, além do FGTS e multa de 40% considerando todo o pacto laboral. Foi determinado também o pagamento de diferenças salariais de R$ 300 reais mensais, durante todo pacto laboral, com reflexos e o pagamento de 2 horas extras por dia pela supressão do intervalo intrajornada, com adicional de 100% sobre 2 horas de trabalho extras por semana, ressalvados os feriados municipais, estaduais, federais e atestados médicos. A sentença, proferida pelo juiz do trabalho substituto Maximiliano Pereira de Carvalho, ainda concedeu a antecipação dos efeitos da tutela, determinando o bloqueio \\\"on line\\\" das contas em nome do Escritório J. Bueno e Mandaliti Sociedade de Advogados e condenou ao pagamento de uma prestação, consistente em dinheiro ou em coisa, concedendo à sentença força de mandado judicial, valendo como título constitutivo de hipoteca judiciaria (art. 466, CPC) e que poderá ser inscrita, pela Reclamante ou seu procurador, nos cartórios de registro de imóveis e notas e protesto de todo o pais, bem como nos órgãos de proteção ao crédito. Fraude Trabalhista Cinco características configuram a relação empregatícia, devendo estarem presentes simultaneamente. No processo existe a confissão real e o preposto do reclamado confirma que a única diferença de atividades entre períodos sem reconhecimento do vínculo e após assinatura da Carteira de Trabalho era o fato de que a reclamante, no primeiro período, fazia a \\\"guia de custas\\\". Afirma, ainda, o preposto do escritório, que durante toda a relação de trabalho a reclamante era coordenada pelo Dr. Reynaldo, chefe da filial em Porto Velho e que as atribuições dos trabalhadores são definidas por ele, que também é responsável pela distribuição das atividades que vêm da matriz em São Paulo. Embora sustentando que a renda mensal da reclamante no primeiro período consubstanciava-se em honorários advocatícios, mais a frente, confessa que era pago para a reclamante o montante fixo mensal de R$ 1.500,00. Para o juiz, não há prova no processo que a reclamante pudesse se fazer substituir por terceiro não vinculado a reclamada, além de que o caráter ínsito à profissão do advogado gera presunção relativa de que há pessoalidade. A não eventualidade, por sua vez, está confessada quando o reclamado declara que a reclamante trabalhava de segunda a sexta, sendo incontroverso na defesa que desde 06/01/2010 ela prestou serviços para a reclamada. Assim, para o juiz, se compreende do processo a patente fraude trabalhista, conforme art. 9º da Consolidação das Leis do Trabalho. Assédio Moral Quanto ao assédio moral, a sentença reconhece, após depoimento da reclamante e relato de testemunha, a forma abusiva com que o chefe da filial em Porto Velho se referia à reclamante. \\\"Assevere-se ainda que tal postura do chefe se dava com outros funcionários, inclusive com a testemunha. E corrobora com o fato a confissão do reclamado de que até mesmo o preposto da empresa sofrera tal tipo de reprimenda\\\", afirma a decisão, declarando que se trata de conduta abusiva, repetitiva e prolongada, configurando-se inclusive como assedio moral na modalidade ambiental. O juiz cita que o reclamado é escritório de advocacia que conta com mais de 1 mil funcionários, mais de 26 filiais, 617 advogados e 219 estagiários. Em 2011, teve faturamento estimado em R$ 110 milhões de reais. A culpa, segundo a sentença, se deu tanto na eleição do chefe da filial em Porto Velho, como na vigilância de sua conduta, que por sua vez, dolosamente praticou os atos que resultaram no assédio moral. \\\"Assim, o caráter educativo-punitivo da compensação deve ser exemplar, a ponto de reverberar até os rinces do Ipiranga, donde ? há muito ? sequer o brado retumbante se ouve\\\", diz. A Litigância de má-fé Afirmando que a ampla defesa é princípio constitucional e que essa garantia baseia-se no direito a informação, manifestação e de ver seus argumentos considerados, a decisão do juiz esclarece que é possível que se converta em abuso de direito quando advogados violam os deveres de lealdade processual e comportamento ético no processo, desvirtuando a própria ampla defesa (art. 5o, LV, CF). Nesse sentido, o magistrado deve penalizar quem exacerba o direito de ação, caso uma das partes utilize procedimentos escusos sabendo ser impossível vencer, visando prolongar o andamento do processo. Para o magistrado, basta ler o depoimento do preposto do Escritório para se concluir expressamente pela confissão real quanto aos fatos constitutivos do direito da reclamante, inclusive quanto à fraude trabalhista praticada na relação de trabalho a título de contrato de advogado associado. Mas, ainda assim, nas razões finais, após a confissão do reclamado, tenta a alteração da verdade dos fatos, adiar o pagamento de direito irrefutável de seus empregados. \\\"O prejuízo da reclamante resta evidenciado na medida em que contratada em 2010 e, há três anos, não recebe crédito que incontestavelmente é seu. Mesmo com o ajuizamento da ação, a lesão permanece e se estende. O reclamado não oferece proposta de acordo e sabidamente leva às últimas instâncias a inútil discussão sobre o tema\\\", declara a sentença, salientando que nada impede o reconhecimento da litigância de má-fé de ofício, por se tratar de matéria de ordem publica, conforme o art. 18, Código de Processo Civil. A decisão de 1º grau, proferida pela 4ª Vara do Trabalho de Porto Velho, não é definitiva, uma vez que é passível de análise no Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região em sede recursal. Processo: 0001183-96.2011.5.14.0004 Publicada em 18/03/2013 Republicada em 15/07/2013 às 17h50m Ascom/TRT14 (Jorge Batista dos Santos) Permitida a reprodução mediante citação da fonte ASCOM/TRT14 Siga o Twitter @TRTNoticia (69) 3211 6371 e 3211 6373

Ronaldo economista17/08/2013 16:49 Responder

Nossa imagina o passivo desse povo!!!!

THIAGO ENGENHEIRO17/08/2013 16:57 Responder

QUE VERGONHA!!! OAB DE BAURU, ONDE ESTÁ VOCÊ? MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO, ONDE ESTÁ VOCÊ? MINISTÉRIO DO TRABALHO E FISCAIS, ONDE ESTÃO VOCÊS? QUE VERGONHA. MEU DEUS, ESTAMOS EM 2013 E QUANDO PENSAMOS QUE O HOMEM ESTÁ EVOLUINDO, VEMOS UMA NOVA FORMA DE ESCRAVISMO: O ESCRAVISMO INTELECTUAL.

Dr. Andre Advogado 26/09/2013 16:35

MPT?? Fiscais?? Meu amigo, Justiça do Trabalho, basta propor a ação trabalhista!!

THIAGO ENGENHEIRO17/08/2013 17:00 Responder

ADVOGADOS SALSICHEIROS.....VOCÊS TEM DIREITO A HORAS EXTRAS....VEJA A NOTÍCIA PUBLICADA NO CONJUR: Advogado sem dedicação exclusiva consegue horas extras O desrespeito ao Estatuto da Advocacia e da Ordem dos Advogados do Brasil rendeu à Disal Administradora de Consórcios S/C Ltda. uma condenação no Tribunal Superior do Trabalho. A 1ª Turma mandou a empresa pagar horas extras a um advogado que trabalhava além da jornada legal e sem regime de dedicação exclusiva expresso em contrato. A jornada da advocacia é definida por lei. A princípio, a jornada legal da classe é de quatro horas por dia ou 20 horas semanais. A legislação abre uma brecha: a jornada superior a essa é permitida, desde que conste a indicação do regime de dedicação exclusiva e ela não ultrapasse as 40 horas semanais. Não era essa a realidade do caso analisado pelo colegiado. De acordo com as apurações, além de trabalhar mais do que o permitido, não havia no seu contrato de trabalho indicação expressa do regime ao qual estava submetido, exigências do Estatuto da Advocacia. Ao analisar o recurso contra a empresa, o tribunal regional refutou o argumento da empregadora de que o regime de trabalho estaria caracterizado. Cinco meses depois da admissão do advogado, a empresa tentou adequar o contrato à legislação ? atitude que o tribunal entendeu como lesiva ao empregado. O ministro Lelio Bentes Corrêa, relator do caso, fez três considerações: não constando do contrato a indicação de dedicação exclusiva, então ela não existia; e, se não era dedicação exclusiva, o advogado não poderia trabalhar mais de 20 horas; se trabalhou, as horas excedentes da jornada lhe são devidas como horas extras. Com informações da Assessoria de Comunicação do TST. RR: 16600-39.2005.5.05.0008

THIAGO ENGENHEIRO17/08/2013 17:02 Responder

Porto Velho - RO - A 4ª Vara do Trabalho de Porto Velho condenou o escritório J. Bueno e Mandaliti Sociedade de Advogados ao pagamento de mais de R$ 165 mil reais para a advogada Micilene de Jesus Nascimento, que trabalhou no escritório de 06 de janeiro de 2010 a 25 de agosto de 2011. A condenação envolve o pagamento de indenização pelo assedio moral, multa de 1% sobre o valor da causa pela litigância de má-fé e indenização em 20% sobre o valor da causa para a reclamante, pelos prejuízos financeiros e emocionais que sofreu, e o ônus do tempo processual que lhe foi imposto suportar. O Escritório de Advocacia ainda foi condenado com o reconhecimento da unicidade contratual da relação empregatícia, a declaração da rescisão indireta, o pagamento do aviso prévio indenizado, férias e adicional de ?, 13º salário, além do FGTS e multa de 40% considerando todo o pacto laboral. Foi determinado também o pagamento de diferenças salariais de R$ 300 reais mensais, durante todo pacto laboral, com reflexos e o pagamento de 2 horas extras por dia pela supressão do intervalo intrajornada, com adicional de 100% sobre 2 horas de trabalho extras por semana, ressalvados os feriados municipais, estaduais, federais e atestados médicos. A sentença, proferida pelo juiz do trabalho substituto Maximiliano Pereira de Carvalho, ainda concedeu a antecipação dos efeitos da tutela, determinando o bloqueio ?on line? das contas em nome do Escritório J. Bueno e Mandaliti Sociedade de Advogados e condenou ao pagamento de uma prestação, consistente em dinheiro ou em coisa, concedendo à sentença força de mandado judicial, valendo como título constitutivo de hipoteca judiciaria (art. 466, CPC) e que poderá ser inscrita, pela Reclamante ou seu procurador, nos cartórios de registro de imóveis e notas e protesto de todo o pais, bem como nos órgãos de proteção ao crédito. Fraude Trabalhista Cinco características configuram a relação empregatícia, devendo estarem presentes simultaneamente. No processo existe a confissão real e o preposto do reclamado confirma que a única diferença de atividades entre períodos sem reconhecimento do vínculo e após assinatura da Carteira de Trabalho era o fato de que a reclamante, no primeiro período, fazia a ?guia de custas?. Afirma, ainda, o preposto do escritório, que durante toda a relação de trabalho a reclamante era coordenada pelo Dr. Reynaldo, chefe da filial em Porto Velho e que as atribuições dos trabalhadores são definidas por ele, que também é responsável pela distribuição das atividades que vêm da matriz em São Paulo. Embora sustentando que a renda mensal da reclamante no primeiro período consubstanciava-se em honorários advocatícios, mais a frente, confessa que era pago para a reclamante o montante fixo mensal de R$ 1.500,00. Para o juiz, não há prova no processo que a reclamante pudesse se fazer substituir por terceiro não vinculado a reclamada, além de que o caráter ínsito à profissão do advogado gera presunção relativa de que há pessoalidade. A não eventualidade, por sua vez, está confessada quando o reclamado declara que a reclamante trabalhava de segunda a sexta, sendo incontroverso na defesa que desde 06/01/2010 ela prestou serviços para a reclamada. Assim, para o juiz, se compreende do processo a patente fraude trabalhista, conforme art. 9º da Consolidação das Leis do Trabalho. Assédio Moral Quanto ao assédio moral, a sentença reconhece, após depoimento da reclamante e relato de testemunha, a forma abusiva com que o chefe da filial em Porto Velho se referia à reclamante. ?Assevere-se ainda que tal postura do chefe se dava com outros funcionários, inclusive com a testemunha. E corrobora com o fato a confissão do reclamado de que até mesmo o preposto da empresa sofrera tal tipo de reprimenda?, afirma a decisão, declarando que se trata de conduta abusiva, repetitiva e prolongada, configurando-se inclusive como assedio moral na modalidade ambiental. O juiz cita que o reclamado é escritório de advocacia que conta com mais de 1 mil funcionários, mais de 26 filiais, 617 advogados e 219 estagiários. Em 2011, teve faturamento estimado em R$ 110 milhões de reais. A culpa, segundo a sentença, se deu tanto na eleição do chefe da filial em Porto Velho, como na vigilância de sua conduta, que por sua vez, dolosamente praticou os atos que resultaram no assédio moral. ?Assim, o caráter educativo-punitivo da compensação deve ser exemplar, a ponto de reverberar até os rinces do Ipiranga, donde ? há muito ? sequer o brado retumbante se ouve?, diz. A Litigância de má-fé Afirmando que a ampla defesa é princípio constitucional e que essa garantia baseia-se no direito a informação, manifestação e de ver seus argumentos considerados, a decisão do juiz esclarece que é possível que se converta em abuso de direito quando advogados violam os deveres de lealdade processual e comportamento ético no processo, desvirtuando a própria ampla defesa (art. 5o, LV, CF). Nesse sentido, o magistrado deve penalizar quem exacerba o direito de ação, caso uma das partes utilize procedimentos escusos sabendo ser impossível vencer, visando prolongar o andamento do processo. Para o magistrado, basta ler o depoimento do preposto do Escritório para se concluir expressamente pela confissão real quanto aos fatos constitutivos do direito da reclamante, inclusive quanto à fraude trabalhista praticada na relação de trabalho a título de contrato de advogado associado. Mas, ainda assim, nas razões finais, após a confissão do reclamado, tenta a alteração da verdade dos fatos, adiar o pagamento de direito irrefutável de seus empregados. ?O prejuízo da reclamante resta evidenciado na medida em que contratada em 2010 e, há três anos, não recebe crédito que incontestavelmente é seu. Mesmo com o ajuizamento da ação, a lesão permanece e se estende. O reclamado não oferece proposta de acordo e sabidamente leva às últimas instâncias a inútil discussão sobre o tema?, declara a sentença, salientando que nada impede o reconhecimento da litigância de má-fé de ofício, por se tratar de matéria de ordem publica, conforme o art. 18, Código de Processo Civil. Processo: 0001183-96.2011.5.14.0004

THIAGO ENGENHEIRO17/08/2013 17:10 Responder

Pessoal, o MPT DE BAURU TEM QUE AGIR, VEJA A MATÉRIA: MPT-PE ingressa com ação civil pública contra o Siqueira Castro Advogados Recife ? O Ministério Público do Trabalho em Pernambuco (MPT-PE) ingressou com ação civil pública contra o Siqueira Castro Advogados por mascarar relação de emprego. O escritório de advocacia é acusado de promover a contratação fraudulenta de advogados como associados ou como sócios. No processo, o MPT pede a regularização da situação e a condenação do escritório em R$ 200 mil por dano moral coletivo. A ação foi movida após a recusa do escritório em assinar termo de ajuste de acordo (TAC). O escritório contratava os advogados inicialmente como associados para que depois, por meio de procuração entregue aos sócios majoritários, fossem inseridos como parte societária. Os trabalhadores tinham remuneração fixa, devendo prestar contas da produtividade e sendo avaliados e supervisionados pelos reais sócios da empresa, o que caracteriza vínculo empregatício. Na ação, a procuradora Vanessa Patriota, à frente do caso, pontua a discrepância na divisão das cotas de participação: enquanto sócios majoritários possuem, respectivamente, 79.979 e 20 mil cotas, os demais sócios têm direito a 0,0001%, ou seja, a uma única cota, o que demonstra a fraude, com o objetivo de reduzir custos. Ação ? O MPT pede no processo que o escritório se abstenha imediatamente de contratar advogados como associados e de mascarar o vínculo empregatício com ingresso dos profissionais como sócios. Na ação, o MPT pede ainda que o escritório registre a carteira de trabalho dos advogados contratados de forma ilícita, com data retroativa ao início de suas atividades na empresa, deposite o FGTS e recolha a contribuição previdenciária de todo o período de trabalhado pelos empregados. Em caso de descumprimento, será cobrada multa de R$ 20 mil por obrigação descumprida, acrescida de R$ 10 mil por trabalhador prejudicado. Todos os valores devem ser revertidos ao Fundo de Amparo ao Trabalhador. Informações: MPT em Pernambuco prt6.ascom@mpt.gov.br (81) 2101.3238

Dr. Andre Advogado 26/09/2013 16:33

Não precisa nem de MPT, basta propor a Reclamação Trabalhista contra o Escritório. Simples!

ERNANI BOTELHO PINTO MATADOR DE VAMPIRO21/08/2013 17:26 Responder

ESSES CARAS SÃOS UNS VAMPIROS!

l. sua profissão19/09/2013 23:46 Responder

o mais próximo da escravidão que cheguei foi trabalhar nessa espelunca. sem contar o fato de ter que aguentar quietinha uma chefe grossa ao extremo. Aliás, Letícia vai tomar no cú! Vai comprar uma peruca nova sua macaca!

Dr. Andre Advogado26/09/2013 16:31 Responder

Muito fácil falar, escrever, criticar. Sabe fazer melhor? Então filie-se ao Sindicato para a próxima eleição. Lembre-se que quem decide o Acordo Coletivo é o trabalhador e não o Sindicato. Em que lugar vc estava quando foram discutir o reajuste de salário? Criticar aqui é fácil, mas na frente do patrão até apoia esse salário inferior. E tem MAIS, se vc realmente é ADVOGADO comece lutando por seus direitos para depois brigar pelo direito dos outros. Não está contente com o salário, bastar assinar a sua própria Reclamação Trabalhista contra o Escritório. Agora, ficar esperando Sindicato, Ministério Público, Papai Noel é fácil.

Dr. Júlio Advogado22/10/2013 15:44 Responder

Aqui é o muro das lamentações ? O tal Dr. André parece que monitora as postagens. O pessoal da Mandaliti ou JBM nunca foram (e nem serão) flor que se cheire. No resto foda-se.

REI-Mandaliti dentista02/12/2013 14:13 Responder

Mandalixo e Jbueiro! KKKK

REI-Mandaliti dentista02/12/2013 17:55 Responder

dor de dente estes advogados

Ether Namente sua profissão24/07/2014 10:27 Responder

Gente, veja o pau que levou o Mandaliti: PROCESSO: 0001183-96.2011.5.14.0004 CLASSE: RECURSO ORDINÁRIO (01183.2011.004.14.00-0) ÓRGÃO JULGADOR: 2ª TURMA ORIGEM: 4ª VARA DO TRABALHO DE PORTO VELHO - RO RECORRENTE(S): J. BUENO E MANDALITI SOCIEDADE DE ADVOGADOS. ADVOGADO(S): MARIA DE LURDES RONDINA MALDALIT E OUTROS RECORRIDO(S): MICILENE DE JESUS NASCIMENTO E OUTROS ADVOGADO(S): JAMYSON DE JESUS NASCIMENTO E OUTRO RELATORA: DESEMBARGADORA VANIA MARIA DA ROCHA ABENSUR REVISOR: DESEMBARGADOR CARLOS AUGUSTO GOMES LÔBO DANO MORAL. Uma vez comprovado o assédio moral, é devida a reparação nos termos do art. 7º, V, da Constituição Federal e arts. 186 e 927 do Código Civil. ...... 2.3 CONCLUSÃO DESSA FORMA, conheço do recurso e, no mérito, dou-lhe parcial provimento para, reformando a sentença: a) reduzir o valor da multa diária, no caso de descumprimento da obrigação de fazer consistente em retificar a CTPS, para R$500,00 (quinhentos reais); b) excluir da condenação o adicional de 100% sobre 2 horas extras por semana de sobrelabor e as 2 horas extras por dia, decorrente de supressão de intervalo intrajornada; c) arbitrar novo valor correlato à indenização devida para reparação do dano moral sofrido no importe de R$20.000,00 (vinte mil reais); d) afastar a litigância de má-fé e assim excluir da condenação as correspondentes multa e indenização; e) tornar sem efeito a penhora on line, determinando o levantamento dos valores já penhorados; Em razão das modificações no julgado, comino custas em R$2.000,00, tendo como base o novo valor da causa, ora arbitrado em R$100.000,00. Salsicheiros trabalhadores, vocês podem receber cada um R$ 100.000,00. Mandem E-mail ao MPF, Receita Federal, MPT e MTe

Ether Namente zoro24/07/2014 10:29 Responder

A 4ª Vara do Trabalho de Porto Velho condenou o escritório J. Bueno e Mandaliti Sociedade de Advogados ao pagamento de mais de R$ 165 mil reais para a advogada Micilene de Jesus Nascimento, que trabalhou no escritório de 06 de janeiro de 2010 a 25 de agosto de 2011. A condenação envolve o pagamento de indenização pelo assedio moral, multa de 1% sobre o valor da causa pela litigância de má-fé e indenização em 20% sobre o valor da causa para a reclamante, pelos prejuízos financeiros e emocionais que sofreu, e o ônus do tempo processual que lhe foi imposto suportar. O Escritório de Advocacia ainda foi condenado com o reconhecimento da unicidade contratual da relação empregatícia, a declaração da rescisão indireta, o pagamento do aviso prévio indenizado, férias e adicional de ?, 13º salário, além do FGTS e multa de 40% considerando todo o pacto laboral. Foi determinado também o pagamento de diferenças salariais de R$ 300 reais mensais, durante todo pacto laboral, com reflexos e o pagamento de 2 horas extras por dia pela supressão do intervalo intrajornada, com adicional de 100% sobre 2 horas de trabalho extras por semana, ressalvados os feriados municipais, estaduais, federais e atestados médicos. A sentença, proferida pelo juiz do trabalho substituto Maximiliano Pereira de Carvalho, ainda concedeu a antecipação dos efeitos da tutela, determinando o bloqueio \\\"on line\\\" das contas em nome do Escritório J. Bueno e Mandaliti Sociedade de Advogados e condenou ao pagamento de uma prestação, consistente em dinheiro ou em coisa, concedendo à sentença força de mandado judicial, valendo como título constitutivo de hipoteca judiciaria (art. 466, CPC) e que poderá ser inscrita, pela Reclamante ou seu procurador, nos cartórios de registro de imóveis e notas e protesto de todo o pais, bem como nos órgãos de proteção ao crédito. Fraude Trabalhista Cinco características configuram a relação empregatícia, devendo estarem presentes simultaneamente. No processo existe a confissão real e o preposto do reclamado confirma que a única diferença de atividades entre períodos sem reconhecimento do vínculo e após assinatura da Carteira de Trabalho era o fato de que a reclamante, no primeiro período, fazia a \\\"guia de custas\\\". Afirma, ainda, o preposto do escritório, que durante toda a relação de trabalho a reclamante era coordenada pelo Dr. Reynaldo, chefe da filial em Porto Velho e que as atribuições dos trabalhadores são definidas por ele, que também é responsável pela distribuição das atividades que vêm da matriz em São Paulo. Embora sustentando que a renda mensal da reclamante no primeiro período consubstanciava-se em honorários advocatícios, mais a frente, confessa que era pago para a reclamante o montante fixo mensal de R$ 1.500,00. Para o juiz, não há prova no processo que a reclamante pudesse se fazer substituir por terceiro não vinculado a reclamada, além de que o caráter ínsito à profissão do advogado gera presunção relativa de que há pessoalidade. A não eventualidade, por sua vez, está confessada quando o reclamado declara que a reclamante trabalhava de segunda a sexta, sendo incontroverso na defesa que desde 06/01/2010 ela prestou serviços para a reclamada. Assim, para o juiz, se compreende do processo a patente fraude trabalhista, conforme art. 9º da Consolidação das Leis do Trabalho. Assédio Moral Quanto ao assédio moral, a sentença reconhece, após depoimento da reclamante e relato de testemunha, a forma abusiva com que o chefe da filial em Porto Velho se referia à reclamante. \\\"Assevere-se ainda que tal postura do chefe se dava com outros funcionários, inclusive com a testemunha. E corrobora com o fato a confissão do reclamado de que até mesmo o preposto da empresa sofrera tal tipo de reprimenda\\\", afirma a decisão, declarando que se trata de conduta abusiva, repetitiva e prolongada, configurando-se inclusive como assedio moral na modalidade ambiental. O juiz cita que o reclamado é escritório de advocacia que conta com mais de 1 mil funcionários, mais de 26 filiais, 617 advogados e 219 estagiários. Em 2011, teve faturamento estimado em R$ 110 milhões de reais. A culpa, segundo a sentença, se deu tanto na eleição do chefe da filial em Porto Velho, como na vigilância de sua conduta, que por sua vez, dolosamente praticou os atos que resultaram no assédio moral. \\\"Assim, o caráter educativo-punitivo da compensação deve ser exemplar, a ponto de reverberar até os rinces do Ipiranga, donde ? há muito ? sequer o brado retumbante se ouve\\\", diz. A Litigância de má-fé Afirmando que a ampla defesa é princípio constitucional e que essa garantia baseia-se no direito a informação, manifestação e de ver seus argumentos considerados, a decisão do juiz esclarece que é possível que se converta em abuso de direito quando advogados violam os deveres de lealdade processual e comportamento ético no processo, desvirtuando a própria ampla defesa (art. 5o, LV, CF). Nesse sentido, o magistrado deve penalizar quem exacerba o direito de ação, caso uma das partes utilize procedimentos escusos sabendo ser impossível vencer, visando prolongar o andamento do processo. Para o magistrado, basta ler o depoimento do preposto do Escritório para se concluir expressamente pela confissão real quanto aos fatos constitutivos do direito da reclamante, inclusive quanto à fraude trabalhista praticada na relação de trabalho a título de contrato de advogado associado. Mas, ainda assim, nas razões finais, após a confissão do reclamado, tenta a alteração da verdade dos fatos, adiar o pagamento de direito irrefutável de seus empregados. \\\"O prejuízo da reclamante resta evidenciado na medida em que contratada em 2010 e, há três anos, não recebe crédito que incontestavelmente é seu. Mesmo com o ajuizamento da ação, a lesão permanece e se estende. O reclamado não oferece proposta de acordo e sabidamente leva às últimas instâncias a inútil discussão sobre o tema\\\", declara a sentença, salientando que nada impede o reconhecimento da litigância de má-fé de ofício, por se tratar de matéria de ordem publica, conforme o art. 18, Código de Processo Civil. A decisão de 1º grau, proferida pela 4ª Vara do Trabalho de Porto Velho, não é definitiva, uma vez que é passível de análise no Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região em sede recursal. Processo: 0001183-96.2011.5.14.0004 Publicada em 18/03/2013 Republicada em 15/07/2013 às 17h50m Ascom/TRT14 (Jorge Batista dos Santos) Permitida a reprodução mediante citação da fonte ASCOM/TRT14 Siga o Twitter @TRTNoticia (69) 3211 6371 e 3211 6373

Ether Namente zoro24/07/2014 10:30 Responder

Gente, veja o pau que levou o Mandaliti: PROCESSO: 0001183-96.2011.5.14.0004 CLASSE: RECURSO ORDINÁRIO (01183.2011.004.14.00-0) ÓRGÃO JULGADOR: 2ª TURMA ORIGEM: 4ª VARA DO TRABALHO DE PORTO VELHO - RO RECORRENTE(S): J. BUENO E MANDALITI SOCIEDADE DE ADVOGADOS. ADVOGADO(S): MARIA DE LURDES RONDINA MALDALIT E OUTROS RECORRIDO(S): MICILENE DE JESUS NASCIMENTO E OUTROS ADVOGADO(S): JAMYSON DE JESUS NASCIMENTO E OUTRO RELATORA: DESEMBARGADORA VANIA MARIA DA ROCHA ABENSUR REVISOR: DESEMBARGADOR CARLOS AUGUSTO GOMES LÔBO DANO MORAL. Uma vez comprovado o assédio moral, é devida a reparação nos termos do art. 7º, V, da Constituição Federal e arts. 186 e 927 do Código Civil. ...... 2.3 CONCLUSÃO DESSA FORMA, conheço do recurso e, no mérito, dou-lhe parcial provimento para, reformando a sentença: a) reduzir o valor da multa diária, no caso de descumprimento da obrigação de fazer consistente em retificar a CTPS, para R$500,00 (quinhentos reais); b) excluir da condenação o adicional de 100% sobre 2 horas extras por semana de sobrelabor e as 2 horas extras por dia, decorrente de supressão de intervalo intrajornada; c) arbitrar novo valor correlato à indenização devida para reparação do dano moral sofrido no importe de R$20.000,00 (vinte mil reais); d) afastar a litigância de má-fé e assim excluir da condenação as correspondentes multa e indenização; e) tornar sem efeito a penhora on line, determinando o levantamento dos valores já penhorados; Em razão das modificações no julgado, comino custas em R$2.000,00, tendo como base o novo valor da causa, ora arbitrado em R$100.000,00. Salsicheiros trabalhadores, vocês podem receber cada um R$ 100.000,00. Mandem E-mail ao MPF, Receita Federal, MPT e MTe